Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Farmácia (FF) >
FF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2622

Título: Ocorrência da patulina em alimentos destinados a lactentes e crianças: optimização e validação do método de análise por SPE-HPLC-UV
Autor: Barreira, Maria João Mendes Mendonça, 1965-
Orientador: Alvito, Paula Cristina da Cruz Oliveira Soromenho de, 1963-
Almeida, Cristina Maria Martins, 1965-
Palavras-chave: Teses de mestrado
Micologia
Bromatologia
Alimentação infantil
Issue Date: 2009
Resumo: A patulina é uma micotoxina produzida por certas espécies de fungos que, com frequência, contaminam maçãs e produtos derivados, particularmente sumo e puré de maçã, alimentos amplamente consumidos por crianças. Os estudos de toxicidade mostram que esta micotoxina é genotóxica, mutagénica, imunossupressora e neurotóxica. Com o objectivo de estudar a ocorrência de patulina em alimentos destinados a lactentes e crianças jovens, optimizou-se e validou-se um método de extracção em fase sólida e cromatografia líquida de alta eficiênciacom detector de ultra-violeta (SPEHPLC-UV), o qual foi posteriormente utilizado na análise de sumos e purés à base de maçã. O método SPE-HPLC-UV para a análise da patulina foi validado através da aplicação de diversos testes estatísticos que permitiram definir o intervalo de linearidade, a gama de trabalho, os limiares analíticos, a precisão, a exactidão e o efeito de matriz. A optimização do método de ensaio teve início com os, principalmente, em estudos de estabilidade da patulina, nomeadamente, efeito do pH, da temperatura de conservação, do tempo de conservação e das condições de evaporação. Os resultados dos ensaios de validação indicam que o método cromatográfico, HPLC-UV, é linear na gama de concentrações de 8 a 100 4g/L com limites de detecção (LOD) e quantificação (LOQ), calculados com base em estudos de repetibilidade, de 0,84 4g/kg e 2,8 4g/kg, respectivamente. O método global, SPE-HPLC-UV apresenta um LOD e um LOQ de 0,90 4g/kg e 2,9 4g/kg, respectivamente. Nas três matrizes estudadas, sumo (límpido e turvo) e purés, o método de SPE-HPLC-UV é preciso apresentando um desvio padrão relativo inferior ou igual a 10%, em condições de precisão intermédia. As interferências de matriz foram avaliadas nas três matrizes, através de estudos de recuperação obtendo-se valores entre 56 e 77% em condições de repetibilidade e entre 61 e 78% em condições de precisão intermédia. A exactidão do método foi avaliada com base nos resultados da participação em ensaios interlaboratoriais e com base na análise de materiais de referência e os resultados encontram-se dentro do critério de aceitação dos respectivos ensaios, mostrando que o método é exacto. O método validado permitiu avaliar o nível de contaminação de 148 amostras, correspondentes a 87 amostras para alimentação infantil (10 sumos límpidos e 77 purés) e 61 amostras de sumo (40 turvos e 21 límpidos), as quais, representam 34 amostras de origem biológica e 114 amostras convencionais. A patulina foi detectada em 38 amostras (26%) e quantificada em 21 (14%), apresentando uma contaminação média de 2,60 ± 6,3 μg/kg e um valor máximo de 42 μg/kg. A incidência de amostras positivas foi mais elevada em sumos turvos (67%) comparativamente com os sumos límpidos (13%) e purés (9%) e o valor médio de contaminação foi de 7,4 ± 10,7 μg/kg, 0,98 ± 1,23 μg/kg e 0,78 ± 0,80 μg/kg para sumos turvos, límpidos e purés, respectivamente. Nas 87 amostras para alimentação infantil, 10 sumos límpidos apresentaram níveis de contaminação inferiores ao LOD e 7 dos 77 purés apresentaram teores de patulina superiores ao LOD, com um máximo de 5,7 μg/kg. Estes resultados mostram que os níveis de patulina detectados nas amostras se encontram claramente abaixo dos valores limite regulamentados para alimentos à base de maçã destinados a lactentes e crianças jovens (10 μg/kg) e para sumos de fruta (50 μg/kg) indicando que a qualidade dos géneros alimentícios à base de maçã comercializados em Portugal é aceitável.
Patulin is a mycotoxin produced by certain species of fungi, often present in apples and apple derivatives like juice and puree, foodstuffs that are, in general, highly consumed by children. Patulin has been reported to be genotoxic, mutagenic, imunossupressive and neurotoxic in several toxicological studies. This study aims to study the occurrence of patulin particularly in apple-based baby foods using a SPE-HPLC-UV validated method. The SPE-HPLC-UV method was validated through the application of several statistical methods, which allow defining ou the linearity, working range, analytical limits, repeatability, precision, accuracy and matriz effect. The method optimization studies included the effect of several parameters concerning patulin stability, including the solvent pH, the storage temperature,the storage time and the evaporating conditions. Validation results for chromatographic method, HPLC-UV, showed that the method is linear from 8 to 100 μg/L. The limits of detection (LOD) and quantification (LOQ) based on repeatability studies were 0,84 μg/L and 2,8 μg/L, respectively. Analitical limits of the global method, SPE-HPLC-UV, were 0,90 4g/kg and 2,9 4g/kg, for LOD and LOQ, respectively. Under intermediate precision conditions the SPE-HPLC-UV method shows a good precision with a relative standard deviation equal or lower than 10% for the studied matrices (clear and cloudy juices and purees). Recovery studies used to assess matriz effects ranged from 56 to 77% under repeatability conditions and from 61% to 78% under intermediate precision conditions. Results from interlaboratory proficiency tests and analysis of reference materials, showed that the method is accurate. This SPE-HPLC-UV validated method was used to assess the contamination level of 148 apple based samples, including 87 baby foods (10 clear juices and 77 purees) and 61 juices (40 cloudy juices and 21 clear juices), corresponding to 34 and 114 organic and convencional foods, respectively. Patulin was detected in 38 samples (26%) and quantified in 21 (14%) samples. Mean patulin concentration was 2,6 ± 6,3 μg/kg, with a maximum contamination value of 42 μg/kg. Incidence of positive samples was higher in cloudy juices(67%) compared to clear juices (13%) and purees (9%) and mean contamination levels were 7,4 ± 10,7 μg/kg, 0,98 ± 1,23 μg/kg and 0,78 ± 0,80 μg/kg for cloudy juices, clear juices and purees, respectively. Concerning the 87 baby-food samples analysed, 10 infant drinks (clear) showed contamination levels below LOD and 7 purees (from a total of 77) had patulin levels above the LOD, with the highest contaminated puree containing 5,7 μg/kg. These results were all below the legislated levels for apple juices and apple purees intended for infants and young children (10 μg/kg) and for fruit juices (50 μg/kg) indicating that the overall quality of apple based foods marketed in Portugal could be considered acceptable.
Descrição: Tese de mestrado, Controlo da Qualidade e Toxicologia dos Alimentos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10451/2622
Appears in Collections:FF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese_Mestrado_MJoao_Barreira.pdf2,13 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia