Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/17693
Título: Breve história do raquitismo e da descoberta da vitamina D
Outros títulos: Brief history of rickets and of the discovery of vitamin D
Autor: Martins e Silva, João
Palavras-chave: Diet
Sun irradiation
Lipids
Rickets
Vitamin D
Data: 2007
Editora: Sociedade Portuguesa de Reumatologia
Citação: Acta Reum Port. 2007;32:205-229
Resumo: Desde os primeiros casos de suspeita de raquitismo, referidos por Soranus e Galeno, mediaram cerca de dezoito séculos até a etiologia daquela doença ser esclarecida. O surto de raquitismo verificado no século XVII em Inglaterra fez que a situação fosse conhecida na época por «doença inglesa», sendo então apresentada a sua primeira descrição pormenorizada, por Francis Glisson. O agravamento da incidência do raquitismo com a Revolução Industrial acentuou as especulações sobre a sua origem e tratamento. A caracterização da luz solar e do espectro luminoso conduziu à dentificação dos efeitos biológicos da radiação ultravioleta e ao descobrimento da fototerapia como processo terapêutico alternativo à irradiação solar. A obtenção de raquitismo experimental por Mellanby e McCollum deu suporte ao conceito que atribuía aquela situação a um defeito nutricional específico. Em alternativa era referida uma relação inversa entre a exposição à luz solar e a incidência do raquitismo. A identificação da natureza química de um factor essencial da dieta com acção anti-raquítica, o ergocalciferol (ou vitamina D2), a par com um outro factor com idênticas propriedades (ainda que mais potente), formado por irradiação solar da pele, o colecalficerol (vitamina D3), foram etapas iniciais para o esclarecimento, prevenção e tratamento da doença. A presente revisão sumariza a história do raquitismo, a caracterização e propriedades anti-raquíticas da luz e de suplementos dietéticos de natureza lipídica e a identificação das principais formas biológicas da vitamina D.
Almost eighteen centuries mediated between the first cases of rickets, reported by Soranus and Galeno, and the clarification of the disease aetiology. Due to the outbreak of rickets verified in the 17th century in England, the situation was known as the «English disease», being its first detailed description presented by Francis Glisson. The growing incidence of rickets with the Industrial Revolution raised speculations about its origin and treatment. The characterization of solar light and luminous spectrum led to the identification of the biological effects of ultraviolet radiation, and to the discovery of phototherapy as an alternative therapeutic process to the solar irradiation. The experimental rickets achieved by Mellanby and McCollum gave support to the concept that this situation could have an origin in a dietary defect. It was also referred an inverse relationship between sun exposure and the incidence of rickets. The identification of the chemical nature of an essential dietary factor with antirickets effect (ergocalciferol or vitamin D2), together with another factor with identical properties, but more potent, produced in the skin exposed to sunlight (cholecalciferol or vitamin D3), was essential to the elucidation, prevention and therapy of the disease. The present revision summarizes the history of rickets, the characterization and anti-rickets properties of the light and dietary supplements of lipid nature, and the identification of the major biological forms of vitamin D.
Descrição: © 2001-2015 Sociedade Portuguesa de Reumatologia
Peer review: yes
URI: http://www.actareumatologica.pt/archive_detail.php?id=21
http://hdl.handle.net/10451/17693
ISSN: 0303-464X
Aparece nas colecções:IMM - Artigos em Revistas Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Historia_Raquitismo.pdf1,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.