Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/17971
Título: Argumentação no ensino das ciências : conceções e práticas de professores de biologia e geologia do ensino secundário
Autor: Almeida, Paulo, 1969-
Orientador: Galvão, Cecília, 1955-
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Estudos recentes apontam para o papel inegável da argumentação na construção do conhecimento e a sua importância numa educação científica de qualidade. Sendo os docentes os principais decisores na implementação do currículo, considerámos estudar o problema: Que conceções possuem os professores de Biologia e Geologia, do ensino secundário, sobre argumentação científica e como implementam as suas práticas pedagógicas orientadas para o desenvolvimento intencional da argumentação científica pelos alunos? Foi desenvolvida uma investigação de índole interpretativa, recorrendo a uma metodologia mista, estruturada em duas fases. A fase I, com duas etapas: a primeira consistiu na aplicação de um questionário, para analisar conceções de professores, sobre argumentação científica e natureza da ciência e a segunda, na formação de um grupo focal para aprofundar os dados obtidos no questionário. Na fase II, duas professoras constituíram-se como estudos de caso. Durante um ano letivo, observámos as práticas implementadas. Como fontes de dados foram utilizados: questionários, entrevistas (em grupo e individuais), registos das aulas e documentos diversos. Em termos das conceções, os dados evidenciaram que os docentes: (1) atribuíram significados diferentes ao conceito de argumentação científica; (2) valorizaram o papel da argumentação no ensino e aprendizagem das ciências; (3) não revelaram um posicionamento epistemologicamente situado e coerente em relação à natureza da ciência. Sobre as práticas, as evidências apontam, essencialmente, para: (1) um discurso centrado no professor; (2) o recurso a padrões interativos tradicionais e abordagem comunicativa interativa e de autoridade e (3) uso, pouco frequente, de práticas epistémicas no domínio da avaliação do conhecimento. Foram apontados diversos constrangimentos à implementação de práticas de argumentação e recolhidas evidências que sustentam a importância da reflexão partilhada no emergir de uma consciência crítica sobre as próprias práticas e a necessidade de reconceptualização dos processos de ensino e de aprendizagem indispensável à implementação da argumentação científica, em contexto escolar.
Recent studies point to the undeniable role of argumentation in knowledge construction and its importance in the quality of science education. Considering teachers as key decision makers in the implementation of the curriculum, we have considered studying the problem: What conceptions do high school teachers of Biology and Geology have regarding scientific argumentation and how do they implement their teaching practice so as to develop student’s scientific argumentation? In this investigation, based on an interpretative nature, a mixed methodology was used, structured in two phases. In Phase I, with two stages, a questionnaire was applied to analyze teachers’ conception of scientific argumentation and of the nature of science. A focus group was also formed in order to develop the data obtained in the questionnaire. In Phase 2, we followed two case studies. During a school year, we observed the practices implemented. Questionnaires, individual and group interviews, notes taken during classes and diverse documents were used as data source. In terms of conceptions, the data showed that teachers: (1) have different meanings of what scientific argumentation is; (2) value the role of argumentation in teaching and learning processes; (3) did not reveal a position epistemologically situated and consistent about the nature of science. In terms of conceptions, the obtained data showed that teachers: (1) give different meanings to the scientific argumentation concept; (2) value the role of argumentation in the teaching and learning process; (3) did not reveal an epistemologically situated and consistent position about the nature of science. Concerning teaching practices, evidence points primarily to: (1) a teacher-centered speech; (2) the use of traditional interactive patterns and of an interactive-authoritative communicative approach; (3) an infrequent use of epistemic practices on the domain of knowledge evaluation. Various constraints were mentioned concerning the implementation of argumentation practice and the collected evidence supports the importance of shared reflection to contribute to a critical awareness of teachers’ practice and also the need for reconceptualization of the teaching and learning process, which is necessary to implement argumentation practice.
Descrição: Tese de doutoramento, Educação (Didática das Ciências), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/17971
Designação: Doutoramento em Educação
Aparece nas colecções:IE - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd070422_td_Paulo_Almeida.pdf18,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.