Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/10487
Título: Representações de família : um estudo comparativo entre crianças em contextos familiares de risco e em contextos familiares normativos
Autor: Machado, Inês Sofia Cabrela
Orientador: Narciso, Isabel, 1962-
Palavras-chave: Crianças em risco
Representações familiares
Parentalidade
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: O presente estudo pretende compreender se existem especificidades nas representações de família de crianças sinalizadas às Comissões de Proteção de Crianças e Jovens. Procura-se explorar diferenças e semelhanças entre crianças em risco (N = 10) e crianças em situação familiar normativa (N = 10), com idades compreendidas entre os 7 e os 11 anos, ao nível das representações de família, das representações do self e de indicadores/facilitadores de vinculação segura vs. insegura às figuras parentais. É, ainda, objetivo da investigação, testar a adequação da grelha de codificação MacArthur Narrative Coding Manual (Robinson, Mantz-Simmons, MacFie, Kelsay & The MacArthur Narrative Working Group, 2001). Através de uma análise qualitativa dos dados, recolhidos a partir da aplicação do The MacArthur Story Stem Battery (Bretherton et al., 1990) e do Desenho da Família (Corman, 1982), encontraram-se evidências de que as representações de família das crianças da amostra de crianças em risco são marcadas por representações mais negativas dos seus cuidadores; por representações de distanciamento familiar; e por uma maior prevalência de indicadores/facilitadores de vinculação insegura. Em relação aos indicadores/facilitadores de vinculação segura aos cuidadores, estes foram mais evidentes junto da amostra normativa, onde a diferença entre indicadores/facilitadores de vinculação segura e de vinculação insegura foi muito marcada. Ao nível das narrativas, na amostra de risco foram mais evidentes os temas de conflito interpessoal, agressividade e perigo. As representações da fratria vão contra esta tendência de negatividade, apresentando-se como mais positivas junto das crianças em risco. Já as representações do self foram mais evidentes na amostra normativa, que elaborou quer mais representações positivas, quer mais representações negativas do self. A menor diferença nas representações positivas dos cuidadores nas amostras em estudo, revelou-se um dado interessante, sugerindo uma influência distinta das experiências de maus-tratos nas representações positivas e nas representações negativas dos cuidadores.
The present study intends to understand whether there are specific family representations of children identified for the Comissões de Proteção de Crianças e Jovens. We attempt to explore the differences and similarities between a at-risk children sample (N = 10) and a normative children sample (N = 10), aged between 7 and 11 years, regard to family representations, representations of self and indicators of secure attachment vs. insecure attachment to parental figures. It is also a goal of this research, to test the adequacy of the MacArthur Narrative Coding Manual (Robinson, Mantz - Simmons, MacFie , Kelsay & The MacArthur Narrative Working Group, 2001). Through a qualitative analysis of data collected from the application of The MacArthur Story Stem Battery (Bretherton et al., 1990) and the Family Drawing (Corman, 1982), we found evidences that the family representations of at-risk children sample are marked by more negative representations of their caregivers, more representations of family distance, and a higher prevalence of indicators of insecure attachment. In what concerns to indicators of secure attachment to caregivers, these were more evident in the normative sample, where the difference between indicators of secure attachment and insecure attachment were very clear. In terms of the narratives, in the at-risk sample, the themes most evident were interpersonal conflict, aggression and danger. The phratry representations go against this trend of negativity, showing more positive data on the at-risk sample. The representations of self were more evident in the normative sample, which produced more positive and more negative representations of self. The smallest difference in positive representations of caregivers in the samples under study, were an interesting outcome, suggesting a distinct influence of the experiences of maltreatment in positive representations and in negative representations of caregivers.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/10487
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie046384_tm.pdf1,59 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.