Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20563
Título: Será que os pais sabem como os filhos contam? : avaliação da contagem numa turma do 1º ano e a sua relação com as perceções parentais
Autor: Falcão, Filipa Polleri
Orientador: Gonçalves, Maria Dulce Miguéns, 1961-
Palavras-chave: Encarregados de educação
Comportamento parental
Operação de contagem
Ensino básico - Portugal
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Este estudo parte da literatura sobre a operação de contagem, dentro do âmbito da matemática, seguindo a teoria dos cinco princípios de Gelman e Gallistel (1978). O objetivo foi de explorar o instrumento de avaliação da operação de contagem (Conta-me como Contas) bem como a sua relação com as perceções e comportamentos parentais. Assim, avaliou-se a operação de contagem numa turma do primeiro ano do ensino básico (23 alunos) através do instrumento Conta-me como Contas. Os encarregados de educação (N=34) preencheram um questionário que avalia as suas perceções e comportamentos quanto à contagem dos seus educandos. As principais variáveis em estudo foram cada um dos cinco princípios da contagem de Gelman e Gallistel (1978; ou seja, o principio da correspondência de um para um, da estabilidade numérica, da cardinalidade, da abstração e da irrelevância da ordem), as perceções e comportamentos parentais, a idade e o género. Foram encontrados bons resultados ao nível da precisão intra-avaliador e inter-avaliadores para o instrumento Conta-me como Contas. Quanto aos resultados da turma, constata-se que apenas 31,6% dos alunos têm a operação de contagem totalmente adquirida. No entanto, os encarregados de educação percecionam os seus educandos como já dominando esta operação. Assim, no final estão referidas sugestões de intervenção. Relativamente à correlação entre variáveis, verificou-se uma correlação significativa entre o princípio de correspondência de um para um, da cardinalidade e da irrelevância da ordem, com o número total de princípios de contagem adquiridos. O género, as autoperceções e as perceções e comportamentos parentais não tiveram uma correlação significativa com a operação de contagem. Mas, como a amostra do estudo é pequena, sugere-se a necessidade de mais estudos de forma a aumentar o conhecimento sobre a contagem.
This study begins with literature about counting, within the mathematical field, and follows the five principles theory of Gelman and Gallistel (1978). The purpose was to explore the counting assessment instrument (Conta-me como Contas) as well as its relations with parental perceptions and behaviors. So, a counting assessment was done in a first grade class of a primary school (23 students) through the instrument Conta-me como Contas. The children’s primary care givers (N=34) filled in a questioner that asses their perceptions and behaviors regarding their child’s counting skill. The main variables of this study were each one of the five principles proposed by Gelman and Gallistel (1978; therefore, the one to one principle, the stable order principle, the cardinal principle, the abstraction principle and the order irrelevance principle), the parental perceptions and behaviors, age and gender. Good precision results were found for the instrument Conta-me como Contas. As for the class’s results, it turns out that only 31,6% of the students have fully acquired the counting skill. Nevertheless, the children’s primary care givers perceive their child as already mastering this capacity. Thus, in the end there are some suggestions for interventions. Regarding the correlations between variables, a significant correlation was found among the one to one principle, the cardinal principle and the order irrelevance principle, with the total number of acquired counting principles. Gender, self-perceptions and parental perceptions and behaviors were not significantly correlated with the counting skill. However, because the sample of this study is small, more studies are required in order to increase our knowledge about the counting skill.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia da Educação e da Orientação), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20563
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047440_tm.pdf1,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.