Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
FM - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/1083

Título: Estudo da prevalência de doenças associadas a vectores em canídeos domésticos do distrito de Bragança
Autor: Figueiredo, Teresa Catarina Dias, 1975-
Orientador: Núncio, Maria Sofia, 1965
Simas, João Pedro, 1965-
Palavras-chave: Microbiologia
Cães
Doenças do cão
Vectores de doença
Serologia
Reacção em cadeia por polimerase
Amostragem
Análise estatística
Teses de mestrado
Portugal
Issue Date: 2007
Resumo: Foi realizado um rastreio serológico de doenças associadas a vectores efectuado a 473 canídeos de seis concelhos do distrito de Bragança. Foram recolhidos e estudados 135 ixodídeos de 6 espécies a parasitar os canídeos, em que 14,07% (19/135) estavam infectados, tendo-se estimado por PCR uma taxa de infecção de 2,2% para Ehrlichia (E.) canis, 5,9% para Francisella (F.) tularensis e 5,9% para Rickettsia conorii. A sequenciação dos produtos de PCR confirmou a presença de E. canis em 3 Rhipicephalus (R.) sanguineus, Francisella endosymbiont de Dermacentor (D.) variabilis em 1 D. reticulatus, Rickettsia conorii em 1 R. sanguineus, Rickettsia slovaca em 1 D. marginatus e Rickettsia bar29 em 3 R. sanguineus. As doenças investigadas por imunofluorescência indirecta foram anaplasmose granulocítica canina, borreliose de Lyme, erlichiose monocítica canina, febre botonosa canina; tularémia por aglutinação em placa, e babesiose e hepatozoonose canina por observação de esfregaço de sangue periférico. Apenas 16,3% dos canídeos apresentavam sinais clínicos compatíveis com estas patologias. Dos resultados serológicos 65% dos cães apresentaram anticorpos para as doenças em estudo: 17,6%±0,045 de anaplasmose granulocítica canina, 12,7%±0,039 para borreliose de Lyme, 14,8%±0,042 para erlichiose monocítica canina, 55,3%±0,059 para febre botonosa canina e 2,5%±0,019 para tularémia. Em 2,1% (10/473) dos esfregaços foi possível observar formas de Hepatozoon canis e não foram identificadas formas de Babesia canis. Por PCR estimou-se uma prevalência de infecção nos canídeos de 0,85% para E. canis, 0,2% para F. tularensis, e 1,7% para R. conorii. A sequenciação dos resultados positivos por PCR confirmou a presença, em canídeos sintomáticos, de E. canis em 4 canídeos e de Rickettsia sp. em 8 canídeos. Foram determinados, estatisticamente, factores de risco, que variaram consoante as doenças em estudo.
A serological survey for vector-borne diseases was made in 473 domestic dogs from Bragança district of Portugal. Of the 135 ticks collected, 19 (14,07%) had some kind of parasite and an infection prevalence was estimated of 2,2% for Ehrlichia (E.) canis, 5,9% for Francisella (F.) tularensis and 5,9% for Rickettsia conorii. Sequence analysis of the positive PCR samples confirmed the presence of E. canis in 3 R. sanguineus, Francisella endosymbiont of Dermacentor variabilis in 1 D. reticulatus, Rickettsia conorii, in 1 R. sanguineus, Rickettsia slovaca in 1 D. marginatus and Rickettsia bar29 in 3 R. sanguineus. An indirect fluorescent-antibody test was used to study the seroprevalence of canine granulocytic anaplasmosis, Lyme borreliosis, canine monocytic ehrlichiosis and mediterranean spotted fever. Tularemia was studied by plate agglutination, canine babesiosis and canine hepatozoonosis was studied by peripheral blood smears. Only 16,3% of the dogs showed clinical signs possibly associated with these pathologies. Hepatozoon canis was found in 2,1% (10/473) of the blood smears but no Babesia canis were found. The results revealed that 65% of the dogs showed some serologic positive result with a total seroprevalence of 17,6%±0,045 for canine granulocytic anaplasmosis, 12,7%±0,039 for Lyme borreliosis, 14,8%±0,042 for canine monocytic ehrlichiosis, 55,3%±0,059 for mediterranean spotted fever and 2,5%±0,019 for tularemia. The dogs were also studied by PCR and an infection prevalence was estimated of 0,85% for E. canis, 0,2% for F. tularensis and 1,7% for R. conorii. Sequence analysis of the positive PCR samples, in symptomatic dogs, confirmed the presence of E. canis in 4 dogs and the presence of Rickettsia sp. in 8 dogs. Several risk factors were determined, by statistical tests, for each disease, with different results for each one.
Descrição: Tese de mestrado em Microbiologia Clínica, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10451/1083
Appears in Collections:FM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
16583_tese_acabada%5B1%5D.pdf4,31 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE