Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/11206
Título: Formas farmacêuticas efervescentes: uma abordagem alternativa
Autor: Dordio, Helena Cristina Pereira
Orientador: Pinto, João F.
Palavras-chave: Forma farmacêutica sólida efervescente
Comprimido de dupla camada
Comprimido de tripla camada
Efervescência
Estabilidade
Água mineral
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: As formas farmacêuticas efervescentes existem no mercado farmacêutico há mais de 250 anos e caracterizam-se por possuírem na sua composição uma substância com características ácidas e outra com características básicas. Estas, quando em contacto com água, reagem espontaneamente originando um gás, o dióxido de carbono, e água. O objectivo principal deste trabalho é desenvolver uma forma farmacêutica sólida efervescente que permita suprimir um número elevado de desvantagens relacionadas com esta classe de medicamentos, como sejam a instabilidade durante o prazo de validade, condições de fabrico e acondicionamento especiais e, logo, mais dispendiosas. Como metodologia de trabalhou optou-se por produzir e analisar as propriedades de uma forma farmacêutica sólida efervescente com uma formulação clássica, i.e., comprimido efervescente com um par de substâncias ácido-base. Com base nesta formulação e nos resultados obtidos foram-se efectuando pequenas alterações à formulação inicial e verificando de que forma as mesmas tinham, ou não, impacto nas propriedades da forma farmacêutica, sobretudo na reacção de efervescência. Após efectuar e analisar as várias alterações, decidiu-se estudar e fazer variar factores externos à formulação – meio de reacção, nomeadamente tirar partido do pH da água em que se pretende dissolver a forma farmacêutica sólida. As experiências realizadas permitiram concluir que o componente ácido e o básico não necessitam de estar juntos na mesma forma farmacêutica para ocorrer a reacção de efervescência, desde que estejam ambos presentes no meio de reacção. Concluiu-se também que basta juntar um dos componentes estudados, o ácido ou a base, à água com gás para que se desencadeie uma reacção de efervescência.
Effervescent dosage forms have been commercialized for more than 250 years. They have in their formulation an acid and a basic component. Those, react with water expontaneously and origin a gas – carbon dioxide - and water. The purpose of this work was to design an effervescent solid dosage form which could avoid several disadvantages related to effervescent forms, such as their instability during shelf-life and the necessity of exclusive and expensive manufacturing conditions. The work started by producing and analyzing the properties of the “classic” effervescent solid dosage form (effervescent tablet with the acid and basic component). Based on this first formulation, some changes were made to the original formulation and their potential impact was studied, with focus to the effervescent chemical reaction. Upon having studied the dosage forms their selves, it was decided to study the effervescent form’s external factors, e.g. the reaction medium. As a conclusion, it can be said that the acid and the basic component were not required to be combined in the same pharmaceutical form in order to originate the effervescent reaction. It was also concluded that both acid and basic compounds react individually with sparkling mineral water in order to obtain an effervescent reaction.
Descrição: Tese de mestrado, Farmacotecnia Avançada, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2012
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/11206
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_FIM.pdf1,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.