Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15701
Título: Hidrocarbonetos aromáticos policíclicos: concentração e (bio)disponibilidade
Autor: Torre, Cheila Neves Mandim da, 1982-
Orientador: Caçador, Maria Isabel Violante, 1953-
Borges, Carlos
Palavras-chave: Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos
Estuário do Tejo - Portugal
Ria Formosa - Portugal
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: A monitorização do ambiente marinho nas últimas décadas tem sido efectuada com grande ênfase na avaliação de contaminantes químicos em diversas matrizes (água, sedimento e biota). Nestas, têm sido rotineiramente monitorizados os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, PAHs (Polycyclic Aromatic Hydrocarbons) e os seus derivados alquilados. Com este trabalho optimizou-se a detecção e quantificação dos PAHs e dos seus derivados alquilados, através da técnica de Cromatografia Gasosa acoplada à Detecção por Espectrometria de Massa (GC-MSD), e foram comparados os valores da concentração com a sua (bio)disponibilidade na planta Spartina maritima. A grande maioria dos sedimentos recolhidos no Estuário do rio Tejo e a totalidade dos sedimentos recolhidos na Ria Formosa pertencem, de acordo com a Portaria 1450/2007 às classes 1 – material dragado limpo e 2 – material dragado com contaminação vestigiária. As únicas estações em que o sedimento recolhido estava ligeiramente contaminado (classe 3) foram registadas no Estuário do rio Tejo para a estação 4 (baía do Seixal) e 17 (esteiro de Coina). Os resultados obtidos para os diversos somatórios de PAHs demonstraram que o Estuário do rio Tejo apresenta uma maior influência antropogénica que a Ria Formosa. A planta Spartina maritima teve a capacidade de assimilar os compostos a que esteve exposta (16 PAHs da US EPA), com uma maior acumulação ao nível da raiz, sobretudo para os PAHs com potencial carcinogénico. Nas raízes, o somatório dos PAHs carcinogénicos aumentou proporcionalmente à concentração na solução em que estavam expostas. Estes resultados parecem fortalecer a hipótese da acumulação dos compostos mais perigosos para o ecossistema na raiz desta planta. Foi ainda verificado que existe um ponto de saturação a nível da raiz, a partir do qual essa acumulação passa a ocorrer na parte aérea.
The surveillance of marine environment in the last decades has been carried out with great emphasis on the evaluation chemical contaminants in different matrices (water, sediment and biota). In these, the polycyclic aromatic hydrocarbons, PAHs (Polycyclic Aromatic Hydrocarbons) and their alkylated derivatives have been routinely monitored. This work allowed the development of detection and quantification of PAHs and their alkylated derivatives using the technique of Gas Chromatography coupled to Mass Spectrometry Detection (GC-MSD) and the concentration results have been compared with their (bio)availability in Spartina maritima plant. The majority of the sediments collected on Tagus’s River Estuary and all the sediments collected in Ria Formosa belongs, under the ordinance 1450/2007, to class 1 (clean dredged material) and class 2 (trace contamination on dredged material). The only stations where the sediment was slightly contaminated (class 3) were detected in Tagus’s River Estuary on station 4 (Seixal bay) and 17 (esteiro de Coina). The results obtained for the sum of PAHs showed that Tagus’s River Estuary presents a higher anthropogenic influence than Ria Formosa. The Spartina maritima plant showed the capacity to assimilate the compounds to which has been exposed (16 PAHs of US EPA) with a higher accumulation at the root, especially for the PAHs with carcinogenic potential. In the roots, the ΣCPAHs sum increased proportionally to the concentration in the solution to which they were exposed. These results seem to strengthen the hypothesis of accumulation of the most dangerous compounds to ecosystems at this plant’s root. It was also found that there is a saturation point at the roots, from where the accumulation starts to occur in the shoot.
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Ciências do Mar)Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15701
Designação: Mestrado em Biologia (Ciências do Mar)
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc107498_tm_cheila_torre.pdf3,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.