Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/12394
Título: Infecção do local cirúrgico em doentes submetidos a artroplastias no Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida
Autor: Saraiva, Raquel Cristina Borges Melo Pinto
Orientador: Lopes, Maria Manuel Pereira
Ferreira, Ana Maria Gomes
Palavras-chave: Artroplastia primária
Factores de risco
Infecção do local cirúrgico
Profilaxia antimicrobiana cirúrgica
Teses de mestrado - 2009
Data de Defesa: 2009
Resumo: Introdução: A artroplastia é uma terapêutica cirúrgica actualmente muito frequente e com resultados inquestionáveis, permitindo melhorar a qualidade de vida das pessoas. Contudo, em alguns casos, esta cirurgia é complicada por infecção do local cirúrgico, sendo a seguir ao loosening, a segunda complicação mais comum de uma artroplastia e a infecção nosocomial mais frequente no doente cirúrgico, contabilizando 38% do total de infecções. A sua ocorrência tem elevadas implicações sócio-económicas, sendo responsável por um aumento do tempo de internamento hospitalar, dos custos dos cuidados de saúde e das taxas de morbilidade e mortalidade. Objectivos: Os objectivos deste estudo consistiram na determinação da prevalência de infecção do local cirúrgico nos doentes submetidos a artroplastias primárias, de Janeiro de 2005 a Janeiro de 2006, no Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida (HOJA) em Portugal, na avaliação da importância relativa dos diferentes factores de risco nestes doentes, bem como na análise do cumprimento e adequação do protocolo profiláctico utilizado no hospital desde 1999. Metodologia: Para a concretização dos objectivos propostos foi conduzido um estudo observacional descritivo com orientação cronológica longitudinal retrospectiva, tendo sido estudados os doentes submetidos a artroplastias primárias da anca, joelho e ombro e que não apresentavam infecção do local cirúrgico prévia à cirurgia. A identificação de casos de infecção do local cirúrgico foi efectuada com base nas guidelines do Centers for Disease Prevention and Control. A análise estatística univariada foi efectuada pelos testes Qui-quadrado de Pearson ou Fisher exacto para cada variável explicativa em relação à variável dependente. A análise multivariada foi efectuada por regressão logística utilizando o método Forward Stepwise. Foi assumido um nível de significância de p  0,050 e, como medida de avaliação do risco, foram calculados os Odds Ratio estimados e os respectivos intervalos de confiança de 95%. Resultados: Foram estudadas 208 artroplastias e obteve-se uma prevalência de infecção do local cirúrgico de 7,7%. Através da análise univariada os factores de risco que revelaram uma intensidade de associação considerável (Odds Ratio ≥ 2) e uma associação estatisticamente significativa (p  0,05) com a ocorrência de ILC foram o tempo total de internamento superior a 30 dias (OR = 6,260), o tempo de internamento pós-operatório superior a 15 dias (OR = 5,010) e a realização de artroplastia total do joelho (OR = 4,460). Contudo, após ajustamento dos valores dos Odds Ratio brutos com todas as co-variáveis, só o tempo total de internamento superior a 30 dias (OR = 9,346) e a realização de artroplastia total do joelho (OR = 6,930) mantiveram uma intensa e significativa associação. Conclusões: Os resultados do estudo revelaram uma prevalência de infecção do local cirúrgico elevada, tendo em conta que os valores referidos na literatura para a cirurgia limpa oscilam entre 2% e 5%. Várias causas poderão justificar essa elevada prevalência, nomeadamente uma já não adequação do protocolo profiláctico utilizado no HOJA desde 1999, embora não se tenha verificado uma associação estatisticamente significativa para esta variável. Apesar de algumas limitações do estudo, os resultados sugerem uma maior preocupação e atenção para com os doentes submetidos a um tempo de internamento superior a 30 dias e a artroplastia total do joelho, pela magnitude da associação com o desenvolvimento de infecção do local cirúrgico, bem como uma revisão do protocolo profiláctico instituído.
Introduction: Arthroplasty is currently a very frequent surgical therapy with unquestionable good results, improving the quality of life. However, in some cases, this surgery is complicated by surgical site infection, the nosocomial infection most frequent among surgical patients, accounting for 38% of all such infections and that is after loosening, the second major complication. Its occurrence has high social and economic implications, being responsible for an increase of the length of stay, increase in health care costs, morbidity and mortality. Objectives: The aim of this study was to assess the prevalence of surgical site infection in patients that were submitted to a primary arthroplasty, from January 2005 to January 2006, at Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida (HOJA) - Portugal, to evaluate the relative importance of the different risk factors in these patients, and to analyse the adherence and adequacy of a prophylactic protocol used in this hospital since 1999. Methodology: It was conducted an observational descriptive study with retrospective longitudinal chronological orientation. We studied patients submitted to primary arthroplasty of the hip, knee and shoulder that did not have previous infection at surgical site. The identification of cases of surgical site infection was made based on the guidelines of the Center for Disease Prevention and Control. Chi-square and Fisher exact tests were performed to assess the significance of different risk factors to develop surgical site infection in univariate analysis. To identify risk factors independently associated with surgical site infection, variables found to be significantly in the univariate analysis were entered into a Forward Stepwise logistic-regression model. A value of p  0,05 was considered statistically significant. Results: We studied 208 arthroplasties and we found the prevalence of surgical site infection was 7.7%. Those risk factors showed in univariate analysis a strong correlation (Odds Ratio ≥ 2) and a statistically significant association (p  0,05) with the occurrence of infection at surgical site were: total length of stay over 30 days (OR = 6.260), postoperative length of stay over 15 days (OR= 5.010) and total knee arthroplasty (OR= 4.460). However, after adjustment by logistic regression analysis, using a stepwise procedure, only total length of stay over 30 days (OR = 9,346) and total knee arthroplasty (OR = 6,930) stayed as the main risk factors for the surgical site infection. Conclusions: Taking into account that the values referred in literature for clean surgery ranged between 2% and 5%, the results of this study revealed a high prevalence of surgical site infection. Several causes could justify this high prevalence, like an inadequate prophylactic protocol used in the hospital since 1999, though it was not found a statistically significant association for this variable. Despite the limitations of this study, the results suggest that a major concern should be paied to patients with total length of stay over 30 days and to patients submitted to total knee arthroplasty. The prophylactic protocol should also be reviewed.
Descrição: Tese de mestrado, Farmácia Hospitalar, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/12394
Designação: Mestrado em Farmácia Hospitalar
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
capa.pdfCapa39,09 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!
Parte 1.pdfParte 1141,28 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!
Parte 2.pdfParte 21 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.