Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2499

Título: (Des)complexificando os estilos parentais : com pais casados e pais divorciados-separados
Autor: Gomes, Maria Inês Marques
Orientador: Ribeiro, Maria Teresa, 1962-
Palavras-chave: Parentalidade
Estilos parentais
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: A presente investigação pretende estudar e compreender as relações entre os estilos parentais (da percepção de estilos parentais do próprio e da percepção dos estilos parentais do outro) e algumas variáveis sócio-demográficas (sexo, nível de escolaridade, estado civil), bem como estudar e compreender as possíveis semelhanças e diferenças nos estilos parentais (do próprio e da percepção do outro) em famílias com pais casados e em famílias com pais separados ou divorciados, analisando também a influência de algumas variáveis sócio-demográficas (e.g. tempo de casamento, tempo de divórcio/separação, número de filhos, agregado familiar) nessa análise comparativa. Foi aplicada uma versão reduzida do Questionário de Dimensões e Estilos Parentais (QDEP) (Robinson, Mandleco, Olsen & Hart, 2001) a uma amostra de 60 pais, incluindo 30 pais casados e 30 pais divorciados/separados, com filhos em idade escolar. Os resultados do estudo demonstram-nos que as variáveis sócio-demográficas, nomeadamente o sexo, o nível de escolaridade e o estado civil, exercem influência nos estilos parentais adoptados pelos pais, ainda que nos pais casados não se tenham demonstrado diferenças. Quanto aos pais divorciados, verificou-se ainda a influência do tempo de divórcio/separação, do número de filhos e do agregado familiar nos estilos parentais (percepção do próprio e do outro). Como principal diferença, apontamos o facto de os pais divorciados/separados demonstrarem uma menor concordância inter-parental nos estilos parentais, na percepção de si próprios e do outro, em relação aos pais casados. Como principal semelhança apontamos o bom envolvimento na parentalidade, marcado por um estilo maioritariamente autoritativo de pais casados e de pais divorciados/separados.
The present study aimed to explore and comprehend the linkages between parenting styles (self-perception vs. perception of other’s parenting styles) and relevant socio-demographic variables (e.g. gender, educational background and marital status). A secondary goal of this study was also to compare the parenting styles of families with married couples with their divorced counterparts, by analysing the similarities and differences between both family types in terms of their socio-demographic characteristics (e.g. length of marriage, length of time spent since the divorce / split up, number of children, household). In order to evaluate the parenting style of the individuals, the short-version of The Parenting Styles and Dimensions Questionnaire (Robinson, Mandleco, Olsen & Hart, 2001) was applied to a total sample of 60 parents, comprised of 30 married couples and 30 divorced individuals. The findings of this study demonstrate that several socio-demographic variables, namely, gender, educational background and marital status may have a potential impact on the parenting style adopted by an individual. These variables, however, are more likely to be of relevance within divorced individuals, considering that no significant differences were found between the parenting styles of married couples. When it comes to the sub-sample of divorced subjects in the study, the results suggest that the length of time spent since the divorce / split up, the number of children and characteristics of the household may influence significantly the parenting style (self-perception vs. perception of other’s parenting styles). Overall, the results obtained in this study reveal that divorced individuals are more likely to disagree in their style of parenting in comparison with married couples. Finally, it is also worth mentioning that, despite of the marital status of the individuals in this sample, the majority demonstrated an authoritative parenting style, suggesting a good-enough involvement of these parents in their children’s upbringing.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/2499
Appears in Collections:FP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfp035810_tm.pdf1,59 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE