Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20809
Título: Motivação, envolvimento e autoconceito : um estudo com militares dos cursos de formação de sargentos da marinha portuguesa
Autor: Frade, Ana Sílvia Bernardo Vinhas, 1982-
Orientador: Veiga, Feliciano Henriques, 1952-
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: A presente investigação teve como objetivo principal analisar a motivação, o envolvimento e o autoconceito de militares em formação, como é que estas variáveis se relacionam entre si, e quais os seus fatores. No âmbito da metodologia, foi desenvolvido um estudo quantitativo com uma amostra constituída por 149 formandos que integravam os Cursos de Formação de Sargentos da marinha portuguesa, iniciados em 2011 e em 2012. Para a avaliação do envolvimento, foi utilizada a Utrecht Work Engagement Scale (UWES), na sua adaptação portuguesa (Porto-Martins & Benevides-Pereira, 2008) e o Questionário do Envolvimento dos Estudantes na Escola (QEEE), de Veiga, Pavlovic, Garcia e Ochoa (2010). Para a avaliação da motivação, foi utilizada a Escala de Motivação para a Aprendizagem – Universitário (EMAPRE-U), de Zenorini e Santos (2010). Para a avaliação do autoconceito, foi utilizada a Teacher self-concept evaluation scale (TSCES), de Villa e Calvete (2001), adaptada para Portugal por Veiga, Gonçalves, Caldeira e Zuniga (2006). A análise dos resultados permitiu encontrar relações significativas entre a motivação, o envolvimento, o autoconceito e fatores sociodemográficos e permitiu destacar as seguintes conclusões: o autoconceito emergiu como um preditor significativo da motivação e do envolvimento, revelando que quanto maior for o autoconceito maior será a motivação e o envolvimento; formandos mais novos com maior satisfação classificaram-se com níveis mais elevados de meta performance-evitação, e com níveis superiores de envolvimento comportamental; formandos mais novos com baixa satisfação classificaram-se com maior envolvimento total (englobando dedicação, vigor e absorção); formandos não asilantes com baixa aceitação de riscos e iniciativas classificaram-se com níveis superiores de meta performance-evitação; formandos não asilantes com alta satisfação classificaram-se com níveis mais altos de envolvimento comportamental; e formandos asilantes com menor satisfação classificaram-se com maior envolvimento afetivo e engagement total (afetivo, cognitivo e comportamental). Implicações para a prática futura foram, também, apresentadas, bem como sugestões de estudos futuros.
The present study aimed primarily to analyze the motivation, engagement and self-concept of military personnel in training, how these variables interplay, and what their factors are. Regarding methodology, a quantitative study was conducted with a sample comprising 149 trainees of the Training Course for Petty Officers 1st Class of the Portuguese Navy (Curso de Formação de Sargentos – CFS) which initiated in 2011 and 2012. To assess trainee engagement, the Utrecht Work Engagement Scale (UWES) was used in its Portuguese adaptation (Porto-Martins & Benevides-Pereira, 2008), as well as the Questionnaire for Students’ Engagement in School (Questionário do Envolvimento dos Estudantes na Escola – QEEE) by Veiga, Pavlovic, Garcia and Ochoa (2010). To assess motivation, the Learning Motivation Scale – Undergraduates (Escala de Motivação para a Aprendizagem – Universitário (EMAPRE-U)) by Zenorini and Santos (2010) was used. To assess self-concept, the Teacher self-concept evaluation scale (TSCES) by Villa and Calvete (2001) was used in its adaptation to the Portuguese context by Veiga, Gonçalves, Caldeira e Zuniga (2006). The result analysis allowed the finding of significant relationships between motivation, engagement, self-concept and sociodemographic factors, allowing also to highlight the following conclusions: self-concept emerged as a significant predictor of motivation and engagement revealing that the higher the self-concept, the higher motivation and engagement will be; younger trainees with high satisfaction obtained higher levels of performance-avoidance goals as well as higher levels of behavioral engagement; younger trainees with low satisfaction obtained higher levels of total engagement (encompassing dedication, vigor and absorption); trainees living off-base with low risk and initiative acceptance scored higher levels of performance-avoidance goals; trainees living off-base with high satisfaction levels scored higher levels of behavioral engagement; and trainees living onbase with lower satisfaction scored higher levels of affective engagement and total engagement (affective, cognitive and behavioral). Future practice implications were also presented, in addition to suggestions for future studies.
Descrição: Tese de doutoramento, Educação (Psicologia da Educação), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20809
Designação: Doutoramento em Educação
Aparece nas colecções:IE - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd071708_td_Ana_Frade.pdf10,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.