Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20245
Título: Ervas que curam : da "terra das ervanárias" à produção de plantas medicinais e de conhecimento
Autor: Mateus, Elsa Frazão
Orientador: Bastos, Cristiana
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Sabe-se que as plantas medicinais têm sido usadas no tratamento de doenças humanas em muitos locais e épocas diversas. Enquanto a medicina popular e as suas tradições de cura coexistiram com a biomedicina e com as ciências farmacêuticas em vários períodos e lugares, o conhecimento popular foi frequentemente desprezado como supersticioso. Contudo, as tendências recentes nas ciências e no mercado da saúde vieram renovar o interesse pelo conhecimento tradicional sobre plantas medicinais. Subjacente ao valor económico deste conhecimento aplicado no desenvolvimento de novos medicamentos, surge a questão da protecção da propriedade intelectual, juntamente com a necessidade de proteger a biodiversidade da sobreexploração e da biopirataria. Essa protecção implicou o estabelecimento de regulamentação que ajustasse os diferentes sistemas de conhecimento e modos de estar no mundo aos padrões da ciência hegemónica. Este estudo pretende analisar estes processos, focando-se nas estratégias de uma pequena aldeia portuguesa onde a tradição de colheita da flora espontânea para o fornecimento de boticários e ervanários se tornou numa indústria. A sua recente denominação como «Terra das Ervanárias» está localmente interligada com a história da exploração dos recursos naturais, dos baldios e da protecção da natureza. Mas, encontra-se, sobretudo, relacionada com a produção de conhecimento sobre plantas medicinais articulada com o mercado de saúde, representados pela investigação científica, pelo negócio da indústria local e por uma reputada ervanária de Lisboa, fundada em 1793. Desta forma, será possível discutir os processos de produção, comercialização e consumo de produtos herbais como medicamentos através do seu enquadramento em diferentes significados de acordo com cada actor social. A Terra das Ervanárias oferece, então, um exemplo etnográfico de todas estas tensões entre as perspectivas tradicionais e as preocupações contemporâneas subjacentes à escolha de soluções de saúde e das suas diversas implicações.
Medicinal plants are known for being used in many different places and times for the treatment of human ailments. While folk medicine and its healing traditions coexisted with biomedicine and pharmaceutical sciences in many periods and places, folk knowledge was often deemed as superstitious and dismissed. Recent trends in the health sciences and health markets have however brought a renewed interest about traditional knowledge on medicinal plants. Underlying the economic value of the knowledge applied in the development of new medicines, the question of intellectual property protection arose along with the need to protect biodiversity from overexploitation and from biopiracy. Protection implied regulation to adjust different systems of knowledge and ways of being in the world into the standards of the hegemonic science. This study intends to analyse those processes by focusing on the strategies of a small Portuguese village where the tradition of collecting wild plants to supply apothecaries and herbal stores became an industry. Its recently denomination as «Land of Herbalists» is locally intertwined with the history of the natural resources exploitation, of the Commons and of the protection of nature. But the «Land of Herbalists» relies mostly in the production of knowledge around medicinal plants articulated with the health market, represented by scientific research, by the local industry business, and by a well-known herbal store in Lisbon founded in 1793. Therefore, the production, marketing and consumption of herbal products as medicines will be discussed, framing it in different meanings accordingly with each social actor. Thus, the «Land of Herbalists» stands as an ethnographic example of all these tensions between the traditional perspectives and contemporary concerns underlying the choice of health solutions and its several implications.
Descrição: Tese de doutoramento, Antropologia (Antropologia da Saúde), Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20245
Designação: Doutoramento em Antropologia
Aparece nas colecções:ICS - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd71424_td_Elsa_Mateus.pdf3,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.