Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/11805
Título: Estudo da bolota de Quercus rotundifolia Lam. como indicador precoce do stress hídrico ao longo de um gradiente climático no Alentejo (SE, Portugal)
Autor: Oliveira, Tatiana Evangelista Gomes de
Orientador: Máguas, Cristina, 1962-
Palavras-chave: Alterações climáticas
Fisiologia vegetal
Stress hídrico
Quercus rotumdifolia
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: As alterações climáticas tem influenciado diretamente no balanço energético da Terra no espaço e nos seus ecossistemas. Em regiões de clima Mediterrânico, essa influência ainda é mais visível devido às grandes amplitudes térmicas anuais. As respostas das plantas a estas mudanças irá depender basicamente dos regimes de precipitação aos quais elas estão expostas e das estratégias específicas dessas plantas, em particular a tolerância e a resistência à seca. De entre os diversos órgãos da planta, as sementes tem-se tornado uma ferramenta de pesquisa extremamente relevante no que diz respeito ao estudo da fisiologia da planta e das suas interações com o meio ambiente. Isto porque tem como principal característica armazenar as reservas de nutrientes necessários para o desenvolvimento de uma nova planta nos primeiros estágios de vida. Para este estudo, foram utlizadas sementes de Quercus rotundifolia Lam., espécie conhecida por azinheira, tipicamente mediterrânica, com uma elevada plasticidade e tolerância à seca, muito frequente na paisagem alentejana. Foram colhidas amostras em 25 locais de estudo em Novembro de 2012 ao longo de um gradiente climático, desde a costa atlântica até à margem esquerda do Guadiana. Foram analisados parâmetros morfológicos, químicos e da composição isotópica das bolotas no intuito de estudar a estratégia adotada pela azinheira e as suas adaptações fisico-químicas em situação de stress hídrico. Como resultado, o peso médio foi o parâmetro morfológico que melhor se relacionou com as variáveis climáticas, apresentando uma correlação negativa as temperaturas elevadas de Verão e positivamente correlacionado com a precipitação de Inverno. Embora não se tenha observado nenhuma correlação significativa entre os parâmetros químicos e as variáveis climáticas estudadas, observou-se que o tamanho da bolota estava correlacionado com o conteúdo em açúcares solúveis. Em relação aos parâmetros isotópicos, destacou-se a composição isotópica do azoto ( δ15N), o qual apresentou uma correlação negativa com o índice de aridez associado a cada ponto de amostragem ao longo do gradiente estudado. Já a composição isotópica do carbono (δ13C) apresentou uma correlação negativa significativa com a temperatura média de Inverno; enquanto a composição isotópica do oxigénio (δ18O) mostra uma relação positiva com a mesma. O conteúdo em carbono (%C) também apresentou uma correlação positiva com o índice de aridez, enquanto que a percentagem de azoto (%N) correlacionou-se negativamente com a temperatura sazonal. Para identificar quais as variáveis climáticas que melhor explicaram o desenvolvimento da bolota ao longo do gradiente climático, aplicou-se uma análise de componentes principais (PCA) agrupando todas as variáveis climáticas em fatores, dos quais os dois primeiros explicaram 90,16% (74,84 % + 15,21%) da variância observada. Deste modo, o primeiro eixo agrupou as variáveis de temperatura (valores elevados de temperatura) e precipitação (valores baixos) e, no segundo eixo, variáveis relacionadas com temperaturas baixas e precipitação do mês mais seco. Perantes estes resultados, concluiu-se que as bolotas de Quercus rotundifolia Lam. demonstraram ser muito sensíveis às mudanças climáticas, revelando uma relação com a composição química e a morfologia. Deste modo, as bolotas registaram a resposta das plantas à seca e às condições de stress hídrico ao longo do gradiente climático. Como considerações finais, é de salientar que este foi um primeiro estudo e que mais estudos devem ser realizados de modo a poder utilizar as sementes como indicadores nos estudos das relações entre a resposta das plantas às alterações ambientais.
Climate change has directly influenced the energetic balance in space on Earth and its ecosystems. In Mediterranean regions, this influence is even more visible due to the large annual temperature range. Plant responses to these changes will depend largely on the precipitation regimes which they are exposed and the specific strategies of these plants, in particular tolerance and drought resistance. Within diferent organs of the plant, seeds have become an extremely important research tool in regard to the study of plant physiology and its interactions with the environment. The reason is its main characteristic of storing reserves of nutrients needed for the development of a plant in its early stages of life. For this study, it was chosen seeds of Quercus rotundifolia Lam., known as Holm oak, tipically Mediterranean species, with high plasticity and drought tolerance, very common in the Alentejo landscape. Samples were collected from 25 study sites in November 2012 along a climate gradient from the Atlantic coastto the left bank of the Guadiana. It were analyzed morphological , chemical and isotopic parameters of acorns in order to study the strategy adopted by holm oaks and its physico-chemical adaptations to water stress.Asa result, the average weight was the parameter that correlated best with climate variables, which showed negative correlation between the high summer temperatures and positively correlated with winter precipitation. Although it was not observed any significant correlation between chemical parameters and climate variables, it was observed that the size of the acorn correlated with the content of soluble sugars. Concerning the isotopic parameters, the isotopic composition of nitrogen (δ15N) showed a negative correlation with with aridity index, associated with each one of the studies sites within the gradient. Furthermore, the carbon isotope composition (δ13C) showed a significant negative correlation with the average temperature of winter, while the isotopic composition of oxygen (δ18O) shows a positive relationship with it. The carbon content (% C) also showed a positive correlation with the index of aridity, while the percentage of nitrogen (% N) was negatively correlated with seasonal temperature. To identify climate variables that explain the development of acorn along the climate gradient, we applied a principal component analysis (PCA) gathering all climate variables on factors, of which the first two accounted for 90.16 % (74 84% + 15.21%) of the observed variance. Thus, the first axis grouped variables temperature (related with high values) and precipitation (related with lower values) and in the second axis, variables related to low temperatures and precipitation in the driest month.Faced of these results, it was concluded that the acorns of Quercus rotundifolia Lam. proved to be very sensitive to climate change, revealing a relationship with the chemical composition and morphology. Thus, acorns recorded the response of plants to drought and water stress conditions along the climate gradient. As conclusion it is noteworthy that this was a preliminary study and further studies should be conducted in order to use
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Biologia da Conservação). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/11805
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc109430_tm_tatiana_oliveira.pdf1,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.