Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/11689
Título: A identidade social : trajectória de um discurso ideológico em José Saramago e Miguel Otero Silva
Autor: Baltazar, Raquel Corte-Real do Nascimento, 1979-
Orientador: Ribeiro, Cristina Almeida, 1955-
Palavras-chave: Saramago, José, 1922-2010 - Crítica e interpretação
Otero Silva, Miguel, 1908-1985 - Crítica e interpretação
Identidade colectiva - Na literatura
Teses de doutoramento - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: O presente estudo incide sobre a temática da identidade social nas obras do escritor português José Saramago e do autor venezuelano Miguel Otero Silva. Se o compromisso social das narrativas de José Saramago problematiza o conceito de identidade a partir de um discurso intemporal, as obras oterianas apropriam-se do real para uma procura da identidade social de um espaço em reestruturação política e económica. Os romances Casas muertas (1955) e Levantado do Chão (1980) concretizam o paradoxo metaficcional da consciencialização progressiva do sujeito a partir de uma alienação sócio-política. Obras de repressão centradas nas ditaduras de Gómez e de Salazar, respectivamente, transformam-se em intérpretes sociais de uma humanidade que vive no limiar da sobrevivência. O estilo de narração confessional realça as interrogações retóricas do comportamento humano e da construção ideológica. As obras Oficina Nº 1 (1961) e A Caverna (2000) revelam-se metáforas do obscurecimento da razão e alertam para a incapacidade de desenvolvimento de uma sociedade mais justa devido a mecanismos económicos controladores. A partir de um desejo de enriquecimento na exploração petrolífera ou na figura de um centro comercial que suscita ambições de ordem capitalista, aparecem retratadas sociedades que aniquilam a introspecção ideológica em virtude de uma realidade ilusória. As personagens são encantadas por espaços distópicos contemporâneos, por um falso progresso e por uma modernização desigual e desintegradora. A análise de La Muerte de Honorio (1963) e Ensaio sobre a Cegueira (1995) completa esta viagem identitária a partir de um exercício de autognose em forma de literatura de denúncia, em que ocorre o resgate da experiência humana a partir de situações de epidemia, cativeiro e tortura. Trata-se de percursos literários humanistas que permitem o questionamento das estruturas da identidade social na modernidade.
This study focuses on the theme of social identity in the novels of Portuguese writer José Saramago and Venezuelan author Miguel Otero Silva. If the social commitment of the novels of José Saramago questions the concept of identity from an intemporal discourse, the oterian novels realise the search for social identity. The novels Casas muertas (1955) and Levantado do Chão (1980) embody the metafictional paradox of the individual’s progressive awareness of a socio-political alienation. The novels focus on the repressions of respectively Gómez and Salazar’s dictatorships, thus becoming social interpreters of a humanity that lives on the edges of survival. The confessional narrative style emphasizes rhetorical interrogations of human behaviour and of ideological construction. The novels Oficina Nº 1 (1961) and A Caverna (2000) are metaphors of the loss of reason which alerts for the incapacity of development of a fairer society due to economic controlling mechanisms. Through a desire for enrichment related to oil exploration, or in the figure of a shopping center that originates ambitions of a capitalist order, societies appear to annihilate ideological insight in favour of an illusory reality. The characters are enchanted by contemporary dystopian spaces, a false progress and an uneven and disruptive modernization. The study of La muerte de Honorio (1963) and Ensaio sobre a Cegueira (1995) complete this voyage through an exercise of autognosis in the shape of literature of denouncement, with the redemption of human experiences through situations of epidemic, bondage and torture. These are literary journeys that question the structures of social identity.
Descrição: Tese de doutoramento, Estudos de Literatura e de Cultura (Estudos Comparatistas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/11689
Aparece nas colecções:FL - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd068768_td_Raquel_Baltazar.pdf1,42 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.