Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20675
Título: A centralidade do atlântico: Portugal e o futuro da ordem internacional
Autor: Reis, Bruno Cardoso
Data: 2015
Editora: IDN. Instituto de Defesa Nacional
Citação: Reis, B. C. (2015). A centralidade do atlântico: Portugal e o futuro da ordem internacional. (IDN Cadernos, 19)
Resumo: Será que o Atlântico, em particular o Atlântico Norte, está realmente a perder a centralidade estratégica e económica que tem tido nos últimos séculos? Esta é a primeira grande questão a que este ensaio pretende dar resposta, mesmo que necessariamente parcial.O que não oferece dúvida é a centralidade do Atlântico para Portugal. Para o bem e para o mal, esteja o espaço atlântico a perder ou a ganhar centralidade, estejam as potências atlânticas a ganhar ou perder peso na distribuição global de poder, sejam quais forem as tendências e mudanças que afetem o Atlântico, elas serão fundamentais para o futuro de Portugal, como o foram para o seu passado.A segunda questão fundamental deste ensaio é a de saber se Portugal pode hoje ter uma política atlântica e, se sim, qual deveria ser? Será, por outras palavras, que Portugal à procura de um papel internacional pós-colonial se pode dar ao luxo de definir prioridades no quadro de uma política externa minimamente autónoma? Há quem considere que não. Não é esse o ponto de vista deste ensaio. Por isso apontaremos para algumas sugestões concretas no sentido de posicionar melhor Portugal no Atlântico do futuro.
URI: http://hdl.handle.net/10451/20675
ISBN: 978-972-27-1994-0
Versão do Editor: http://www.idn.gov.pt/publicacoes/cadernos/idncaderno_19.pdf
Aparece nas colecções:ICS - Outras Publicações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ICS_BCReis_Centralidade.pdf840,25 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.