Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/24314
Título: A esquerda radical no período pós 2009: nada de (muito) novo em Portugal?
Autor: Santana-Pereira, José
Palavras-chave: Esquerda radical
Crise europeia
Data: Jul-2016
Editora: Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Citação: Santana Pereira, J. (2016). A esquerda radical no período pós 2009: nada de (muito) novo em Portugal? Oficina do Historiador, 9(1), 58-77
Resumo: A crise económica que eclodiu nas democracias europeias periféricas a partir de 2009 teve, em vários países da Europa do Sul, consequências graves em termos de estabilidade governativa e dos sistemas partidários. Neste contexto, o caso português tem sido apontado como excecional, visto que o agravamento da situação económica e as suas consequências políticas não provocaram uma afirmação eleitoral sem precedentes de forças de esquerda radical (como na Espanha e na Grécia). Neste artigo, apresenta-se o panorama da esquerda radical em Portugal e procede-se à análise de algumas dimensões associadas a este fenómeno de maior estabilidade do sistema partidário português à esquerda, nomeadamente a ausência de um fenómeno SYRIZA ou Podemos, recorrendo a explicações de natureza económica, ligadas à cultura política e à natureza do sistema partidário consolidado nas últimas quadro décadas.
The outbreak of the economic crisis in the peripheral European democracies from 2009 onwards had, in several Southern European countries, considerable consequences in terms of government and party system stability. In this context, the Portuguese case has been singled out as exceptional, since the worsening of the economic situation and its political consequences did not lead to the unprecedented electoral rise of radical left political forces, as in Spain and Greece. In this article, I present the Portuguese panorama in terms of radical left and analyse some of dimensions that allow us to understand this higher stability of the Portuguese party system to the left and the absence of a Podemos or SYRIZA phenomenon, namely economic factors, political culture, and the nature of the party system that was consolidated in the last four decades.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10451/24314
DOI: 10.15448/2178-3748.2016.1.22961
ISSN: 2178-3748
Versão do Editor: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/22961
Aparece nas colecções:ICS - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ICS_JSPereira_Esquerda_ARI378,94 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.