Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/10028
Título: Papel dos mecanismos envolvendo esteróides sexuais (E1 e E2), sua variação genética e biomarcadores circulantes na etiopatogenia de tumores ginecológicos (leiomiomas e cancro do colo do útero)
Autor: Castelão, Cindy Duarte, 1990-
Orientador: Bicho, Maria Clara
Silva, Pedro João Neves e, 1958-
Palavras-chave: Leiomioma
Cancro do colo do útero
Estrogénios
Biomarcadores
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: Os leiomiomas são neoplasias benignas que se formam a partir das células do músculo liso. Estes são os tumores mais comuns do aparelho reprodutor feminino. O cancro do colo do útero, cujo agente patogénico é o HPV, é o segundo cancro mais frequente e a segunda maior causa de morte nas mulheres em todo o mundo. Um dos factores de risco para o desenvolvimento de neoplasias em tecidos sensíveis a hormonas é a exposição, excessiva e cumulativa a estrogénios. Um factor importante da toxicologia dos estrogénios, para além da estimulação da proliferação de células epiteliais, é o seu metabolismo oxidativo. Assim, estudou-se polimorfismos funcionais nas seguintes enzimas: o CYP1A1 (rs4646903), a COMT (rs 4680), a MPO (rs2333227). Estudou-se igualmente a actividade da RTM e a concentração de estradiol circulante. Neste estudo observou-se que o alelo C, responsável pela maior actividade de CYP1A1, é um factor de risco em ambas as patologias. O alelo A, que concede menor actividade à enzima COMT, apresenta-se como um factor de risco para as patologias em estudo. Observámos que o genótipo GA da enzima MPO revelou-se um factor de risco em ambas as patologias – isto poderá indicar que esta é importante na eliminação do HPV; ou poderá ser um indício de que quantidades excessivas de ROS são prejudiciais às células transformadas. A RTM não demonstrou resultados estatisticamente significativos. Os níveis de estradiol circulante foram superiores nas populações patológicas corroborando a teoria que esta hormona é tumorigénica, quer directa quer indirectamente.A maior concentração de estradiol na população de leiomiomas pode indicar uma maior dependência hormonal deste. O facto dos resultados obtidos serem idênticos nos leiomiomas e cancro do colo do útero é interessante: são dois tumores diferentes, não só na sua etiologia, mas também na sua fisiologia; no entanto, os riscos não se distinguiram, indicando aparência em termos de susceptibilidade.
Leiomyomas are benign neoplasms that arise from smooth muscle cells. These are the most common tumors of the feminine reproductive system. HPV infection may lead to cervical cancer; this is the second most frequent cancer and the second biggest cause of death in women worldwide. One risk factor for the development of neoplasms in hormone-sensitive tissue in women is the excessive and cumulative exposure to estrogens. Estrogen toxicology can be explained by its hability to promote proliferation of epithelial cells, but also because of its oxidative metabolism. So, we studied the functional polymorphisms in the following enzymes: CYP1A1 (rs4646903), COMT (rs 4680), and MPO (rs2333227). We also studied the activity of RTM, and the concentration of estradiol. In this study we observed that the allele C, responsible for a more active CYP1A1, it’s a risk factor in both pathologies. The allele A, that codifies a lower activity COMT, also presents itself as a risk factor for both leiomyomas and cervical cancer. The GA genotype in the MPO enzyme revealed itself as a risk factor for both pathologies – which may indicate that MPO is important in the elimination of HPV from the organism; or that excessive amounts of ROS could lead to apoptosis of tumorigenic cells. The analysis of RTM activity demonstrated no significant statistical values. The levels of estradiol in blood were superior on the studied populations, supporting the theory that this hormone is tumorigenic, either acting directly or through its metabolism. The results obtained through this study demonstrate that both leiomyomas and cervical cancer show similar susceptibilities, even though they are very different from each other: not only in their etiology but also in their physiology.
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Biologia Molecular e Genética). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/10028
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc103207_tm_cindy_castelao.pdf1,55 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.