Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15940
Título: Controlo cognitivo na memória episódica : dados de adolescentes e jovens adultos
Autor: Andrade, Miguel Ângelo da Silva Alves de, 1988-
Orientador: Raposo, Ana Luísa
Palavras-chave: Memória episódica
Adolescentes - Psicologia
Psicologia cognitiva
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: Ao longo do desenvolvimento, o cérebro humano sofre alterações significativas de refinamento. Uma das etapas mais tardias deste desenvolvimento ocorre durante a adolescência, com a maturação do córtex pré-frontal (e.g., Gotgay et al., 2004). Esta estrutura é considerada o centro do controlo executivo, responsável pela capacidade de regulação das mais variadas funções cognitivas, nomeadamente, a capacidade de acedermos conscientemente à memória e de nos recordarmos de eventos passados (e.g., Badre & Wagner, 2007; Ridderinkhof et al., 2004). Pelo contrário, processos mais automáticos parecem estar plenamente desenvolvidos no período da adolescência (e.g., Guetti & Angelini, 2008). Tomando como ponto de partida as diferenças na maturação de estruturas cerebrais ligadas a funções cognitivas mais automáticas e a processos mais controlados durante a adolescência, este projeto visou investigar semelhanças e diferenças no controlo cognitivo na memória episódica entre adolescentes (13-15 anos) e jovens adultos (20-22 anos). Em particular, procurou averiguar possíveis interações entre o nível de controlo exigido na recuperação e o nível de processamento da informação armazenada (i.e., elaboração semântica). Para isso, recorreu-se ao famoso paradigma PDP ou Procedimento de Dissociação de Processos, um dos paradigmas experimentais mais frequentemente usados para destrinçar aspetos automáticos e controlados na recuperação de informação de memória (e.g., Yonelinas & Jacoby, 2012). Este paradigma foi adaptado de modo a incluir um nível de processamento semântico (mais profundo) e um nível de processamento percetivo (mais superficial). Foi ainda incluída uma medida subjetiva de confiança na resposta dada. Tarefas de controlo executivo (Go/No-Go), memória de trabalho e fluência semântica complementaram o estudo. Os resultados sustentaram a existência de dois processos distintos de recuperação mnésica (recoleção vs. familiaridade), com um aumento significativo dos processos controlados de recoleção da adolescência para a idade adulta. Pelo contrário, processos mais automáticos de familiaridade mantiveram-se estáveis entre os dois períodos etários. Os resultados demonstraram ainda uma interdependência entre os processos que necessitam de controlo cognitivo, i.e., recoleção e elaboração semântica. Especificamente, o processamento combinado de recoleção semântica foi a principal causa de um pior desempenho dos adolescentes em tarefas de reconhecimento de memória. Estes resultados apoiam a ideia de que vi processos controlados de recoleção (mas não de familiaridade) e de elaboração semântica (mas não de processamento percetivo) estão ainda em desenvolvimento durante a adolescência. Os resultados têm implicações importantes não só para o estudo do controlo cognitivo em memória, mas também para outras áreas da cognição tal como a regulação das emoções e a tomada de decisão em adolescentes. De futuro, sugere-se o aprofundamento destes resultados comportamentais com a realização de um estudo de ressonância magnética funcional (fMRI), que permita identificar diferenças entre adolescentes e adultos no decurso maturacional dos substratos neuronais da memória e sua correlação com o comportamento.
During development, the human brain undergoes significant changes of refinement. One of the latest stages of this development takes place during adolescence, with the maturation of the prefrontal cortex (e.g., Gotgay et al., 2004). This neural structure is considered the cognitive control center, being responsible for our ability to regulate a variety of cognitive functions, namely the ability to consciously access memory and remember past events (e.g., Badre & Wagner, 2007; Ridderinkhof et al., 2004). Conversely, more automatic processes seem to be fully developed by adolescence (e.g., Guetti & Angelini, 2008). Taking as starting point differences in maturation of cerebral structures linked to more automatic and more controlled cognitive functions during adolescence, this project sought to investigate similarities and differences on the cognitive control of episodic memory between adolescents (13-15 yo) and young adults (20-22 yo). In particular, it examined potential interactions between the level of control required in retrieval and the level of processing of the stored information (i.e., semantic elaboration). To fulfill these objectives we adopted the famous PDP or Process Dissociation Procedure paradigm, one of the most commonly used experimental paradigms to disentangle between automatic and controlled memory retrieval processes (e.g., Yonelinas & Jacoby, 2012). We adapted this paradigm such that a condition of semantic (deep) processing and a condition of perceptual (shallow) processing were included. We also added a subjective measure of response’s confidence. Tasks of executive control (Go/No-Go), working memory and semantic fluency completed the study. The results support the existence of two distinct memory retrieval processes (recollection vs. familiarity), with a significant increase of controlled processes of recollection from adolescence to adulthood. In contrast, more automatic processes of familiarity were stable across the two age periods. The results also demonstrated an interdependence between the processes that involve cognitive control, i.e., recollection and semantic elaboration. Specifically, the combined processing of semantic recollection was the main reason for a worse performance of adolescents in recognition memory tasks. These findings support the view that controlled processes of recollection (but not familiarity) and semantic elaboration (but not perceptual processing) are still under development during adolescence. The results have important implications not only to the study of cognitive control in memory, but also to other viii areas of cognition, such as emotion regulation and decision making in adolescents. For the future, we suggest strengthening these behavioral data with a functional magnetic imaging (fMRI) study that would allow to identify differences between adolescents and adults in the maturation course of the neural substrates that underlie memory, and its relationship with behavior.
Descrição: Dissertação de mestrado, Ciência Cognitiva, Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, Faculdade de Medicina, Faculdade de Ciências, Faculdade de Letras, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15940
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047149_tm.pdf916,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.