Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
FM - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/1008

Título: Quanto custa morrer?
Autor: Feio, Maria Madalena Tavares da Mata Moreira, 1962-
Orientador: Marques, Manuel Silvério, 1946-
Gouveia, Miguel
Palavras-chave: Cuidados paliativos
Cuidados a doentes terminais
Serviços de saúde
Custos de cuidados de saúde
Contabilidade
Sintomas
Narcóticos
Teses de mestrado
Portugal
Issue Date: 2007
Resumo: Os gastos em Saúde concentram-se na fase final da vida. Hoje, a maior parte das mortes por doença ocorrem em internamento. Em estudos internacionais tem sido reconhecido que doentes com doenças progressivas e avançadas falecem com descontrolo sintomático. Foi feito um estudo retrospectivo em que se investigou naqueles que faleceram no Concelho de Évora por doença oncológica avançada e progressiva, diagnosticada há mais de um mês, o uso que fizeram do Hospital do Espírito Santo de Évora no último mês de vida. Quantificou-se: dias de internamento, consultas externas, idas à urgência, exames complementares. Foram também pesquisados sintomas presentes e prescrição de opióides. Por dados obtidos por contabilidade analítica do HES-Évora calcularam-se os custos feitos com estes doentes. Foram identificados 235 pessoas falecidas com doença oncológica. Destes 118 obedeciam aos critérios definidos. Idade média 69,1 + 10,7 anos, 69,5% eram do sexo masculino, 55% residiam no Concelho de Évora. As topografias mais comuns foram o aparelho digestivo, 31% e o pulmão 20,3%. Os sintomas mais frequentes foram a sonolência, a dor, a dispneia e a astenia. Os opióides foram prescritos a 48,3% dos doentes. Em internamento faleceram 82,2%, no Serviço de Urgência 11% e 4% no domicílio. Estiveram internados 84,7%, foram a consultas externas 40,6% e recorreram à Urgência 60,7% dos doentes. Todos os doentes fizeram pelo menos um exame complementar. O total de custos calculado foi de 379.761,35 . O internamento e as Urgências corresponderam às maiores parcelas. Os custos médios por doente, neste último mês de vida, foram 3218,32 . As principais respostas oferecidas a estes doentes foram o internamento e a Urgência. Verificou-se um custo grande associado ao uso do Hospital por doentes com doença oncológica avançada e progressiva, no último mês de vida, associado a indicadores de menor qualidade nos cuidados.
Descrição: Tese de mestrado em Cuidados Paliativos, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, 2007
URI: http://hdl.handle.net/10451/1008
Appears in Collections:FM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
13451_Quanto%20custa%20morrer.pdf2,61 MBAdobe PDFView/Open
13452_a.pdf28,38 kBAdobe PDFView/Open
13453_a1.pdf107,35 kBAdobe PDFView/Open
13454_a2.pdf196,53 kBAdobe PDFView/Open
13455_a3.pdf200,4 kBAdobe PDFView/Open
13456_a4.pdf195,33 kBAdobe PDFView/Open
13457_a5.pdf202,27 kBAdobe PDFView/Open
13458_a6.pdf208,17 kBAdobe PDFView/Open
13459_a7.pdf193 kBAdobe PDFView/Open
13460_a8.pdf22,94 kBAdobe PDFView/Open
13461_a9.pdf119,19 kBAdobe PDFView/Open
13462_a10.pdf200,43 kBAdobe PDFView/Open
13463_a11.pdf191,88 kBAdobe PDFView/Open
13464_a12.pdf200,86 kBAdobe PDFView/Open
13465_a13.pdf202,77 kBAdobe PDFView/Open
13466_a14.pdf194,29 kBAdobe PDFView/Open
13467_a15.pdf186,42 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE