Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/10440
Título: Modelos percebidos de causalidade da violência entre parceiros íntimos
Autor: Filipe, Sara de Almeida
Orientador: Oliveira, José Manuel da Palma, 1958-
Palavras-chave: Violência conjugal - Portugal
Modelos mentais
Factores de risco
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: A violência entre parceiros íntimos (VPI) representa um problema grave de saúde pública cujos custos e consequências só poderão ser minimizados com um forte investimento na prevenção, que envolve necessariamente a identificação e compreensão dos factores que aumentam o risco da sua ocorrência. O estudo da relevância destes factores tem produzido, no entanto, resultados pouco claros e consistentes, em grande parte devido à dificuldade em integrar as diferentes perspectivas teóricas num único modelo abrangente que capte a articulação entre factores e os seus efeitos cumulativos. Apesar dos numerosos estudos nesta área, muito pouco tem sido feito para identificar as crenças da população acerca das causas da VPI. A presente investigação pretende colmatar essa lacuna, recorrendo à metodologia de modelos mentais proposta por Morgan, Fischhoff, Bostrom e Atman (2002) para aceder às relações percebidas de causalidade entre factores de risco e entre estes e a VPI. Combinando métodos qualitativos e quantitativos, no Estudo 1 são descritas as entrevistas realizadas com peritos e leigos para aceder a estas crenças e no Estudo 2 são utilizados questionários para testar a prevalência das mesmas na população. Os resultados são consistentes com um modelo integrativo da VPI onde características do indivíduo, da relação entre os parceiros íntimos e das comunidades em que estão inseridos são reconhecidas como relevantes para a ocorrência deste fenómeno. As associações que se estabelecem entre factores sugerem, no entanto, que os factores individuais e situacionais assumem maior destaque, sobrepondo-se a outros factores propostos por modelos explicativos tradicionais, como as desigualdades de género na sociedade ou os conflitos na relação entre parceiros íntimos. As relações entre os factores de risco são, no entanto, bem mais complexas do que fica representado nesta investigação, pelo que são necessários estudos mais sofisticados para destrinçar a causalidade entre factores, o sentido dessa causalidade e os efeitos cumulativos destas relações.
Intimate partner violence (IPV) represents a serious public health problem whose costs and consequences can only be minimized with a strong investment in prevention, which necessarily involves identifying and understanding the factors that increase the risk of its occurrence. The study about the relevance of these factors has produced, however, unclear and inconsistent results, largely because of the difficulty in integrating different theoretical perspectives into a single comprehensive model that captures the articulation between factors and their cummulative effects. Despite the numerous studies in this area, very little has been done to identify the beliefs of the population about the causes of IPV. This research aims to fill this gap, using the methodology of mental models proposed by Morgan, Fischhoff, Bostrom and Atman (2002) to access the perceived causal relationships between risk factors and between them and IPV. Combining qualitative and quantitative methods, Study 1 describes the interviews conducted with experts and lay people to access these beliefs and in Study 2 questionnaires are used to test their prevalence in the population. The results are consistent with an integrative model of IPV where features of the individual, of the relationship between intimate partners and of the communities in which they live are acknowledged as relevant to the occurrence of this phenomenon. The associations established between factors suggest, however, that individual and situational factors assume greater prominence, overlapping other factors suggested by traditional explanatory models such as gender inequalities in society and conflicts in the relationship between intimate partners. The relationships between risk factors are, however, far more complex than is represented in this research, and more sophisticated studies are needed to disentangle the causality between factors, the direction of this causality and the cumulative effects of these relationships.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Cognição Social Aplicada), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/10440
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie046348_tm.pdf3,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.