Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15415
Título: Qualidade do sono, higiene do sono e crenças sobre o sono em adolescentes : estudo exploratório com adolescentes entre os 14 e os 18 anos
Autor: Cortez, Carolina de Almeida Salgado
Orientador: Santos, Margarida M. Magalhães Cabugueira Custódio dos, 1959-
Palavras-chave: Sono
Adolescência
Crenças
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: A prevalência de problemas de sono na adolescência é bastante significativa. As suas consequências interferem no bem-estar e no desenvolvimento saudável desta população (Hamilton, 2009). A investigação tem demonstrado a importância de compreender os determinantes do sono na adolescência (LeBourgeois, Giannotti, Cortesi, Wolfson & Harsh, 2005) Esta investigação teve como objectivo explorar a Qualidade, a Higiene e as Crenças sobre o sono na adolescência. Foram adaptados e validados 3 questionários para a população portuguesa: a escala de Auto-avaliação da Qualidade do Sono na Adolescência- AQSA (LeBourgeois et al, 2005), a Escala de Higiene do Sono para Adolescentes - EHSA (Storfer-Isser, LeBourgeois, Harsh, Tompsett & Redline, 2013) e a Escala de Crenças Disfuncionais sobre o Sono – ECDS (Blunden, Gregory & Crawford, 2013). Os 3 questionários demonstram propriedades psicométricas promissoras para utilização na população portuguesa. Integraram a amostra 378 participantes, com idades entre os 14 e os 18 anos (M=15,96; DP=1,26). A recolha de dados teve lugar num Estabelecimento Público de Ensino Básico e Secundário, em Chaves. Os adolescentes dormem um número de horas relativamente adequado, durante a semana e ao fim-de-semana. A discrepância de horas dormidas durante a semana e o fim-de-semana é significativa (1h20). Somente 17% dos pais participam no estabelecimento de horas para dormir. Os adolescentes demonstram-se mediamente satisfeitos com a qualidade do seu sono, têm valores médios de higiene de sono, e crenças pouco disfuncionais sobre o sono. No entanto, 38% considera ter problemas de sono. Estes adolescentes obtiveram valores significativamente mais baixos em todas as medidas de sono. As raparigas apresentam resultados mais elevados de qualidade e higiene do sono, e crenças mais disfuncionais sobre o sono. Os 3 construtos apresentam correlações significativas entre si, sendo a mais forte entre a qualidade e a higiene do sono. As maiores dificuldades prendem-se com a preparação da hora de deitar, a passagem para a vigília, e o controlo das preocupações quotidianas na hora de dormir. Neste estudo, 31% da qualidade do sono é explicada pela higiene do sono e crenças sobre o sono. Estes resultados alertam-nos para a necessidade de integrar estes dois determinantes em intervenções que visem a melhoria do sono.
The prevalence of sleep problems in adolescence is quite significant. The consequences affect the well-being and healthy development of this population (Hamilton, 2009). Research has demonstrated the importance of understanding the determinants of sleep during adolescence (LeBourgeois, Giannotti, Cortesi, Wolfson & Harsh, 2005, 2005) This research aimed to explore the Quality, Hygiene and Beliefs about sleep in adolescence. 3 questionnaires were adapted and validated for the Portuguese population: the adolescent sleep-wake scale (LeBourgeois et al, 2005), the adolescent hygiene sleep scale (Storfer-Isser, LeBourgeois, Harsh, Tompsett & Redline, 2013) and the dysfunctional believes about sleep scale (Blunden, Gregory & Crawford, 2013). The 3 questionnaires showed promising psychometric properties for use with the Portuguese population. The sample included 378 participants, aged between 14 and 18 years old (M = 15.96, SD = 1.26). Data collection took place in a Public Establishment of Basic and Secondary Education, in Chaves. Adolescents sleep an adequate number of hours during the week and the weekend. The discrepancy of hours slept during the week and the weekend is significant (1h20). Only 17% of parents participate in setting hours for sleep. Adolescents appear to be moderately satisfied with the quality of their sleep, have mean values of sleep hygiene, and few dysfunctional beliefs about sleep. However, 38% consider having sleep problems. These adolescents had significantly lower values in all measures of sleep. Girls have higher quality results and sleep hygiene, and more dysfunctional beliefs about sleep. The 3 constructs show significant correlations among them, being the strongest between quality and sleep hygiene. The greatest difficulties are related to the preparation of bedtime, the transition to wakefulness, and control their daily worries at bedtime. In this study, 31% of sleep quality was explained by sleep hygiene and dysfunctional beliefs about sleep. These findings alert us to the need to integrate these two determinants in interventions to improve sleep quality.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15415
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie046660_tm.pdf1,86 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.