Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15850
Título: À descoberta da identidade conjugal : estudo exploratório qualitativo
Autor: Pires, Catarina Paulino Pereira de Moura
Orientador: Narciso, Isabel, 1962-
Palavras-chave: Conjugalidade
Aprendizagem de conceitos
Comunicação conjugal
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: A presente investigação pretende explorar o constructo de identidade conjugal, perceber as suas propriedades, explorar a sua natureza substancial e identificar os seus sinais de solidez, tendo em consideração diferenças de sexo, diferentes situações relacionais (casamento vs. coabitação conjugal) e tempo de relação. O estudo exploratório foi realizado com uma amostra de conveniência constituída por 21 participantes (13 do sexo feminino e 8 do sexo masculino). Partindo de um paradigma construcionista, recorreu-se a uma metodologia qualitativa, aplicando-se uma entrevista semi-estruturada, com posterior análise de dados através do software QSR Nvivo. A análise dos dados permitiu reflectir sobre uma conceptualização sistémica de identidade conjugal, tomando-a como uma terceira entidade que emerge da interacção, ao longo do tempo e num contexto, entre múltiplos elementos: um “eu”; um “tu”; a unidade diádica (“relação” cujo contorno será o vínculo afectivo) nascida da co-existência interactiva entre o “eu” e o “tu”; e o sentido de nós que emerge da relação. As “vozes” dos participantes parecem revelar uma natureza substancial da identidade conjugal composta por duas grandes dimensões – a afectiva e a organizacional -, cada uma das quais incluindo múltiplos componentes, quatro dos quais emergiram como principais marcadores da solidez da identidade: sentido de nós, qualidade da comunicação, vínculo afectivo e diferenciação conjugal. Ao nível das diferenças de sexo, situação relacional e tempo de relação, os resultados sugerem que a auto-revelação é mais relevante para as mulheres, e que a eficácia relacional é mais relevante para os homens. A auto-revelação, compreensão e união é mais relevante para casais em coabitação conjugal. Relativamente ao tempo de relação, a compreensão é mais importante para os casais com relações de curta duração, enquanto a cumplicidade e o sentido de nos-“us” é mais importante para casais com relações de longa duração.
This research aims to explore the construct of couple identity, to understand its properties, to explore its substantial nature and to identify its signs of strength, taking into account differences of sex, different relational status (marriage vs. marital cohabitation) and length of relationship. The exploratory study was conducted with a convenience sample comprised of 21 participants (13 females and 8 males). Based on constructivist paradigm and qualitative methodology, a semi-structured interview was conducted, with subsequent data analysis using QSR NVivo software. The data analysis allowed us to reflect on a systemic conceptualization of couple identity, taking it as a third entity that emerges from the interaction, over time and in a context, between multiple elements: an "I"; a "you"; a dyadic unit ("relationship" whose contour is the emotional bond) born of interactive co-existence between the "I" and "you"; and the sense of “us” which emerges from the relationship. The "voices" of the participants seem to reveal a substantial nature of couple identity comprised of two large dimensions - the emotional and organizational -, each one including multiple components, four of which have emerged as key markers of the solidity of identity: sense of “us”, quality of communication, emotional bond and couple differentiation. In terms of differences of sex, relational status and length of relationship, the results suggest that self-disclosure is more relevant to women, and relational effectiveness is more important to men. Self-revelation, understanding and unity are more relevant to cohabitant couples. Finally, considering the length of the relationship, understanding is more important for couples with short term relationships, while complicity and sense of “us”, are more important for couples in long term relationships.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15850
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie046633_tm.pdf1,85 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.