Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/15980
Título: Portuguese Artemisia, Mentha and Thymus species as potential herbal substances
Autor: Simas, Paula Cristina da Silva Martins de Castro
Orientador: Silva, Olga Maria Duarte
Serrano, Rita Maria O. T. Santos
Palavras-chave: Artemisia
Herbal substances
Mentha
Portuguese flora
Therapeutic potential
Thymus
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: The Portuguese flora includes species that are used as herbal medicines, described in quality monographs of the European and Portuguese Pharmacopoeias, but there are also other species, some of which national endemic, which are poorly studied in the chemical and pharmacological aspect, not allowing a proper assessment of their pharmacological potential. The therapeutic potential of endemic species belonging to the families Apiaceae, Asteraceae and Lamiaceae (respectively 1, 8 and 41 species in Portugal) was not up to date, comprehensive and fully evaluated, despite its genetic and chemistry similarity with other species already recognized as sources of active marker compounds of the genus Artemisia L., Mentha L. and Thymus L.. Compared to other health food and spices, it was found that considerable in vitro and in vivo data are available for these 3 genus and the botany and chemical constituents were found to be well described in the literature, the latter mainly focusing on its essential oil composition, that determines its distinct flavor. This study aims to contribute to the knowledge of the potential of Portuguese flora species as a source of herbal substances, with its focus also on the endemic species so far little studied, belonging to the Lamiaceae and Asteraceae families recognized by its marked therapeutic potential. The collection and compilation of the information was made under the monographic form of bibliographic data on quality, safety and mode of action of the referred genus and organizational forms for its presentation were established. These three genus are of recognized interest, being used by its composition and content on essential oil, such as aromatics, however, the chemical and biological profile and consequent therapeutic potential of the non-volatile fraction of various species / subspecies of these genus, it was not yet systematized, particularly with regard to species of the endemic flora of the Iberian peninsula and consequently some species of the national endemic flora. Through literature research, systematization of the data obtained from a set of databases, scientific publications and other available existing literature at the Faculty of Pharmacy, University of Lisbon and related institutions were compiled for the 3 target genus and an organizational form for its presentation was established. Studies by various authors, in this context, revealed the existence of biological activity for herbal medicinal preparations and isolated constituents obtained from the same plants, being also subject to this systematic study, the prior establishment of chemical and biological profile and consequent therapeutic potential of various species / subspecies of the three genera mentioned above. Obtained results showed that most research attention has been directed to the composition of Artemisia genus essential oil, its dynamics and variability, however, some have also addressed alkaloid derivatives, flavonoids and non-volatile terpenoids in the genus. In Mentha spp., essential oils are essentialy characterized by menthol, limonene and cineole. In Thymus spp., namely in T. masthichina, triterpene derivatives of ursolic and oleanolic acids were reported as responsible for in vitro antitumor activity against human colon cancer cells. A key objective of this work was, in a first approach, to verify the existing studies referring to the therapeutic potential of national flora species, consisting of a research that aims to take advantage of a wealth of medicinal plants of our country that could be a promising source of new herbal drugs. In conclusion, overall, a stronger focus on pre-clinical studies and a deep on chemosystematics‟ studies of Artemisia, Mentha and Thymus Portuguese species were founded to be essential for its sustainable utilization as herbal medicines and/or source of new material products with biological activity.
A flora Portuguesa engloba espécies que no presente são usadas como fármacos vegetais e que constam de monografias de qualidade nas Farmacopeias Europeia e Portuguesa, mas contempla também outras espécies, algumas das quais constituindo endemismos nacionais, que se encontram pouco estudadas a nível químico e farmacológico, não permitindo assim uma avaliação correcta das suas potencialidades farmacológicas. O potencial terapêutico de espécies endémicas pertencentes às familias Apiaceae, Asteraceae e Lamiaceae (respectivamente 1, 8 e 41 espécies em Portugal), não foi até à data, extensiva e completamente avaliado, apesar da sua similaridade genética e química com outras espécies já reconhecidas como fontes de compostos marcadores activos do género Artemisia L., Mentha L. e Thymus L.. Em comparação com outros alimentos e plantas medicinais, verificou-se que existe já um número considerável de estudos in vitro e in vivo com dados disponíveis relativos a estes três géneros e a botânica e os constituintes químicos estão já bem descritos na literatura, com maior enfoque na composição dos óleos essenciais, que determinam os seus variados e característicos aromas. Este estudo teve como objectivo contribuir para o conhecimento do potencial de espécies da flora de Portugal enquanto fonte de compostos activos e teve o seu maior enfoque em espécies da flora nacional, algumas endémicas, até ao momento pouco estudadas, pertencentes às famílias Lamiaceae e Asteraceae, reconhecidas pelo seu marcado potencial terapêutico. Constou na recolha e compilação sob a forma monográfica, de dados bibliográficos relativos à qualidade, segurança e modo de acção de plantas medicinais da Flora de Portugal de reconhecido interesse pela sua composição e teor em constituintes voláteis (óleo essencial) dos géneros Artemisia L., Mentha L. e Thymus L., enquanto potenciais medicamentos tradicionais à base de plantas. Estes três géneros são de reconhecido interesse, sendo usados pela sua composição e teor em óleo essencial, como produtos aromáticos, no entanto, o perfil químico e biológico e consequente potencial terapêutico da fracção não volátil de várias espécies /subespécies destes géneros, não foi até ao momento alvo de sistematização, designadamente no que respeita a espécies da flora endémica da peninsula Ibérica e consequentemente, algumas espécies da flora endémica nacional. Através de pesquisa bibliográfica, foi feita a sistematização de dados obtidos a partir de um conjunto de bases de dados, artigos disponibilizados e demais bibliografia existente na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e em Instituições afins, tendo sido compilados dados relativos aos 3 géneros alvo e seleccionada a forma organizacional para sua apresentação. Estudos de vários autores, neste âmbito, revelaram a existência de actividade biológica de preparações à base de plantas medicinais e constituintes isolados a partir destas, tendo sido alvo de sistematização neste estudo, o estabelecimento prévio do perfil químico e biológico e consequente potencial terapêutico de várias espécies / subespécies dos 3 géneros supracitados. Dos estudos consultados conclui-se que a investigação e pesquisa tem sido direcionada essencialmente para a composição do óleo essencial do género Artemisia, sua dinâmica e variabilidade, no entanto, alguns artigos, citam como exemplo, a presença de derivados alcalóides, flavonóides e terpenóides não voláteis, neste género. No género Mentha, os óleos essenciais são essencialmente caracterizadas por mentol, limoneno e cineol. No género Thymus nomeadamente em T. Masthichina e a título de exemplo para este género, foram referidos os saponósidos triterpénicos derivados dos ácidos oleanólico e ursólico como compostos responsáveis por actividade antitumoral in vitro contra células de cancro de cólon. Um dos objectivos fundamentais deste trabalho foi, numa primeira abordagem, verificar os estudos e publicações científicas existentes, referentes ao potencial terapêutico de espécies da flora nacional, consistindo numa pesquisa que visa o aproveitamento de uma grande riqueza de espécies de plantas medicinais do nosso país que poderão constituir uma promissora fonte de novos fármacos. Em conclusão e de uma forma geral, considera-se essencial um maior enfoque em estudos pré-clínicos e o aprofundamento em estudos de quimiosistemática das espécies portuguesas dos géneros Artemisia, Mentha e Thymus, que possa permitir a sua utilização sustentável, enquanto medicamentos à base de plantas.
Descrição: Tese de mestrado, Medicamentos à Base de Plantas, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/15980
Designação: Mestrado em Medicamentos à Base de Plantas
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TM_Paula_Simas_vfinal_corrigida_Marco_2015.pdf1,57 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.