Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20462
Título: A percepção materna da diferença entre o bebé imaginário e bebé real segundo o número de gestações, o estado emocional e as experiências obstétricas anteriores
Autor: Costa, Patrícia Mendes Lourenço Maltez da
Orientador: Justo, João Manuel Rosado de Miranda, 1958-
Palavras-chave: Recém-nascido - psicologia
Factores psicológicos
Depressão
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Introdução: Durante a gravidez as mães constroem uma representação do seu filho, o bebé imaginário, fruto das suas fantasias e da percepção dos movimentos do feto. No dia do nascimento as mães deparam-se com o bebé real. Neste momento, pode verificar-se uma maior ou menor discrepância entre as duas representações. Objectivos: O presente estudo pretende investigar, em mães de bebés recém-nascidos, de que modo é que a percepção materna da diferença entre bebé imaginário e bebé real pode ser explicada por factores psicológicos e biomédicos. Metodologia: De forma a analisar as hipóteses de investigação, foram aplicados, a um grupo de 50 recém-mães (que deram à luz na Maternidade Dr. Alfredo da Costa), os seguintes instrumentos: Questionário Sociodemográfico e Clínico (construído originalmente para este estudo), Questionário da Diferença Bebé Imaginário/Bebé Real (Chagas, Maltez, & Miranda, 2013), Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (Pais-Ribeiro, Honrado & Leal, 2004) e Escala de Satisfação com o Suporte Social (Pais-Ribeiro, 1999). Resultados: A regressão linear permitiu perceber que as variáveis independentes que contribuem para a explicação da variância estatística dos cinco factores do Questionário da Diferença Bebé Imaginário/Bebé Real se podem agrupar em: variáveis obstétricas; variáveis pediátricas e variáveis psicológicas. Das variáveis obstétricas fazem parte as variáveis “regularidade da vigilância da gravidez”, “existência de interrupções de gravidez por recomendação médica”, “existência de IEGs” e “gravidez planeada”. Das variáveis pediátricas fazem parte as variáveis “peso do bebé à nascença”, “comprimento do bebé à nascença” e “idade cronológica do bebé”. Finalmente, nas variáveis psicológicas incluem-se as variáveis “depressão”, “índice composto de ansiedade, depressão e stress” e “satisfação com as actividades sociais”.
Background: During pregnancy, mothers develop a mental representation of their babies, which is called imaginary baby and comes from their dreams, fantasies and from their perception about fetal movements. On the day the baby is born, mothers face themselves with the real, true baby. In that moment there will be a bigger or smaller discrepancy between these two representations. Aims: This study aims to investigate whether the difference between these two representations can be explained by psychological and biomedical factors. Method: Instruments: Clinical and Sociodemographic Questionnaire (devised specifically for this study), Questionnaire on the Difference Imaginary Baby vs. Real Baby (Chagas, Maltez, & Miranda, 2013), Anxiety, Depression and Stress Scale (Pais-Ribeiro, Honrado & Leal, 2004) and Satisfaction with Social Support Scale (Pais-Ribeiro, 1999). Participants: Mothers (N = 50) who had recently given birth at Maternidade Dr. Alfredo da Costa. Results: Linear regression analysis enabled us to understand that the independent variables which explain the statistic varience of the five factors about the difference imaginary baby vs. real baby are: “regularity of medical control during pregnancy”, “previous pregnancy interruptions by medical advice”, “previous spontaneous interruptions of pregnancy”, “pregnancy planning”, “birth weight”, “birth length”, “baby’s age”, “maternal depression”, “composite index of anxiety, depression and stress” and “satisfaction with social activities”. Conclusion: Following results already described, it is possible to stand that maternal perception about the difference imaginary baby vs. real baby is probably influenced by obstetric variables, pediatric variables and psychological variables.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20462
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047423_tm_tese.pdf986,88 kBAdobe PDFVer/Abrir
ulfpie047423_tm_anexos.pdf394,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.