Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15959
Título: Museus (in)capacitantes : deficiência, acessibilidades e inclusão em museus de arte
Autor: Martins, Patrícia Isabel Sousa Roque
Orientador: Pereira, Fernando António Baptista, 1953-
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2015
Museus de arte
Acessibilidade
Pessoas com dificuldade
Museus inclusivos
Públicos culturais
Data de Defesa: 2015
Resumo: O modelo social da deficiência, desenvolvido por pessoas com deficiência, desde os anos 1980, tem vindo a argumentar o papel dos diversos agentes sociais na criação de situações de incapacidade, de exclusão e de desigualdade social, no quotidiano das vidas das pessoas com deficiência. Rejeitando o modelo médico, dos anos 1960, baseia-se na responsabilidade social perante a problemática da deficiência, fundamentando-a numa questão de direitos humanos. No decurso deste pensamento, desde o século XXI, a Europa, abriu-se a estas reivindicações, dando orientações aos seus Estados-membros para agirem a favor da inclusão social, rumo a uma sociedade sem barreiras. No seguimento dessas orientações, Portugal produziu legislação específica para a participação plena dos cidadãos com deficiência. Entretanto, no mundo dos museus, novos princípios são desenvolvidos, projetando o lugar dos públicos no centro da sua dinâmica. As coleções e os museus passam a ser considerados como estando ao serviço da sociedade e do seu desenvolvimento. Na museologia, é criada uma corrente que, apoiada no modelo social da deficiência, considera que os museus têm o potencial para combater a desigualdade e a exclusão social das pessoas com deficiência/incapacitadas. Um pouco por todo mundo, surgem atividades em museus que procuram incluir os públicos com deficiência/incapacitados, através da oferta de programação específica. Portugal, imerso neste contexto, tem concretizado algumas iniciativas a favor da criação de acessos. No entanto, continua a existir um distanciamento que impede a participação das pessoas com deficiência/ incapacitadas no espaço museal. Com este trabalho de investigação, pretende-se conhecer toda a complexidade que tem envolvido a inclusão dos públicos com deficiência/incapacitados nos museus de arte, quer através da análise dos diferentes géneros de acesso, quer através da compreensão do seu lugar na sociedade atual e do passado. Para tal, foram realizados três estudos de caso, com grupos de pessoas com deficiência/incapacidade intelectual, visual e da comunidade Surda, através de visitas às exposições do CAMJAP e Museu Gulbenkian. O registo pessoal da autora plasmou essa análise permitindo comprometer o potencial dos museus na melhoria das suas vidas e como contributo para a harmonia social.
Starting in 1980, disabled people have developed the social model of disability. They have been debating the role of the different social agents that create situations of disability, exclusion and social inequality in disabled people everyday lives. Rejecting the medical model, developed in the 1960’s, the social model viewed the responsibilities regarding the issue of disability as more of a human rights issue. Influenced by these developments from the twenty-first century, Europe embraced these claims, providing guidance to it’s Member-states to act in favor of the social inclusion, towards a society without barriers. Following these guidance, Portugal has produced specific legislation for the full participation of disabled citizens. Meantime, in the world of museums, new principles were developed, with emphasis on public places at the centre of it’s dynamic. The museum collections are now considered to be in service of society and its development. In the field of museums studies, a current was created, based on the social model of disability, believing that museums have the potential to combat inequality and social exclusion of disabled people. All over the world, activities arise in museums seeking to include disabled audiences, by offering specific programmes. Portugal, immersed in this context, has implemented some initiatives for the establishment of accesses. However, there remains a distance that hinders the participation of disabled people in the museum space. With this research work, it is intend to meet all the complexity that has involved the inclusion of disabled audiences in art museums, or through the analysis of different kinds of access, either by understanding the place of disabled people in todays society and in the past. To achieve this, three case studies, with groups of people with intellectual and visual disabilities, and the Deaf community, were conducted through visits to exhibitions in CAMJAP and Gulbenkian Museum. The personal record of the author has shaped this analysis, allowing compromising the potential of museums in improving their lives and its contributions to the social harmony.
Descrição: Tese de doutoramento, Belas-Artes (Ciências da Arte), Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas-Artes, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/15959
Designação: Doutoramento em Belas-Artes
Aparece nas colecções:FBA - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd069831_td_vol_1.pdf2,53 MBAdobe PDFVer/Abrir
ulsd069831_td_vol_2_anexos.pdf470,82 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.