Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/2037
Título: O retábulo da Pena de Nicolau Chanterene : geometria e significação
Autor: Henriques, Francisco, 1966-
Orientador: Pereira, Fernando António Baptista, 1953-
Palavras-chave: Retábulos
Renascimento
Geometria
Chanterenne, Nicolau, ca. 1485-ca.1555
Data de Defesa: 2006
Resumo: The plastic oeuvre and artistic excellence of Nicolau Chanterene have, over centuries, received attention and acclaim from a great number of authors. Various investigators share opinions regarding the nature and excellence of his knowledge, locating his plastic opus as part of a current perfectly imbued in the classical ideals promoted and developed during the Renaissance. Most authors also emphasize his erudition in geometry and in the most advanced depiction techniques. As the locale and nature of his instruction remain unknown, his works are characterized by the application of a classical syntax of Renaissance-inspired ideals. Chanterene was responsible for the introduction in Portugal of a new plastic discourse that initialized an accentuated shift within Portuguese art. While Master Nicolau demonstrates knowledge of both the northern and southern models in their essence, he evidences his artistic genius in a thorough and constant reformulation of the plastic grammar, invariably moving beyond the constraints of the norm and canon of which he was indeed knowledgeable. Considering the importance bestowed by the artists of the Renaissance to the understanding of arithmetic and geometry, as a means to establish proportion and harmony in their creations, and in the absence of a geometrical study contemplating Chanterene’s artistic production, an analysis of these characteristics has emerged as pertinent to the purposes of clarifying his progression and instruction, and providing a complementary understanding of his oeuvre. If we look at the retable of the Church of the Monastery of Nossa Senhora da Pena as the pinnacle of his artistic production and his paradigmatic work, we may assume that by scrutinizing the geometric scheme underlying its complex compositive organization we could characterize the reading of its narrative structure and bring to light new levels of signification.
A obra plástica e a excelência artística de Nicolau Chanterene têm colhido ao longo dos séculos a atenção e os elogios de um grande número de autores. Vários são os investigadores que perfilham opiniões comuns quanto à natureza e excelência dos seus conhecimentos, circunstanciando-o numa vertente plástica perfeitamente imbuída dos ideais clássicos, resgatados e avultados pelo Renascimento, chegando mesmo a generalidade dos autores a evidenciar a sua erudição ao nível da geometria e das mais avançadas técnicas de representação. Sendo desconhecidos os locais e a natureza da sua formação, as suas obras caracterizam-se pelo emprego de uma sintaxe clássica de ideais renascentistas, tendo Chanterene sido responsável pela introdução de um novo discurso plástico em território nacional, que marcou o início de uma acentuada viragem do rumo da arte portuguesa. Embora Mestre Nicolau demonstre o conhecimento dos modelos do norte e do sul na sua essência, a cada passo ele afirma o seu génio artístico numa inteira e constante reformulação da gramática plástica, seguindo sempre além do espartilho da norma e da tratadística de que foi, de facto, conhecedor. Tomando em consideração a importância que os artistas do Renascimento davam ao conhecimento da aritmética e da geometria no estabelecimento da proporção e da harmonia das suas obras, e na ausência de um estudo geométrico visando a produção artística de Chanterene, tornava-se pertinente uma análise visando estas características com o intuito de trazer novos contributos a futuras investigações, permitindo clarificar o seu percurso e aprendizagem, bem como fornecer novas leituras complementares da sua obra. Se olharmos para o retábulo da igreja do Mosteiro de Nossa Senhora da Pena como o momento alto da sua produção artística e a sua obra paradigmática, partimos do pressuposto de que, ao destrinçar o esquema geométrico subjacente à sua complexa organização compositiva, poderíamos caracterizar a leitura da estrutura narrativa e trazer à luz novos níveis de significado.
Descrição: Tese de mestrado em Teorias da Arte, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Belas Artes, 2006
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10451/2037
Aparece nas colecções:FBA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ULFBA_TES220_CAPA.JPG128,49 kBJPEGThumbnail
Ver/Abrir
ULFBA_TES220.pdfTese718,69 kBAdobe PDFVer/Abrir
ULFBA_TES220_ANEXOS.pdf Anexos : Volume iconográfico31,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.