Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/1415

Title: Poderá a astaxantina aumentar o sucesso ecológico da Daphnia?
Authors: Costa, Liliana Santos
Advisor: Boavida, Maria José de Lemos
Carvalho, Maria José Caramujo Rocha de
Keywords: Algas
Daphnia
Ecologia
Teses de mestrado
Issue Date: 2009
Abstract: Vários estudos provaram que as radiações ultravioletas (UVB e UVA) causam danos nos organismos, porém ainda existe muito a clarificar neste campo, uma vez que as respostas à radiação UV parecem ter um carácter específico, variando com a espécie considerada. Neste estudo, a alga verde Chlamydomonas reinhardtii foi exposta a radiação PAR (Radiação Fotossinteticamente Activa) e à radiação mista PAR+UVA, revelando diferenças significativas no conteúdo em carotenóides, que foram superiores em algas expostas a PAR+UVA do que em algas expostas só a radiação PAR. A Daphnia magna também foi exposta a PAR e PAR+UVA, e foi alimentada com três dietas diferentes de: algas expostas a (i) PAR, a (ii) PAR+UVA e a (iii) PAR às quais foi suplementado o pigmento carotenóide astaxantina. O crescimento de D. magna e o seu potencial reprodutor não foram significativamente afectados, nem pela exposição directa, nem indirectamente, através da dieta com algas expostas a UVA. O suplemento de astaxantina não melhorou a resposta da D. magna à UVA relativamente à resposta obtida com uma dieta sem suplemento. O mesmo design experimental foi aplicado à Daphnia obtusa que mostrou uma tendência para produzir menos ovos sob a UVA e para produzir mais ovos com a dieta suplementada com astaxantina, apesar de estas diferenças não serem estatisticamente significativas
Several research articles have shown that UVB and UVA radiation cause damage to living organisms, but there is still much to clarify in this field because UVR responses seem to be species specific. In this study, the green alga Chlamydomonas reinhardtii was exposed to PAR (Photosynthetically Active Radiation) and UVA+PAR radiation, producing significantly higher concentrations of carotenoids under UVA+PAR. Daphnia magna was also exposed to PAR and PAR+UVA, and was fed three different diets: Algae exposed to (i) PAR, (ii) PAR+UVA and (iii) PAR supplemented with carotenoid astaxanthin. D. magna was not affected, either by direct exposure or indirectly, through the diet with UVA stressed algae. Astaxanthin did not improve D. magna response to UVA in relation to a diet without this pigment. The same experimental design was applied to Daphnia obtusa and, in this case, although there were not statistically significant differences, a trend to produce fewer eggs under UVA was observed, and more eggs with the diet supplemented with astaxanthin
Description: Tese de mestrado, Ecologia e Gestão Ambiental, 2009, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000569373
http://hdl.handle.net/10451/1415
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
20475_ulfc080625_tm.pdf833.7 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE