Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/20847
Título: Habitat use, growth and reproductive behaviour of the western ruivaco (Cyprinidae): contributes to the restocking of wild populations
Autor: Mameri, Daniel Chagas Roquette
Orientador: Santos, Carla Sousa, 1978-
Magalhães, Maria Filomena, 1964-
Palavras-chave: Biologia da conservação
Teses de mestrado - 2015
Data de Defesa: 2015
Resumo: Os ciprinídeos (Cyprinidae) constituem a família mais numerosa de peixes de água doce, tendo uma distribuição a nível global e ocupando uma grande diversidade de nichos ecológicos. Na Península Ibérica, encontram-se representados por um grande número de espécies endémicas, a maioria das quais com estatutos de conservação elevados. Para além das ameaças inerentes aos ecossistemas fluviais (e.g. poluição, proliferação de espécies exóticas e destruição de habitats) e do carácter intermitente de grande parte dos rios da região, os ciprinídeos ibéricos apresentam, na sua grande maioria, populações fragmentadas e com reduzida diversidade genética, o que potencia o seu risco de extinção. O ruivaco-do-Oeste Achondrostoma occidentale é uma das espécies endémicas de Portugal que se encontra fortemente ameaçada. Este pequeno ciprinídeo apresenta uma distribuição muito restrita, limitada às ribeiras do Alcabrichel, Sizandro e Safarujo, onde as populações já com baixa diversidade genética enfrentam ainda graves problemas de poluição das águas e destruição de habitats. Face à situação de risco do ruivaco-do-Oeste e ao contexto de seca ocorrido em Portugal em 2006, iniciou-se em 2007 um programa de conservação ex situ desta espécie. Este programa permitiu até à data, a realização de sete acções de repovoamento das populações de ruivaco-do-Oeste do Alcabrichel, Sizandro e Safarujo, com a libertação de um total de 6577 indivíduos. Apesar do sucesso da reprodução do ruivaco-do-Oeste em cativeiro, a sua ecologia permanece pouco conhecida, sendo evidente a falta de informação de base sobre a distribuição e abundância das populações naturais e parâmetros de história de vida, nomeadamente no que se refere aos padrões de crescimento (tanto das populações selvagens como das criadas em cativeiro) e ao comportamento reprodutor. O esclarecimento destes vários aspectos reveste-se de extrema relevância para definir directrizes para futuras acções de repovoamento de populações selvagens desta espécie. Neste contexto, e através de três abordagens distintas, pretende-se com esta tese: (1) avaliar o uso do habitat e o estado actual das populações selvagens, através de estimativas de abundância relativa e determinação do comprimento e condição física; (2) estudar o crescimento das populações em cativeiro e compará-lo com o das populações selvagens; (3) descrever o comportamento reprodutor da espécie, usando uma população mantida em cativeiro em condições que recriam o mais fielmente possível o ambiente natural. Com base na análise integrada dos resultados obtidos com esta abordagem multidisciplinar, pretendem-se indicar formas de melhorar a eficácia das futuras acções de repovoamento a realizar no âmbito do programa de conservação ex situ de que esta espécie é alvo. A monitorização das populações selvagens foi realizada entre Setembro e Outubro de 2014, no final da estação seca, quando a conectividade das ribeiras Alcabrichel, Sizandro e Safarujo estava ainda interrompida e os peixes se encontravam confinados em pêgos isolados, que funcionam como refúgios estivais e fontes de colonizadores para o sistema na estação húmida. As zonas montante das três ribeiras foram percorridas de carro e mapearam-se os pêgos persistentes. Em cada um dos 14 pegos inventariados quantificaram-se, 15 variáveis de habitat, descritoras da morfologia do pêgo (i.e. comprimento, largura e profundidade máximas, área e volume), ensombramento das galerias ripícolas, abundância de macrófitas e de detritos, substrato dominante, heterogeneidade do substrato, temperatura da água, pH e concentração de amónia, nitritos e nitratos na água. A abundância relativa de A. Occidentale foi estimada através de pesca eléctrica, sendo o tempo de amostragem proporcional ao volume do pêgo. Foram medidos o comprimento à furca e o peso de todos os indivíduos capturados, com vista à obtenção de distribuições de comprimento e determinação do factor de condição, respectivamente. Para os peixes com mais de 40 mm, foram ainda retiradas três escamas da terceira fiada de escamas abaixo da barbatana dorsal, para posterior determinação da idade e taxas de crescimento. Foi também verificada a presença, na barbatana dorsal, da cicatriz do corte efectuado aos indivíduos libertados nas acções de repovoamento, para reconhecimento da sua proveniência. Por forma a comparar o crescimento das populações selvagens com o das populações cativas, foram recolhidas escamas em indivíduos das populações mantidas em cativeiro no Aquário Vasco da Gama e na Estação Aquícola de Campelo. A idade de cada indivíduo foi determinada através da contagem, à lupa, das marcas anuais de crescimento. O comprimento à furca em cada idade foi estimado por retrocálculo, a partir das relações entre o raio total da escama e o comprimento à furca, e foram posteriormente determinados os incrementos anuais de comprimento. A componente deste trabalho relativa ao estudo do comportamento reprodutor do ruivaco-do-Oeste foi realizada no Aquário Vasco da Gama, com uma população do Rio Safarujo fundada em 2011. Após um período de observação informal iniciado em Novembro de 2014, os primeiros indícios de início de actividade reprodutora no tanque experimental foram observados no princípio de Abril de 2015, tendo-se então iniciado a descrição dos comportamentos reprodutores e a construção do respectivo etograma. Posteriormente, no início de Maio de 2015, procedeu-se à quantificação dos comportamentos reprodutores em função do substrato (plantas, meadas de lã e areão) e do período do dia (8h30-11h30, 11h30-14h30 e 15h00-18h00). Os valores de temperatura e a quantidade de luz incidente no tanque experimental a cada quatro horas foram registados automaticamente com um data logger. A monitorização dos refúgios estivais revelou que os pêgos com maior área se encontravam no Rio Sizandro, enquanto que os do Rio Alcabrichel apresentavam um maior volume. O número de indivíduos capturados por pêgo foi superior no Rio Sizandro e inferior no Rio Safarujo. A abundância relativa do ruivaco-do-Oeste em cada pêgo apresentou uma associação positiva com a temperatura da água e a abundância de macrófitas e negativa com a profundidade. Os maiores valores de abundância relativa foram observados em dois pêgos que foram alvo de acções de repovoamento, um no Rio Alcabrichel e outro no Rio Sizandro, que foram alvo de acções de repovoamento em 2011 e 2013. Nestes pêgos, os indivíduos capturados apresentaram também valores relativamente altos de condição física. As distribuições de comprimento à furca obtidas para as populações do Alcabrichel e do Sizandro revelaram um padrão bimodal, reflectindo muito provavelmente o efeito das acções de repovoamento no aumento das classes de idade mais jovens (0+ e 1+). Na população do Safarujo, a única que não tinha sido alvo de qualquer acção de repovoamento à data das amostragens, a distribuição de comprimento apresentou um carácter unimodal e uma maior variabilidade. A maior longevidade foi registada em indivíduos criados em cativeiro (5+). Estes indivíduos tendem a apresentar crescimentos superiores aos indivíduos selvagens, nas populações do Alcabrichel e do Safarujo. Pelo contrário, nas populações do Sizandro, os indivíduos selvagens apresentaram maior crescimento, podendo esta diferença dever-se às menores temperaturas a que está sujeita a população do Sizandro mantida em cativeiro em Campelo. Relativamente ao comportamento reprodutor do ruivaco-do-Oeste, foi possível observar comportamentos de pré-postura que envolvem, maioritariamente, a perseguição de fêmeas em pré-postura por parte dos machos. Verificou-se uma maior prevalência dos comportamentos reprodutores junto a plantas aquáticas, em comparação com a actividade observada junto aos outros substratos disponíveis (areão e meadas de lã), o que sugere que as plantas podem constituir o substrato preferencial para a desova nesta espécie. Globalmente, os dados recolhidos através da abordagem multidisciplinar desenvolvida para o estudo do ruivaco-do-Oeste revelaram que (1) as acções de repovoamento podem efectivamente contribuir para o reforço das classes de idade mais jovens e para um possível aumento de tamanho e condição física individual; (2) pêgos com maior volume e abundância de macrófitas são locais potenciais para futuras acções de repovoamento; (3) a presença de plantas aquáticas é, muito provavelmente, essencial para o sucesso reprodutor desta espécie e consequentemente para o recrutamento de colonizadores em cada ano, sendo este um dos critérios que deve ser tido em conta na escolha de locais para futuras acções de repovoamento; (4) independentemente das boas indicações obtidas através das monitorizações de populações selvagens, o programa de conservação ex situ desta espécie, para ser plenamente conseguido, deverá ser acompanhado por uma melhoria significativa de troços de cada uma das ribeiras habitadas pelo ruivaco-do-Oeste.
Iberian cyprinids include a high number of endemic and highly threatened species. One of such species is the Portuguese western ruivaco Achondrostoma occidentale which is currently under threat mainly due to habitat degradation and water scarcity, risks that are further potentiated by its low geographic range and reduced genetic diversity. Although A. occidentale has been the target of an ex situ conservation program since 2007, there is still a considerable lack of baseline information on this species. This study aimed to gather data on habitat use, population abundance and condition, growth and reproductive behaviour that could provide valuable guidelines to future restocking actions. Fish and habitat surveys were conducted in persistent pools that could act as summer refugia. Growth rates were determined for wild and captive populations and reproductive behaviour was studied in specimens bred in captivity. Results showed that (1) macrophytes’ coverage was positively associated and pool depth was negatively associated with fish relative abundance; (2) restocking actions led to a reinforcement of lower age classes in A. occidentale wild populations; (3) captive populations of the Alcabrichel and Safarujo rivers have higher growth rates than the corresponding wild ones; and (4) aquatic vegetation is the preferred substrate for spawning in this species. Taken together, these results suggest that future restocking actions should be accompanied by habitat recovery, focusing on river bank vegetation, and conducted in persistent pools with high water volumes and abundant aquatic vegetation. It is also recommended that these actions are followed by annual surveys in order to assess the recovery of wild populations of A. occidentale.
Descrição: Tese de mestrado em Biologia da Conservação, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2015
URI: http://hdl.handle.net/10451/20847
Designação: Mestrado em Biologia da Conservação
Aparece nas colecções:FC - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfc115918_tm_Daniel_Mameri.pdf2,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.