Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/253
Título: Avaliação da actividade anti-inflamatória do ácido rosmarínico e de um extracto de Rosmarinus officinalis
Autor: Rocha, João Pedro Fidalgo, 1982-
Orientador: Filipe, Helder Dias Mota, 1965-
Lima, Beatriz Silva, 1955-
Palavras-chave: Farmacologia
Fitofarmácia
Teses de mestrado
Data de Defesa: 2009
Resumo: O decréscimo no aparecimento de novas entidades químicas com actividade terapêutica é reconhecido e levou a um número cada vez menor de novos fármacos aprovados. Tornou-se claramente necessária uma alteração nos processos de rastreio e desenvolvimento de medicamentos e os produtos naturais poderão ser de uma importância fulcral com fonte de novas moléculas. Neste trabalho demonstrámos que o ácido rosmarínico e um extracto de R. officinalis apresentam elevadas capacidades anti-oxidantes, como demonstrado pelo ensaio in vitro ORAC. A administração de ácido rosmarínico e extracto de R officinalis foi eficaz na redução do edema induzido pela administração sub-plantar de carragenina, tendo sido observado um efeito anti-inflamatório da mesma magnitude que a indometacina, um anti-inflamatório não esteróide, assim como ao obtido para substâncias com actividade anti-oxidante reconhecida, como o licopeno, tempol e trolox. Através da análise química do extracto, foi possível verificar que o mesmo apresentava uma elevada concentração de ácido rosmarínico, assim como concentrações reduzidas de outros compostos polifenólicos. A comparação do efeito anti-inflamatório no modelo de inflamação local revelou que o efeito do extracto e do ácido rosmarínico é sobreponível, para a mesma dose de ácido rosmarínico. Este dado parece indicar que a actividade anti-inflamatória observada para o extracto é atribuível apenas ao ácido rosmarínico. Desta forma, este trabalho sugere que a administração isolada do ácido rosmarínico como fármaco anti-inflamatório será uma escolha mais racional. Pelo menos em parte, a actividade anti-inflamatória evidenciada pelo ácido rosmarínico será atribuível à elevada capacidade anti-oxidante. No entanto, a actividade ao nível do sistema do complemento ou no processo de activação do NF-κB poderá ser responsável por grande parte da actividade anti-inflamatória. Como conclusão, a informação produzida por este trabalho, em conjunto com a literatura publicada até ao momento, parece apoiar a investigação do ácido rosmarínico no sentido do desenvolvimento de um fármaco anti-inflamatório.
The decrease in the output of new chemical entities with therapeutic activity is widely recognised and led to a decreasing number of approved drugs. It became clear that a change is mandatory on the screening and development processes of new medicines and natural products might be of great importance as a source of new molecules. In this work, we have shown that administration of rosmarinic acid and an extract of R. officinalis exhibited high anti-oxidant capacities, as demonstrated by the in vitro assay ORAC. In the in vivo assays, administration of rosmarinic acid and R. officinalis was prevented the increase in paw volume induced by subplantar administration of carrageenan, exhibiting an anti-inflammatory effect with the same magnitude as indomethacin, a known non steroid anti-inflamatory drug. It also exhibited a similar effect as the one observed for several known anti-oxidant drugs, as lycopene, tempol and trolox. Through the chemical analysis of the extract produced, we verified that the extract exhibited a high concentration of rosmarinic acid, as well as reduced concentrations of other poliphenolic coumpounds. The comparison of the anti-inflammatory effect of the extract and rosmarinic acid revealed that the effect is similar for the same doses of rosmarinic acid. This data seems to suggest that the anti-inflammatory activity exhibited by the extract is attributed to the rosmarinic acid activity. Therefore, this work suggests that administration of isolated rosmarinic acid would present itself as a more logical option. At least in part, the anti-inflammatory activity exhibited by rosmarinic acid is attributed to its anti-oxidant capacity. Nevertheless, activity on the complement system and on the NF-κB pathway might be responsible for a significant part of anti-inflammatory effect. As a conclusion, the data produced by this work, together with published literature, seems to support the research on rosmarinic acid in the context of the development of a new anti-inflammatory drug.
Descrição: Tese de mestrado em Medicamentos à Base de Plantas apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Farmácia, 2009
URI: http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000555699
http://hdl.handle.net/10451/253
Aparece nas colecções:FF - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
20592_ULFACD000238_TM.pdf8,8 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.