Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/18243
Título: Cultos e cultuantes no sul do território actualmente português em época romana (sécs, I aC. - III d.C.): uma aproximação à sociologia das religiões
Autor: Teixeira, Sílvia Monteiro
Orientador: Guerra, Amílcar
Palavras-chave: Romanos - Portugal
Inscrições latinas - Portugal
Religião romana - Portugal
Romanização - Portugal
Portugal - Religião
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Enquanto expressão simbólica da experiência sociocultural, o fenómeno religioso pode ser encarado como uma ponte que nos aproxima do melhor conhecimento das vivências das sociedades, nos seus respectivos contextos espácio-temporais. Não constituem então excepção as comunidades habitantes do Sul do território actualmente português durante a ocupação romana alto-imperial (sécs. I a. C. - III d. C.), que nos deixaram, como testemunho das suas percepções e comportamentos, um conjunto de epígrafes votivas que, embora modestas em número, detêm algum potencial informativo no que respeita aos cultos e divindades veneradas por estes indivíduos, bem como ao seu estatuto socioeconómico. Por seu lado, esta óptica de análise apresenta-se também relevante na abordagem ao processo de romanização da realidade geográfica e humana sobre a qual incide este trabalho, nos seus dois âmbitos de análise, o urbano e o rural, que foram comparados entre si quer no domínio da representação dos cultos e divindades, quer das formas de identificação e expressão dos cultuantes na epigrafia votiva. Estas duas vias de análise permitiram-nos então confirmar não apenas a maior representatividade do elemento romano face ao indígena, como tem vindo a ser proposto para o território analisado, mas também a coexistência harmoniosa de ambos, dada como característica da Lusitânia, e ainda a complexidade do conceito de romanidade; sustentando a ideia da relevância da análise dos fenómenos religiosos para a compreensão da vivência humana.
abstract: As a symbolic expression of the socio-cultural experience, the religious phenomenon can be perceived as a bridge which brings us closer to a better understanding of the societies’ ways of living, in their respective spatial and temporal contexts. The communities which inhabited the Southern part of what constitutes today the Portuguese territory during the early Roman Empire (1st century B.C. – 3rd century A.D.) are not an exception, having left us an ensemble of votive inscriptions as a record of their views and behaviours. Despite their modest amount, these inscriptions hold some informative potential concerning the cults and deities revered by these individuals, as well as their socio-economical status. For its part, this perspective of analysis seems to be also relevant in approaching the Romanization process of the geographical and human reality to which this dissertation refers, in its two scopes of analysis, the urban and rural areas, compared with each other regarding either the cults and deities represented or the means of identification and expression of the worshippers in the votive epigraphy. These two paths of analysis have therefore allowed us to confirm not only the greater representation of the Roman component, compared with the indigenous one, as has been proposed for the analyzed territory, but also their harmonious coexistence, which seems to have been characteristic of the Lusitanian province, as well as the complexity in defining “romanidade”. This reinforces the relevance of the analysis of religious phenomena to a better understanding of man’s way of living.
URI: http://hdl.handle.net/10451/18243
Designação: Mestrado em Arqueologia
Aparece nas colecções:FL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfl181042_tm.pdf3,79 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.