Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/2200
Título: O planeamento da gravidez e a projecção da grávida através do desenho
Autor: Coelho, Eva Dias
Orientador: Justo, João Manuel Rosado de Miranda, 1958-
Palavras-chave: Gravidez
Técnicas projectivas
Desenho
Teses de mestrado - 2009
Data de Defesa: 2009
Resumo: Na presente investigação procedeu-se ao estudo do planeamento da gravidez e da projecção da grávida através do desenho, como instrumento projectivo. Foram definidos como objectivos principais: I) Explorar a importância da representação criada pela mãe, sobre o seu bebé, no decorrer do período gestacional, aprofundando as particularidades psicológicas associadas aos domínios do bebé fantasmático, do bebé imaginário e do bebé real; II) Comparar o tipo de planeamento da gravidez com o tipo de representação que as mães constroem acerca do bebé; III) Analisar se a representação psíquica que as grávidas têm do seu bebé influencia a forma como desenham a gravidez. Participaram no estudo 39 grávidas primíparas, entre o 7º e o 9º mês gestacional, com idades compreendidas entre os 25 e os 40 anos, divididas em grupos distintos, através do tipo de planeamento de gravidez (GP vs. GNP). Construiu-se um Questionário Sócio-Demográfico, referente a dados sócio-demográficos, obstetrícios, anamnésicos e do contexto gravídico. Solicitou-se às grávidas que desenhassem a sua gravidez. Aplicou-se um questionário complementar ao desenho, Avaliação do Bebé Imaginário por Via Gráfica , adaptado por Sá e Biscaia (1994). Os resultados denunciam a independência entre o planeamento gravidez e a representação pictórica de sinais de bebé imaginário, sugerindo que as mães que não idealizam o bebé ao planearem a gravidez necessitam de cuidar e enriquecer o desenho do bebé, atribuindo-lhe contornos identitários específicos, dando forma ao processo de criação mental do bebé. Revelam também a importância da realização da primeira ecografia como elemento de crucial importância no desenvolvimento de um sentimento de concretização da gravidez, trazendo à mulher grávida condições de incorporar o seu bebé, assim como o sentimento de estar grávida. Por outro lado, mostram ainda uma independência entre o desenho projectivo da gravidez e do bebé e a verbalização de uma representação mental consciente do bebé.
The current research work addresses pregnancy planning and pregnant women‟s projection, using drawing as a projective instrument. The main goals of this research were defined thus: I) to explore the significance of the mother‟s representation of the baby during gestation, examining the psychological specificities linked to the notions of phantasmatic baby‟, imaginary baby‟ and real baby‟; II) to compare the type of pregnancy planning with the type of representation mothers develop regarding the baby; III) to examine whether the psychological representation pregnant women have concerning their baby influences the way they draw pregnancy. Thirty-nine primiparae, aged between 25 and 40 years old, in their 7th to 9th month of pregnancy, participated in this study. These women were grouped according to type of pregnancy planning (planned pregnancy vs. unplanned pregnancy). A socio-demographic questionnaire was designed that collected socio-demographic, obstetrics, anamnesis and pregnancy-related data. Participants were asked to draw their pregnancy; this drawing was supplement by a questionnaire Assessing the Imaginary Baby by Pictorial Means , adapted by Sá & Biscaia (1994). Results show independence between pregnancy planning and pictorial representation of imaginary baby signs, suggesting that mothers that do not idealise the baby while planning their pregnancy have to attend to and enrich their drawn representation of the baby by ascribing to it specific identitary features, thus shaping the process of mental creation of the baby. Results also show the significance of the first ultrasound scanning as an element of crucial importance in developing a feeling of actuality concerning the pregnancy, providing to the pregnant woman conditions for incorporating her baby, as well as the feeling that she is pregnant. Results have also shown independence between the projective drawing of the pregnancy and the baby, and the verbalisation of a conscious mental representation of the baby.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000581491
http://hdl.handle.net/10451/2200
Aparece nas colecções:FPCE - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
22421_ulfp034958_tm.pdf1,34 MBAdobe PDFVer/Abrir
22421.xml9,75 kBXMLVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.