Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15579
Título: Family history of diabetes: a risk analysis
Autor: Mataloto, Pedro André Mendes, 1990-
Orientador: Macedo, Paula
Crespo, Ana Maria Viegas, 1946-
Palavras-chave: Diabetes mellitus
Factores familiares
Factores de risco
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: Family history of diabetes (FHD) has been recognized over the years as an important risk factor of the disease. Thus herein we evaluate the importance of FHD in the development of the three more prevalent types of diabetes, namely type 1 diabetes (T1D), Latent autoimmune diabetes of adults (LADA) and type 2 diabetes. Our research study can be divided in two different parts: study 1, a clinico-epidemiological study with a sample of 16.874 clinic files of people with diabetes (T1D, LADA and T2D); study 2, a preliminary clinic study with 23 siblings of type 2 diabetic patients. The metabolic profile of siblings was assessed with the performance of a modified OGTT with blood collections (0, 30, 90 and 120 mins). The results of study 1 indicated that the presence of a sibling with T1D or a sibling with T2D is the high risk factor among FHD to develop T1D (14-fold) or T2D (6-fold), respectively. The high risk factor to develop LADA is the presence of different types of diabetes in parents (11-fold). The study 1 also indicated that type 2 diabetes was the prevalent type of diabetes among the siblings of each type of people with diabetes evaluated. Thus, in study 2 we addressed the hypothesis that siblings of type 2 diabetics have a risk to develop diabetes and for that we evaluated their metabolic profile. The results of this study indicated a high prevalence of obesity among the siblings-T2D, mainly visceral, high levels of LDL-cholesterol, low levels of HDL-cholesterol as well as high prevalence of fatty liver disease. These features can be related with a lower decrease of hepatic insulin clearance in the first 30 minutes of the OGTT. It was concluding that presence of diabetes in siblings is the high risk factor to develop T1D and T2D, and this fact can be related with impairment in hepatic insulin clearance process.
A presença de história familiar de diabetes (HFD) está descrita como um factor de risco importante para o desenvolvimento da doença. A HFD representa uma informação genómica valiosa porque caracteriza as interacções combinadas entre os factores ambientais, comportamentais e genéticos. Este é também um factor que tem apresentado elevada variabilidade entre populações, sendo de esta forma fundamental caracterizar a HFD de uma amostra da população portuguesa - pacientes da maior clínica de diabetes em Portugal, a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP). O presente trabalho de investigação cientifica pode ser dividido em duas partes: estudo 1, foi um estudo clínico/epidemiológico, que consistiu na analise da HFD dos pacientes acompanhados na APDP num período de 5 anos (2009-2013). A amostra foi composta por um total de 16.874 fichas clínicas, englobando pessoas com diabetes tipo 1 (n=3013), pessoas com diabetes Latente Autoimune do Adulto (n=373) e pessoas com diabetes tipo 2 (n = 13488); e estudo 2, - um estudo clinico preliminar, com uma amostra de 23 irmãos de pessoas com diabetes tipo 2. O perfil metabólico de resposta a uma prova modificada de tolerância oral à glicose foi avalaliado ao longo do tempo em com 4 pontos escolhidos previamente (0, 30, 90, 120 minutos). No estudo 1, foi observado que o maior risco em termos de HFD de primeiro grau para o desenvolvimento de diabetes tipo 1 é a presença de um irmão com diabetes tipo 1 (14 vezes), enquanto o factor familiar de maior risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2 é a presença de um irmão com diabetes tipo 2 (6 vezes). Nos indivíduos com LADA foi detectado que o maior risco de desenvolver este tipo de diabetes, ocorre na presença de pais com diabetes de diferentes tipos. Foi também interessante observar as respetivas médias de idade do aparecimento dos três tipos de diabetes que se ajustam ao já observado na literatura. Tendo em conta estes resultados, nomeadamente a importância do parentesco entre irmãos constituir um fator de risco para a ocorrência de diabetes, e ainda pelo facto de a prevalência de irmãos com diabetes tipo 2 ser mais elevada em todos os tipos de pacientes analisados, foi decidido proceder-se ao estudo 2. Ou seja, com o estudo 1 foi possível perceber quais os grupos de maior risco para desenvolver a doença, enquanto que com o estudo 2 foram analisadas possíveis alterações metabólicas associadas a um elevado risco de desenvolver diabetes que pode ser detectado nos irmãos de pessoas com diabetes tipo 2. Os resultados dos estudos revelaram uma elevada prevalência de obesidade, principalmente de tipo visceral, níveis elevados de colesterol LDL e níveis baixos de colesterol HDL, bem como uma prevalência de perto de 100 % de esteatose hepática. Estas alterações metabólicas que estão intrinsecamente ligadas à diabetes tipo 2 parecem estar relacionadas com uma menor diminuição da clearance nos primeiros 30 minutos da prova de tolerância à glicose oral. Este estudo permitiu concluir que os irmãos das pessoas com diabetes tipo 2 são de facto um grupo de risco para o desenvolvimento da doença, e que as diversas alterações metabólicas parecem estar relacionadas com um funcionamento inadequado do processo de clearance da insulina.
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Biologia Humana e Ambiente). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15579
Designação: Mestrado em Biologia Humana e Ambiente
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc107457_tm_pedro_mataloto.pdf1,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.