Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20729
Título: Rituais familiares : um fator de proteção para a adaptação do pais de crianças e adolescentes com paralisia cerebral?
Autor: Regateiro, Joana Raquel Félix
Orientador: Crespo, Carla Alexandra Mesquita, 1977-
Palavras-chave: Paralisia cerebral
Rituais familiares
Qualidade de vida
Ansiedade
Depressão (psicologia)
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: A paralisia cerebral é a perturbação do desenvolvimento mais comum na infância, estimando-se que a sua prevalência no mundo seja de 2 a 2.5 casos por 1000 nascimentos. Cuidar de uma criança /adolescente com paralisia cerebral envolve vários desafios de modo a atender às necessidades inerentes a esta condição crónica. A adaptação individual e familiar no âmbito das condições crónicas de saúde em idade pediátrica tem sido alvo de crescente atenção nos últimos anos. Neste contexto específico, cada vez mais se considera a relevância da família para uma positiva adaptação de pacientes e pais/cuidadores. De entre os vários fatores familiares de relevo, os rituais familiares têm sido considerados importantes recursos para a adaptação de indivíduos e famílias no contexto de condições cronicas de saúde. O presente estudo comparou a associação entre o significado dos rituais familiares e os indicadores de adaptação, nomeadamente, a qualidade de vida e o ajustamento psicológico (depressão e ansiedade) em dois grupos: pais de crianças e adolescentes entre os 6 e os 20 anos com paralisia cerebral (amostra do grupo clínico, N=31) e sem paralisia cerebral (amostra do grupo de controlo, N=31). Os participantes responderam a questionários de auto-relato que avaliaram o significado dos rituais familiares (Questionários dos Rituais Familiares), a qualidade de vida (EUROHIS-QOL) e a sintomatologia depressiva (PHQ9) e ansiosa (GAD-7). Os resultados mostraram não haver diferenças entre os grupos relativamente às variáveis em estudo. Verificou-se uma associação positiva entre o significado dos rituais familiares e a qualidade de vida e uma associação negativa entre o significado dos rituais familiares e a sintomatologia depressiva e ansiosa na amostra clínica. Adicionalmente, verificou-se que a associação entre o significado dos rituais familiares e a sintomatologia depressiva era moderada pelo grupo (clínico vs. controlo): os rituais familiares estavam significativamente associados a menores níveis de sintomatologia depressiva no grupo clínico, mas não no grupo de controlo. Estes resultados sugerem que os rituais familiares podem ser considerados um fator protetor da adaptação parental de pais de crianças e adolescentes com paralisia cerebral.
Cerebral palsy is the most common development disorder during childhood. The world’s estimated prevalence of this condition is from 2 to 2.5 per 1000 births. Taking care of a child/teenager with cerebral palsy poses several challenges in order to meet the specific needs associated with this chronic condition. During the last years, increasing attention has been given to both individual and familiar adaptation in the context of pediatric chronic conditions. The importance of family for a more positive adaptation of patients and parents/caregivers has become more and more relevant. Among several relevant family factors, family rituals have been considered important resources for the adaptation of both individuals and families in a context of chronic health conditions. Therefore, the present study compared the association of family rituals and adaptation indicators, namely, quality of life and psychological adjustment (depression and anxiety) in two groups: parents of children and adolescents between 6 and 20 years old with cerebral palsy (clinical group, N=31) and without cerebral palsy (control group, N=31). The participants filled out self-report questionnaires assessing family ritual meaning (Family Ritual Questionnaire), quality of life (EUROHISQOL) and both depressive (PHQ9) and anxious (GAD-7) symptoms. No differences were found between the groups regarding the study variables. A positive association between family ritual meaning and quality of life and a negative association between family ritual meaning and depressive and anxious symptoms were found for the clinical group only. Additionally, the association between family ritual meaning and depressive symptoms was moderated by the group (clinical vs. control): family rituals were significantly associated with lower levels of depressive symptoms in the clinical group but not in the control group. In the light of these findings, family rituals can be considered a protective factor for parental adaptation in parents of children and adolescents with cerebral palsy.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20729
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie047465_tm.pdf1,47 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.