Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/12150
Título: Entre padronização e discricionariedade : reconfigurações do conhecimento médico na medicina geral e familiar
Autor: Raposo, Hélder
Orientador: Garcia, José Luís
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: O pressuposto da indispensabilidade da padronização das práticas profissionais médicas corresponde, actualmente, à visão epistémica, política e organizativa predominante. A sua justificação funda-se no argumento de que é fundamental ultrapassar a efectiva variação e contingência dessas práticas, dado que a sua diversidade é entendida como geradora de problemas não só ao nível da qualidade dos cuidados de saúde, mas também, e sobretudo, ao nível do controlo e da racionalização dos custos inerentes à prestação dos cuidados em contextos marcados por crescentes constrangimentos de sustentabilidade financeira. No quadro de um novo ambiente regulatório que enfatiza a prestação de contas em detrimento da autonomia profissional, o desenvolvimento de várias ferramentas formais para o reforço da objectividade das decisões médicas, como são por excelência as Normas de Orientação Clínica, constitui-se, por isso, com uma das orientações privilegiadas. Contudo, as implicações do conhecimento codificado na natureza do trabalho profissional não são inócuas, pelo que tendem a suscitar vários tipos de resistência às tentativas de explicitação e formalização do conhecimento, desde logo porque o julgamento clínico (baseado no conhecimento indeterminado) se constitui como o sustentáculo da discricionariedade profissional. Para explorar o alcance da padronização na prática clínica e os seus efeitos no profissionalismo médico, empreendo uma análise compreensiva acerca da dimensão contextual e situada do conhecimento nas práticas profissionais concretas dos médicos de Medicina Geral e Familiar – em dois contextos organizacionais específicos - com o propósito de discernir de que forma estes se vinculam aos instrumentos formais e em que medida procedem a articulações compósitas entre diferentes epistemologias médicas. Como conclusão, constata-se que apesar da resiliência face às transformações do contexto político-institucional e do envolvimento activo desta especialidade na negociação das iniciativas regulatórias, há constrangimentos concretos que conduzem a reconfigurações com resultados ambivalentes na matriz do seu modelo de profissionalismo.
Nowadays the premise of the indispensability of the standardization of medical practices is the predominant epistemic, political and organizational perspective, which is justified by the argument that it is crucial to overcome the actual variation and contingency of those practices. This is due to the fact that the diversity of professional practices is understood as a source of problems not only in the quality of health care, but also, and above all, in the control and rationalization of its costs, in a context defined by increasing financial constraints. Under a new regulatory environment that emphasizes accountability at the expense of professional autonomy, the development of a variety of formal instruments (like clinical guidelines) to strengthen the objectivity of medical decisions is privileged. However, the impact of encoded knowledge in the nature of professional work is not innocuous, and tends to produce several forms of resistance to the attempts to clarify and formalize knowledge because, among other reasons, clinical judgment (based on indeterminate knowledge) is the foundation of the discretionary among clinicians. In order to explore the scope of standardization in clinical practice and its effects on medical professionalism, I undertake a comprehensive analysis of the contextual and situated dimension of knowledge in doctors’ specific professional practices, specifically in General Practice and Family Medicine - in the context of two specific organizations. My aim is to discern how doctors relate to formal instruments and to what extent they make composite associations between different medical epistemologies. My conclusion is that despite the resilience to changes in the political-institutional context and the active involvement of General Practice and Family Medicine in negotiating regulatory initiatives, there are specific constraints leading to reconfigurations with mixed results on the framework of its professionalism model.
Descrição: Tese de doutoramento, Ciências Sociais (Sociologia Geral), Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/12150
Designação: Doutoramento em Ciências Sociais
Aparece nas colecções:ICS - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd069004_td_tese.pdfTese2,83 MBAdobe PDFVer/Abrir
ulsd069004_td_errata.pdfErrata85,87 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.