Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20459
Título: A influência de funcionamento psicológico das mães de bebés pré-termo sobre a percepção que estas têm do comportamento dos seus bebés
Autor: Videira, Rute Marisa da Silva
Orientador: Justo, João Manuel Rosado de Miranda, 1958-
Palavras-chave: Mãe-criança - relações
Prematuros
Stress
Ansiedade
Depressão
Teses de mestrado - 2014
Data de Defesa: 2014
Resumo: Objectivo: Estudar a influência do funcionamento psicológico das mães de bebés pré-termo sobre a percepção que estas têm do comportamento dos seus bebés. Os aspectos do funcionamento psicológico destas mães que possivelmente têm uma influência mais significativa sobre as suas percepções são: o stress, a ansiedade e a depressão. Instrumentos: 36 mães pre-termo preencheram, Questionário Sociodemográfico e Clínico, Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS-21), Escala de Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS), Questionário das Características do Bebé (QCB), Questionário sobre Comportamento Alimentar do Bebé (QCAB) e Questionário sobre Padrão de Choro (QPC). Hipótese geral: O stress, a ansiedade e a depressão das mães de bebés pré-termo dão contributos significativos para a explicação da variância estatística da percepção que estas mães têm do comportamento dos seus bebés. H1: Estima-se que as variáveis independentes stress, ansiedade e depressão das mães pré-termo contribuam significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do padrão de choro (doze dimensões independentes) e do comportamento alimentar. H2: Estima-se que as variáveis independentes do domínio da satisfação conjugal das mães pré-termo contribuam significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do padrão de choro e do comportamento alimentar. H3: Estima-se que as variáveis independentes do domínio da percepção do apoio social das mães pré-termo contribuam significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do padrão de choro e do comportamento alimentar . H4: Estima-se que as variáveis independentes relativas aos acontecimentos obstétricos contribuam significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do padrão de choro e do comportamento alimentar. H5: Estima-se que as variáveis independentes do domínio das características do bebé pré-termo contribuam significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis iv dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do padrão de choro e do comportamento alimentar . Resultados: a primeira hipótese não se confirma, na medida em que as variáveis independentes stress, ansiedade e depressão das mães pré-termo não contribuem significativamente para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes: percepção materna do temperamento do bebé, do comportamento alimentar e do padrão de choro. Relativamente à segunda hipótese, conclui-se que esta se confirma parcialmente, na medida em que a Satisfação Marital Global contribui significativamente para justificar a percepção materna sobre o comportamento alimentar do bebé, na medida em que, através dos dados da nossa análise, se verifica que a variável resposta à comida revela poder explicativo. Em relação à hipótese específica 3, os dados da análise de regressão permitem concluir que esta não se confirma, na medida em que as variáveis independentes do domínio da percepção do apoio social das mães pré-termo não se revelam significativos para a explicação da variância estatística das variáveis dependentes. Quanto à quarta hipótese, relativa à relação dos acontecimentos obstétricos com a percepção materna do temperamento do bebé, é parcialmente confirmada, na medida em que as variáveis independentes relativas aos acontecimentos obstétricos contribuem significativamente para a explicação da variância estatística da percepção do temperamento do bebé. A quinta hipótese, que diz respeito aos dados do bebé, foi parcialmente confirmada, na medida em que as variáveis relativas aos dados do bebé pré-termo contribuem significativamente para explicar a percepção materna sobre o comportamento alimentar do bebé, tal como se previu e fundamentou anteriormente Conclusão: espera-se que este trabalho tenha contribuído para um maior conhecimento e compreensão das repercussões que a prematuridade pode ter no funcionamento psicológico das mães de bebés pré-termo e, por sua vez, de que forma é que estas podem influenciar a percepção materna sobre o temperamento, comportamento alimentar e padrão de choro do bebé. No entanto, é importante realçar que a prematuridade por si só, não tem de ser vista necessariamente como um factor causador de ansiedade, depressão e stress, apesar de ser uma situação de vida propensa a tal, pelo que se deverá, também, ter em consideração outros factores relevantes, nomeadamente os antecedentes obstétricos, o estado clínico e de desenvolvimento do bebé, o suporte conjugal, familiar e social, o investimento parental e a avaliação da interacção mãe-bebé.
Objective: The main goal was to study the influence of pre-term mothers´ psychological functioning about the perception of their babies behavior. Instruments: 36 pre-term mothers had to fill, Questionário Sociodemográfico e Clínico, Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS-21), Escala de Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS), Questionário das Características do Bebé (QCB), Questionário sobre Comportamento Alimentar do Bebé (QCAB) e Questionário sobre Padrão de Choro (QPC). General Hypothesis: Stress, anxiety and depression of pre-term babies’ mothers contribute significantly to the explanation of the statistical variance of these mothers´ perceptions about their baby behavior. Specific Hypotheses: H1: It is estimated that independent variables, stress, anxiety and depression of pre-term mothers contribute significantly to the explanation of dependent variables (mother perception about baby temperament, crying pattern and feeding behavior) statistic variance. H2: It is estimated that independent variables from pre-term mothers´ marital satisfaction domain contribute significantly to the explanation of dependent variables (mother perception about baby temperament, crying pattern and feeding behavior) statistic variance. H3: It is estimated that independent variables from pre-term mothers´ social support perception domain contributes significantly to the explanation of dependent variables (mother perception about baby temperament, crying pattern and feeding behavior) statistic variance. H4: I tis estimated that independent variables related to obstetric events contribute significantly to the explanation of dependent variables (mother perception about baby temperament, crying pattern and feeding behavior) statistic variance. H5: I tis estimated that independent variables from the domain of pre-term babies´ characteristics contribute significantly to the explanation of dependent variables (mother perception about baby temperament, crying pattern and feeding behavior) statistic variance. Results: H1 was not confirmed, due to the non-contribute of independent variables (stress, anxiety and depression) to the statistic variance explanation of the dependent variable mentioned above. H2 was partially confirmed, in that global marital satisfaction contributes significantly to justify mother perception about baby feeding behavior. H3 was not confirmed because independent variables of pre-term mothers´ social support domain perception did not reveal significant to the statistic variance explanation of dependent variables. H4 related to the relation between obstetric events and mother perception about baby temperament was partially confirmed, because independent variables related to the obstetric events contribute significantly to the statistic variance explanation of the baby temperament perception. H5 regarding baby data was partially confirmed due to the significant contribution of the baby data to the explanation of mother perception about baby feeding behavior, as predicted and sustained before. Conclusion: It´s expected that this study contributes to a better knowledge and comprehension of the repercussions that prematurity may have in pre-term mothers´ psychological functioning and in turn, the way they can influence mother perception about baby temperament, feeding behavior and baby crying pattern. However it´s important to note that prematurity by itself do not have to be seen necessarily as a causal factor for anxiety, depression and stress, besides the fact that life situation is likely to promote that. Nonetheless, other relevant factors must be considered, including obstetric background, clinical and developmental baby status, marital, family and social support, parental investment and mother-baby interaction evaluation.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10451/20459
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047397_tm_tese.pdf878,25 kBAdobe PDFVer/Abrir
ulfpie047397_tm_anexos.pdf1,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.