Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/1705

Título: Um olhar sobre a actividade teatral, em Portugal, nos anos trinta do século XX
Autor: Vidal, Isabel Alice Radburn, 1963-
Orientador: Brilhante, Maria João, 1956-
Palavras-chave: Teatro - Portugal - séc.20
Censura - Portugal - séc.20
Recepção literária - Portugal - séc.20
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2009
Resumo: A actividade teatral dos anos trinta do século XX, em Portugal, é caracterizada, em geral, pela estagnação, por não trazer nada de novo no percurso da história do teatro português. Mantém as práticas estabelecidas nas décadas anteriores e não cede às tentativas de implementação de novas tendências. É uma actividade que justifica a continuação de um discurso sobre a «crise do teatro» subordinada à enumeração de males para a sua falta de qualidade e à apresentação de sugestões para novos percursos estéticos. Os anos trinta são caracterizados pela recessão económica e pela afirmação da identidade política nacional e assistem à convulsão política nos países vizinhos, obrigando Portugal a fechar-se e a definir um discurso orientador, centrado na valorização da nacionalidade. Consequentemente, a actividade teatral manter-se-á fortemente restringida, pela actuação da censura e pelas próprias condições económicas que a determinam. O teatro depende economicamente do público e as suas produções vão no sentido de ir ao encontro do que se considera ser o interesse dos espectadores. Simultaneamente, o discurso público em torno da actividade associa-se ao cinema e faz dos artistas motivo de atracção ao espectáculo pela popularidade e pelo vedetismo. Este discurso exclui propositadamente do quotidiano os profissionais de teatro, criando em torno deles uma aura de idealização associada à vida urbana. Perante a actuação da censura, os dramaturgos do teatro de revista, mais atingida por os seus textos se caracterizarem tradicionalmente por serem politicamente satíricos e moralmente não refreados, e apreciados pelo público por isso, desenvolvem técnicas de camuflagem recorrendo a estratégias de dupla significação. Por sua vez, os censores são permissivos com alguns conteúdos. Respeitando sempre a lei, admitem textos onde a sátira se mantém evidente. A censura, as condições do exercício da actividade e o tratamento sofisticado da imagem pública do artista são três factores que condicionam a progressão da actividade teatral nos anos trinta e é em torno deles que se procura perceber que tipo de teatro se desenvolveu, que experiências de diversificação foram tentadas e como estas foram acolhidas pela sociedade lisboeta.
The activity of the theatre in the 1930s, in Portugal, was characterized by stagnation and for not contributing anything new to the Portuguese theatre. The established methods of the previous decades were maintained and didn't give way to experimenting with new ideas. This activity justified the continuation of the discourse about «the crisis in the theatre» setting out the reasons for its lack of quality and giving suggestions for new artistic trends. The 1930s were characterized by an economical recession and for the consolidation of a national political identity. At the same time, the neighbouring countries were going through political turmoil forcing Portugal to isolate itself and to define an ideal centred on the value of nationality. Consequently, the theatre was severely restricted by censorship and by economical conditions. The theatre depended economically on the public and its productions were made to satisfy audiences. At the same time, everything connected to the theatre was, as with the cinema, elevated to an extraordinary level so that artists had to be seen as stars. This excluded the professional actors of normal life creating instead an aura of idealization associated with urban life. Faced with censorship, the playwrights of variety shows were most affected as their typescripts were traditionally characterized by their political satire and for being morally obscene, qualities that the audience enjoyed. They developed techniques of camouflage using words with a double-meaning. The censors themselves were permissive in some cases. They always respected the law, but allowed typescripts where satire was obvious. Censorship, working conditions and the elevation of the profession to a sophisticated level are three factors that conditioned the progress of activity in the theatre in the 1930s and based on these three factors we try to understand the kind of theatre that developed, the experiments that were made away from the mainstream and how they were received by Lisbon society.
Descrição: Tese de mestrado, Estudos de Teatro, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2010
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000577226
http://hdl.handle.net/10451/1705
Appears in Collections:FL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
21636_ulfl073425_tm.pdf2,02 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE