Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Psicologia (FP) >
FP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2509

Título: Stresse profissional : diferenças entre professores-formadores, administrativos e gestores-dirigentes
Autor: Vaz, Sara Raquel Gonçalves
Orientador: Rafael, Manuel, 1962-
Palavras-chave: Psicologia dos recursos humanos
Stress profissional
Professores
Formadores
Gestores
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: As transformações no mundo do trabalho têm salientado a importância do stresse profissional na vida dos trabalhadores de diferentes áreas. A presente investigação pretende estudar as principais diferenças nos níveis de stresse profissional entre três grupos profissionais considerados como possuindo elevados níveis de stresse – professores/formadores, administrativos e gestores/dirigentes. Os dados utilizados neste estudo resultam da aplicação do Inventário sobre o Stresse Profissional (Spielberger & Vagg, 1999) a uma amostra de 223 adultos empregados, e permitem identificar as principais fontes de stresse profissional percebidas pelos trabalhadores dos três grupos em análise. Verificam-se diferenças entre os grupos na frequência da ocorrência dos acontecimentos causadores de stresse, e, mais particularmente, na frequência da pressão do trabalho. A nível dos acontecimentos específicos de trabalho, os resultados vão no mesmo sentido, destacando-se os gestores/dirigentes, que, de um modo geral, percepcionam os acontecimentos causadores de stresse como mais frequentes e apresentam, consequentemente, níveis globais de stresse profissional mais elevados que os restantes grupos. Deste modo, o estudo demonstra a necessidade da implementação de programas de prevenção do stresse que incidam, idealmente, nas principais fontes de stresse específicas para cada profissão, de forma a reduzir ou evitar as suas consequências nefastas.
The transformations in the world of labour have highlighted the importance of occupational stress in the life of workers across occupations. This research aims at studying the main differences in the levels of occupational stress between three occupational groups considered to be highly stressfull – teachers/coaches, clericaladministrative workers and managers/leaders. Data was obtained through the application of the Job Stress Survey (Spielberger & Vagg, 1999) to a sample of 223 working adults, and allows the identification of the main sources of occupational stress perceived by the workers of the three groups considered. There are differences between the groups in the frequency of occurrence of the stressor events, and, particularly, in the frequency of job pressure. Concerning to the specific work events, the results point in the same way, revealing that managers/leaders generally perceive these events as occurring more frequently, and that, as a consequence, they show higher global levels of stress than the other groups. Therefore, the study demonstrates the need of implementing stress prevention programs that focus, ideally, in the main stressors specific to each occupation, in order to reduce or avoid its adverse consequences.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/2509
Appears in Collections:FP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfp035806_tm.pdf484,46 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE