Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/11368
Título: Perfil de utilização de antiosteoporóticos em doentes das farmácias da rede AIPaFaC
Autor: Ramos, Sara Batista
Orientador: Fernández-Llimós, Fernando
Palavras-chave: Osteoporose
Terapêutica
Perfil de utilização
Fatores de risco
Prevalência
Teses de mestrado - 2012
Data de Defesa: 2012
Resumo: INTRODUÇÃO: A osteoporose é uma doença de origem multifatorial cuja terapêutica engloba a utilização de cálcio/vitamina D e de fármacos antiosteoporóticos. O objetivo deste estudo era caracterizar o padrão de utilização dos fármacos antiosteoporóticos nos utentes habituais das farmácias da rede de investigação baseada na prática AIPaFaC e avaliar a associação entre esse padrão e fatores relativos a comorbilidades e medicação concomitante. MÉTODOS: Desenhou-se um estudo transversal. A população alvo do estudo foram os utentes habituais de 20 farmácias da rede AIPaFaC (N=31129). A recolha da informação foi feita a partir de uma base de dados de investigação. Estudou-se o padrão de utilização dos fármacos antiosteoporóticos. Identificou-se alguns fatores, relativos a comorbilidades e medicação concomitante, possivelmente associados à osteoporose ou a utilização de fármacos antiosteoporóticos. Em algumas vilas, calculou-se a prevalência de osteoporose e do seu tratamento. RESULTADOS: O alendronato foi o fármaco antiosteoporótico mais utilizado (32%), seguido pelo ibandronato (28%), risedronato (12%), ranelato de estrôncio (8%), raloxifeno (7%), calcitonina (5%), bazedoxifeno (4%), teriparatida (2%), denosumab (1%) e PTH (1%). Apenas 36% e 52% dos utentes com tratamento antiosteoporótico utilizavam suplementos de cálcio ou vitamina D, respetivamente. Os utilizadores de glucocorticoides, anticonvulsivantes, inibidores da calcineurina, metotrexato, anticoagulantes orais, antiácidos contendo alumínio, ISRS, IBP ou inibidores da aromatase apresentavam uma maior prevalência de osteoporose (p<0,001). Foi encontrada associação estatística entre a osteoporose e o consumo de benzodiazepinas e antiarrítmicos (p<0,001). Os utentes a tomar bifosfonatos apresentavam um maior consumo de protetores gástricos. Nas vilas analisadas, a prevalência de osteoporose foi em média 6,2% e a prevalência do seu tratamento cerca de 2,9%. CONCLUSÃO: Concluiu-se que a classe de antiosteoporóticos mais utilizada era os bifosfonatos e que a suplementação com cálcio e vitamina D se encontrava longe do ideal. Ficou demonstrada a associação estatística entre a osteoporose e vários fatores relativos a medicação concomitante e comorbilidades.
INTRODUCTION: Osteoporosis is a multifactorial disease which therapy includes the use of calcium and vitamin D, antiresorptive and anabolic agents. The aim of this study was to characterize the pattern of use of anti-osteoporosis drugs among patients of practice based research network (PBRN) AIPaFaC, and evaluate the association between this pattern and factors related to comorbidities and concomitant medication. METHODS: A cross-sectional study was designed. The population of the study included the habitual users of 20 AIPaFaC PBRN pharmacies (N=31129). Data collection was performed from a research database. The pattern of utilization of anti-osteoporosis drugs was studied, as well as some factors relating to comorbidities and concomitant medication, possibly associated with osteoporosis or the use of anti-osteoporosis drugs. In some municipalities, the prevalence of osteoporosis and of its treatment were calculated. RESULTS: Alendronate was the most used anti-osteoporosis drug (32%), followed by ibandronate (28%), risedronate (12%), strontium ranelate (8%), raloxifene (7%), calcitonin (5%), bazedoxifene (4 %), teriparatide (2%), denosumab (1%) and PTH (1%). Only 36% and 52% of users with osteoporosis treatment used calcium or vitamin D supplements, respectively. Patients who used glucocorticoids, anticonvulsants, calcineurin inhibitors, methotrexate, oral anticoagulants, antacids containing aluminum, SSRIs, PPIs or aromatase inhibitors had a higher prevalence of osteoporosis (p<0,001). Statistical association was found between osteoporosis and consumption of benzodiazepines and antiarrhythmic drugs (p<0,001). Users taking bisphosphonates had a higher intake of gastric protectors. In the municipalities studied, the prevalence of osteoporosis had a mean value of 6,2% and the prevalence of their treatment was nearly 2,9%. CONCLUSIONS: It was concluded that the most widely used class of anti-osteoporosis drugs was bisphosphonates and that supplementation with calcium and vitamin D was far from ideal. This study demonstrated the association between osteoporosis and various factors related to concomitant medications and comorbidities.
Descrição: Tese de mestrado, Cuidados Farmacêuticos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2012
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/11368
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado Sara Ramos 2012-09-25.pdf2,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.