Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20255
Título: Representações do self e da família : estudo comparativo em crianças em contexto famíliar normativo e em contexto famíliar de vulnerabilidade
Autor: Fonseca, Maria Rita Canêlhas da
Orientador: Novo, Rosa, 1957-
Palavras-chave: Self
Representações familiares
Crianças em risco
Sofrimento psíquico
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: Os primeiros anos de vida e as experiências vividas ao longo da infância em diversos contextos, ainda que não sejam deterministas, têm um papel fundamental no desenvolvimento, influenciando as representações das crianças sobre si próprias, sobre os outros e sobre o mundo, e, consequentemente, condicionando os seus padrões de adaptação à realidade que vivenciam. O contexto familiar é entendido como uma matriz primordial para a saúde e o desenvolvimento das crianças, constituindo uma fonte direta e duradoura de influência, que permite a aprendizagem de dimensões fundamentais da relação com o outro, como a linguagem, a comunicação, a empatia, a expressão de afetos, a confiança e a intimidade. As famílias em que predomina uma forte disfuncionalidade constituem um contexto de vulnerabilidade, dados os inúmeros fatores de risco associados que podem conduzir a situações de perigo. O presente estudo visa analisar e comparar Representações do Self e da Família de crianças que vivem em contexto familiar de vulnerabilidade (N = 13) e em contexto familiar normativo (N = 13). Recorreu-se a metodologias qualitativas clínicas, designadamente metodologias de construção de narrativas (Family Apperception Test de Sotile, W., Julian III, A., Henry, S. & Sotile, M., 1999) e de produção gráfica (Teste do Desenho da Família de Corman, 1982). As crianças da amostra de contexto de vulnerabilidade apresentaram maior dificuldade na representação do Self e da Família. A representação de Self não se evidenciou como equilibrada e satisfatória, tendo sido marcada pela dificuldade em falar de si, em fazer uma avaliação positiva do próprio e com predomínio de atributos psicológicos negativos assim como avaliações por parte de terceiros também negativas. A representação de Família das crianças em contexto de vulnerabilidade foi marcada pela dificuldade em elaborar conflitos e respetiva resolução, sendo que evidenciou sinais de desconforto e de sofrimento psicológico. Por fim, são refletidas as limitações do presente estudo, implicações para o contexto clínico, e sugeridas pistas para a continuidade da investigação nesta temática.
The first years of life and the lived experiences through childhood in various contexts, even though not deterministic, have a fundamental role on the child development, influencing the way children see themselves, the others and the world and, consequently, conditioning their adaptation patterns to the reality that they experience. The familiar context is understood has a primordial matrix to children’s development and health, being a direct and lasting source of influence, that enables them to learn the fundamental dimensions of the relation with others, the language, the communication, the empathy, the expression of affection, the trust and the intimacy. Families where a significant dysfunctionality predominates might be a context of vulnerability, given the amount of associated risk factors that can drive to danger situations. This study aims to analyze and compare Self and Family representations of children who live in vulnerability familiar contexts (N = 13) with children who live in normative familiar contexts (N = 13). There was recourse to clinical qualitative methodologies, namely narrative construction methodology (Family Apperception Test of Sotile, W., Julian III, A., Henry, S. & Sotile, M., 1999) and of graphic production (Family Drawing Test of Corman, 1982). Children from the sample of vulnerability context presented a greater difficulty in Self and Family representations. The Self representation did not show to be equilibrated and satisfactory, being marked for the difficulty in talking about themselves, in doing a positive self-evaluation and with the predominance of negative psychological attributes as well as third-party negative evaluations. Family representation of vulnerability context children was marked by the difficulty in elaborating conflicts and the respective solution, therefore evidencing signs discomfort and psychological suffering. Lastly, the limitation of this study and the implications to the clinical context are discussed, and insights for further investigations on this subject are suggested.
Descrição: Tese de Mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/20255
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047390_tm.pdf1,31 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.