Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20363
Título: Dimensão sapiencial da realeza neo-assíria século VIII a VII a.C.
Autor: Martins, Ivo Ricardo dos Santos
Orientador: Santos, António Ramos dos
Caramelo, Francisco
Palavras-chave: Sabedoria - História
Legitimidade (Ciência política)
Monarquia - Assíria - História
Literatura sapiencial - História e crítica
Assíria - História
Assíria - Reis e governantes
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 18-Mar-2015
Resumo: O presente trabalho estuda a influência que a tradição sapiencial mesopotâmica exerceu sobre o esforço de legitimação da instituição real neo-assíria. A instituição real assíria debateu-se com dois problemas estruturais, nomeadamente: a instabilidade política e as resistências regionais ao sistema imperial. Por seu turno, cada monarca neo-assírio procurou dar resposta a estas debilidades, afirmando a efetividade do seu poder sobre súbditos e vassalos por meio de ações de âmbito diverso: campanhas militares, recolha de tributos, deportações, programas de construção e reconstrução, tratados de vassalagem, entre outros. A ideologia real assíria evoluiu para acomodar estas respostas numa política de prestígio concertada, visando a legitimação do poder imperial assírio, da instituição real e do monarca. Pretende-se compreender em que medida a tradição sapiencial mesopotâmica contribuiu para concretizar essa política de prestígio e quanto facilitou a difusão e assimilação da mensagem legitimadora por parte das populações mesopotâmicas e próximo-orientais. Para esse efeito, foi reunido um corpus documental, composto por textos de várias tipologias, que teve circulação no período neo-assírio e que discutia as temáticas da sabedoria e da realeza. Para melhor compreensão, o corpus foi subdividido em três planos interpretativos consoante a época e o contexto de produção: plano mitológico, plano histórico antigo, plano histórico recente. O contributo da tradição sapiencial mostra-se efetivo mediante a introdução de caracteres sapienciais na construção do discurso legitimador e da imagética, e pelo estabelecimento de uma base de diálogo com fundações culturais capazes de gerar mútuo entendimento entre povos de contextos regionais distintos. A tradição sapiencial tornou-se, assim, num veículo que permitiu a criação de coesão social entre as elites e a aceitação do poder imperial pelo grosso da população, ou, nos casos em que este desfecho não se verificou, permitiu que tanto os dominadores como os dominados compreendessem os pressupostos de parte a parte.
Abstract: In this work we study the influence of the mesopotamian wisdom tradition upon the effort to legitimize the neo-assyrian kingship. Throughout its history assyrian kingship dealt with two structural problems: political instability, and the regional opposition to the imperial system. In its stead, each neo-assyrian monarch sought to answer these problems by the reassertion of his power over subjects and vassals alike, by different means, such as: military campaigns, collection of tributes, deportations, construction and reconstruction programs, vassal treaties, among others. The royal ideology evolved to accommodate these answers within a concerted prestige policy which aims to legitimize the empire, the assyrian kingship, and the king himself. The goal of our work is to understand in what degree that prestige policy was made possible by the concourse of wisdom tradition and in what way it enabled the diffusion and the assimilation of the legitimating message by the mesopotamian and near-eastern populations. With this propose in mind, a text corpus has been assembled, which is composed by different typological texts, that had circulation in the neo-assyrian period, and that discussed wisdom and kingship. For a better understanding, the corpus was divided in a three-folded interpretative structure in accordance with the period and context of production: mythological plan, early historical plan, late historical plan. The contribution of the wisdom tradition proves effective thru the introduction of wisdom characters in the construction of the legitimating discourse and imagery, as well as the establishment of a dialogical base with cultural foundations able to generate mutual understanding between peoples from various regional contexts. Therefore, the wisdom tradition became a vehicle that allowed the creation of social cohesion between the elites and the acceptance of imperial power by the whole of the population, or, in the cases where that wasn’t possible, it allowed that both the dominators and the dominated to apprehend each other preconceptions.
URI: http://hdl.handle.net/10451/20363
Designação: Mestrado em História - Variante de História Antiga
Aparece nas colecções:FL - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfl181040_tm.pdf3,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.