Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/11526
Título: Discrepâncias na medicação e reconciliação terapêutica em doentes internados : uma avaliação descritiva
Autor: Domingos, Sónia Cristina Francisco
Orientador: Ramos, Filipa Duarte
Correr, Cassyano Januário
Palavras-chave: Reconciliação terapêutica
Erros de medicação
Eventos adversos relacionados com o medicamento
Discrepâncias
Polimedicação
Retorno no investimento
Teses de mestrado - 2013
Data de Defesa: 2013
Resumo: A reconciliação terapêutica é um processo sistematizado e formal de obtenção e comparação, por doente, da lista completa e exata da farmacoterapia pré-hospitalar (princípio ativo, dose, frequência e via de administração), com a prescrição médica hospitalar nos diferentes interfaces de cuidados, levando à deteção de erros de medicação, denominados neste contexto, por discrepâncias. Estas discrepâncias podem ser classificadas como documentadas ou não documentadas, intencionais ou não intencionais, sendo as não documentadas e não intencionais, aquelas que determinam a intervenção do farmacêutico. Este trabalho teve por objetivo principal identificar, quantificar e classificar as discrepâncias detetadas entre a medicação pré-hospitalar e a medicação prescrita após admissão hospitalar, numa enfermaria com vertente cirúrgica (Orto-Traumatologia) do Hospital Garcia de Orta EPE, Almada – Portugal, entre 1 de Outubro e 14 de Dezembro de 2012, bem como, calcular o potencial impacto económico do processo de reconciliação terapêutica. Durante o período de estudo, 268 doentes foram admitidos na Unidade de Orto-Traumatologia do HGO. Destes, 196 apresentavam idade igual ou superior a 50 anos, dos quais 78 foram excluídos e 118 foram considerados elegíveis para ser incluídos no estudo. Um total de 365 discrepâncias foram detetadas em 96 doentes, com uma média de 3,09±2,6 [0;10] discrepâncias por doente, das quais 160 (43,8%) eram documentadas e intencionais ( x = 1,36 discrepâncias por doente) e 205 (56,2%) eram não documentadas e não intencionais (x = 1,74 discrepâncias por doente). As discrepâncias documentadas e intencionais são do conhecimento médico e como o próprio nome indica foram propositadas. Já as discrepâncias não documentadas e não intencionais, sendo involuntárias, são as discrepâncias que constituem potenciais erros de medicação e é sobre elas que nos vamos focar. Dos 96 doentes sinalizados com discrepâncias, 66 (68,8%) apresentava pelo menos uma discrepância não documentada e não intencional. Assim, baseando-nos no número médio de discrepâncias não intencionais detetado no presente estudo, no valor hora de um farmacêutico no HGO e no número de doentes com 50 ou mais anos que foram internados na enfermaria do presente estudo e que poderiam ser reconciliados em 2012, chegámos a uma poupança líquida anual estimada de 19.753,90 €. Este valor seria claramente superior se implementado a nível nacional.
Medication reconciliation is a formal and systematic process of obtaining and comparing, per patient, complete and accurate list of pre-hospital pharmacotherapy (active principle, dose, frequency and route of administration), with hospital prescription in different interfaces of care, leading to the detection of medication errors, called in this context, discrepancies. These discrepancies can be classified as documented or undocumented, intentional or unintentional, being the undocumented and unintentional, those that determine the intervention of pharmacist. The goal of this study is identifying, quantifying and classifying the detected discrepancies between the pre-hospital medication and prescribed medication after admission in a surgical unit (Ortho-Trauma) of Hospital Garcia de Orta EPE, Almada - Portugal, from October 1 to December 14, 2012, as well as calculate the potential economic impact of the medication reconciliation process. During the study period, 268 patients were admitted to the Ortho-Traumatology unit of HGO. Of these, 196 patients had 50 or over than 50 years, of which 78 were excluded and 118 were eligible to be included in the study. A total of 365 discrepancies were detected in 96 patients with a mean of 3.09 ± 2.6 [0, 10] discrepancies per patient, of which 160 (43.8%) were documented and intentional ( x = 1.36 discrepancies per patient) and 205 (56.2%) were undocumented and unintentional ( x = 1.74 discrepancies per patient). The documented and intentional discrepancies are of medical knowledge and as its name indicates were intentional. On the other hand, undocumented and unintended discrepancies, are involuntary and are potential medication errors and it is these that we will focus. Of the 96 patients with marked discrepancies, 66 (68.8%) had at least one undocumented and unintentional discrepancies. Based on the average number of un documented andunintentional discrepancies detected in the present study, the salary of a pharmacist in HGO and making an extrapolation to the number of patients that could be reconciled in a year, only in the Ortho-Traumatology unit of HGO, we could have a estimated net annual savings of € 19,753.90. This value would clearly be higher if implemented nationwide.
Descrição: Tese de mestrado, Farmácia Hospitalar, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2013
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/11526
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.