Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15839
Título: Energia e medicina : Mayer e Helmholtz
Autor: Melo, Maria Teresa Ribeiro Rocha Homem de, 1956-
Orientador: Coelho, Ricardo Lopes, 1959-
Palavras-chave: Mayer, Julius Robert, 1814-1878
Helmholtz, Hermann von, 1821-1894
Ciência - História
Filosofia das ciências
Energia
Sangue
Teses de doutoramento - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: O Nobel da Física Richard Feynman dizia nas suas Lectures nos anos sessenta que é importante ter consciência que, face aos desenvolvimentos em física, não temos um conhecimento do que seja a energia. Outros físicos têm salientado a mesma dificuldade. O conceito de energia é também usado em explicações de processos fisiológicos. Neste contexto, o significado de energia é também uma questão em aberto. Um estudo (Coelho 2009) mostra que os descobridores da energia não encontraram nada que não possa ser destruído ou criado mas antes um princípio de equivalência entre quantidades físicas que não tinham sido até então ligadas. Então surge a questão se esta ideia de equivalência pode ser útil na compreesão da energia nas ciências da vida. O conceito de energia no domínio inorgânico tem sido um objecto de investigação histórica desde o século XIX. O domínio orgânico não tem tido a mesma atenção. Tendo em conta ambos os aspectos, orgânico e inorgânico, serão analizadas as contribuições de Mayer e Helmholtz para o princípio da conservação da energia. A ideia do princípio da conservação da energia tem a sua origem na observação que o médico, Mayer, fez. Baseado nesta observação, Mayer formula a tese: o sangue venoso nas regiões mais frias é mais escuro porque o consumo de oxigénio é maior em ordem a manter a temperatura do corpo humano. Jenstsch (1916) salientou que não havia evidência para esta tese. Isto conduziu à questão se Mayer realmente observou o que ele diz ter observado. Relativamente a estas questões, algumas hipóteses são apresentadas e discutidas.
The Nobel Laureate Richard Feynman said in his Lectures in the 60s that it is important to realize that, despite developments in physics, we have no knowledge what energy is. Other physicists have pointed out the same difficulty. The concept of energy is also used in explanations of physiological processes. In this context, the meaning of energy is also an open question. A study (Coelho 2009) shows that the discoverers of energy did not find anything which can neither be destroyed nor created but rather a principle of equivalence between physical quantities, which had not been connected until then. The question of whether this idea of equivalence can be useful in understanding energy in life sciences then arises. The concept of energy in the inorganic domain has been a subject of historical research since the nineteenth century. This does not hold concerning the organic domain. Taking into account both aspects, organic and inorganic, Mayer`s and Helmholtz`s contributions to the principle of energy conservation are analyzed. The idea of this conservation principle of energy has its origin in the observation the physician, Mayer, made. Based on this observation, Mayer formulates the thesis: venous blood is darker in colder regions, as the consuming of oxygen is greater in order to maintain the temperature of the human body. Jentsch (1916) pointed out that there was no evidence for this thesis. This leads to the question of whether Mayer really observed what he said he had. Concerning these questions, some hypotheses will be presented and discussed.
Descrição: Tese de doutoramento, História e Filosofia das Ciências, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15839
Designação: Doutoramento em História e Filosofia das Ciências
Aparece nas colecções:FC - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd069742_td_Maria_Melo.pdf2,51 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.