Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Medicina (FM) >
FM - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/1130

Title: Estudo morfofuncional do processo maturativo do colo do útero no trabalho de parto espontâneo e induzido
Authors: Nunes, Filomena Maria Pinheiro, 1965-
Advisor: Graça, Luís Mendes da, 1946-
Keywords: Obstetrícia
Ginecologia
Trabalho de parto induzido
Citocinas
Metaloproteinases
Elastase de leucócito
Dinoprostona
Misoprostol
Nitroglicerina
Colo do útero
Teses de doutoramento
Issue Date: 2008
Abstract: O processo maturativo do colo do útero corresponde a um conjunto de modificações morfológicas, histológicas e funcionais, que precedem e acompanham o trabalho de parto. Nesta tese este processo foi analisado sob as vertentes clínica e laboratorial. Investigação clínica: Estudou-se a maturação induzida do colo do útero, recorrendo à terapêutica clássica (dinoprostona) e a novos fármacos (misoprostol e associação dinoprostona com trinitrato de glicerilo), por via intravaginal.Conclusões:a) O misoprostol e a dinoprostona são fármacos eficazes para a maturação do colo e indução do parto. O misoprostol apresenta vantagens: indução do trabalho de parto mais rápida e menor custo.b) A associação dinoprostona/trinitrato de glicerilo parece ser mais eficaz do que a dinoprostona isolada, condicionando uma fase latente de trabalho de parto mais curta e menor intervalo de tempo desde o início da indução até ao parto, com redução da incidência de taquissistolia uterina. Investigação Laboratorial: Na investigação do processo maturativo do colo do útero esta tese focou-se no envolvimento de mediadores inflamatórios (interleucinas 1ß, 6, 8, 10, 12, factor de necrose tumoral α, elastase leucocitária, metaloproteínases 8 e 9) e hormonais (progesterona, estradiol, gonadotrofina coriónica humana - hCG), através do seu doseamento no muco cervical e no plasma, em situações de trabalho de parto espontâneo e induzido.Conclusões:a) O aumento dos mediadores inflamatórios no muco cervical demonstrou a associação do processo de maturação, espontâneo e induzido, à activação de um fenómeno inflamatório localizado no colo do útero.b) O estradiol e a progesterona não parecem interferir directamente no processo de maturação cervical ou serão apenas modeladores locais. A hCG pode ter um efeito inibidor da acção dos agentes uterotónicos no trabalho de parto induzido.c) As substâncias que melhor se correlacionam com o grau de maturação do colo uterino são a IL-1ß, a IL-8 e a elastase leucocitária.d) A concentração de IL-6 no muco cervical é aquela que apresenta maior possibilidade de ser utilizada como indicador da probabilidade de desencadeamento espontâneo do trabalho de parto.e) Os marcadores bioquímicos que aparentam ter maior viabilidade de poder vir a ser incluídos num índice preditor da capacidade de indutibilidade do trabalho de parto, são a IL-1ß e a IL-8.
The cervical ripening corresponds to a set of morphologic, histological, and functional modifications that precede and follows the progress of labour. This thesis analyses this process under two viewpoints: Clinical ResearchThe induced cervical ripening was analysed based on classic pharmacotherapy (dinoprostone) and new therapeutics (misoprostol and association of dinoprostone with glyceryl trinitrate), by intravaginal administration.Conclusions:a) The misoprostol and the dinoprostone are effective drugs for both cervical ripening and labour induction. A faster labour induction and a lower price are the main advantages of misoprostol.b) The association of dinoprostone with glyceryl trinitrate seems to be more effective than dinoprostone alone, results in a shorter latent phase of labour, a shorter induction-to-vaginal-delivery time and reduces the incidence of uterine tachysystole. Laboratorial ResearchTo investigate the cervical ripening process this thesis focuses on the involvement of inflammatory mediators (interleukins 1ß, 6, 8, 10, 12, tumour necrosis factor α, leucocyte elastase, metalloproteinases 8 and 9) and hormones (progesterone, estradiol, human chorionic gonadotropin - hCG), through measure its levels in the cervical mucus and in the plasma, in spontaneous and induced labour.Conclusions:a) The increase of inflammatory mediators in the cervical mucus, revealed the association of cervical ripening, spontaneous and induced, to the activation of an inflammatory reaction located in the cervix. b) The hormonal mediators, namely the estradiol and the progesterone, seem to not interfere directly in the cervical ripening or will act as local modulators. The hCG may have an inhibiting effect on the action of the uterotonic agents in the induced labour.c) The degree of cervical ripening is better correlated with the cervical levels of IL-1ß, IL-8, and leucocyte elastase.d) The concentration of IL-6 in the cervical mucus is the indicator that presents greater possibility to be used to predict the onset of spontaneous labour.e) The biochemical markers that seem to have greater viability to be included in a predictive index of labour induction are the IL-1ß and the IL-8.
Description: Tese de doutoramento em Medicina (Ginecologia e Obstetrícia), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Medicina, 2008
URI: http://sibul.reitoria.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000537455
http://hdl.handle.net/10451/1130
Appears in Collections:FM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
16571_Tese%20Doutoramento-FNunes.pdf3.23 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE