Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/10800
Título: Conciliação família-trabalho em famílias monoparentais:uma abordagem comparativa de género
Autor: Cardoso, Sónia Vladimira Serrano Correia
Orientador: Wall, Karin
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2013
Data de Defesa: 2014
Resumo: Este é um estudo qualitativo que tem como objeto a conciliação família-trabalho. A população que observa é a de famílias monoparentais femininas e masculinas. Os objetivos deste trabalho são: identificar perfis de conciliação família-trabalho e perceber o modo como o género modela a constituição desses perfis, atribui lógicas e configura multiplicidades. Nesta pesquisa, o estudo da conciliação família-trabalho procurou beneficiar da confluência de duas abordagens que nem sempre se encontram em sociologia: a abordagem da sociologia da família e a abordagem de género. O entrecruzar destas duas matrizes teóricas procurou ter em conta, como principais perspetivas de análise, a perspetiva de género, a perspetiva de percurso de vida (namoro, conjugalidade, vida familiar e rutura, entrada na monoparentalidade), a perspetiva das redes de cuidados e apoio (pessoas e instituições que prestam cuidados e apoio à criança e à família monoparental) e a perspetiva das condições sócio-estruturais (escolaridade, profissão, relação com a atividade profissional). A construção de um modelo de análise provindo da convergência de quadros teóricos diferentes permitiu identificar cinco perfis nas mães e cinco nos pais sós. Nas famílias de mães-sós encontramos: Gestão autocentrada (por opção); Delegação múltipla (compondo soluções dia-a-dia); Apoio avós (optar pelo apoio/ necessitar de delegar); Voltar para casa dos pais (pelo apoio emocional/ por necessidade económica); e Articulação precária ou inexistente (procurando soluções, fazendo o possível). Nas famílias de pais-sós encontramos: Gestão autocentrada (resignada); Delegação múltipla (por imitação); Apoio avós (entre a partilha e a delegação); Voltar para casa dos pais (permanecer rendido); Articulação precária ou inexistente (de braços caídos). Nesta investigação, os perfis de conciliação família-trabalho constituem-se, como testemunhos do “movimento lento” de mudança da sociedade portuguesa. Ao mesmo tempo que apresentam vestígios do abandono gradual dos papéis de género mais tradicionais contêm em si novas e velhas atribuições na relação família-trabalho. Os perfis de conciliação família-trabalho para além de influenciados pelo género, são-no pelos percursos de vida, pelas redes de apoio e pelas condições económicas e sociais das famílias.
This is a qualitative study about reconciling demands between work and family. The target population is lone parent families, both female and male. The goals of this study are: to identify family-work conciliation patterns and understand how gender can shape the latter’s composition, logics and diversity. In this research, the family-work conciliation study draws on the confluence between 2 approaches confluence in sociology: the family sociology approach and the gender approach. The articulation of these two theoretical matrixes tried to take into account, as main analysis perspectives, the gender perspective, the life-course perspective, the perspective of caring and support networks and a socio-structural perspective. Building an analytical model based on different theoretical frameworks allowed identifying five lone mothers´ and five lone fathers’ reconciliation profiles. In lone mothers´ families the profiles are: Mother centred care (by option); Multiple delegation (finding solutions day by day); Grandparents support (choosing help/ needing to delegate); Back to parents’ home (needing emotional support or economic need); Without reconciliation (searching for solutions, doing what’s possible). In lone fathers´ families profiles are: Father centred (resigned); Multiple delegation (by imitation); Grandparents support (between sharing and delegating); Back to parents’ home (remain surrendered); Without reconciliation (without reaction). In this investigation, the profiles of work-family reconciliation reveal the "slow movement" of change of Portuguese society. While findings show the gradual abandonment of traditional gender roles, they also point to old and new assignments in work-family relationship. The profiles of work-family reconciliation are influenced by gender, by life trajectories, by support networks and by the economic and social conditions of families.
Descrição: Tese de doutoramento, Ciências Sociais (Sociologia Geral), Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10451/10800
Aparece nas colecções:ICS - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd067977_td_Sonia_Cardoso.pdf1,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.