Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Letras (FL) >
FL - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2685

Title: Alienação, deserto e naufrágio : três metáforas para uma compreensão da geometria do tempo em Hannah Arendt
Authors: Amaral, Margarida Gomes, 1975-
Advisor: Assunção, Maria Cristina Beckert de, 1956-
Keywords: Arendt, Hannah, 1906-1975
Tempo (Filosofia)
Filosofia política
Filosofia cultural
Teses de doutoramento - 2011
Issue Date: 2010
Abstract: Este estudo surgiu da intuição de que o desenho geométrico do tempo, apresentado apenas em The Life of the Mind, condensa as múltiplas referências ao conceito de tempo que podemos descobrir ao longo da obra de Hannah Arendt. Ali encontramos o presente, situado no vértice do ângulo recto, o passado horizontal, o futuro vertical e o presente intemporal que se ergue numa linha diagonal. Este presente intemporal, esta linha diagonal – que é, sem dúvida, o motivo da construção do desenho – é o tempo de um pensar que, da sua janela privilegiada situada no mundo e no tempo, assiste à importância de toda a geometria, bem como à diluição a que o seu vértice e as suas linhas têm sido condenados. As metáforas da alienação, do naufrágio e do deserto são a representação desta diluição, da incapacidade actual de uma vivência plena no mundo, enquadrada pelas linhas que compõem o desenho geométrico do tempo. A alienação da Terra e do mundo questiona a possibilidade de vivenciarmos um presente intenso e potencialmente imortal, que, enquanto tal, depende da capacidade para enfrentarmos o futuro vertical e da atenção que devemos dar à horizontalidade do nosso passado. O deserto contraria esta atenção, e o naufrágio, aquela capacidade. Mas estará, porventura, nas mãos deste eu pensante atento ao mundo, aquele que compreende a importância de um regresso à Terra, da cultura e da salvação do naufrágio, a possibilidade de reanimar as linhas e o vértice do tempo. A esperança desta reanimação move um projecto em que o próprio pensar se alia à cultura e à política, manifestando plenamente o seu amor mundi.
Description: Tese de doutoramento, Filosofia (Filosofia Contemporânea), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2011
URI: http://hdl.handle.net/10451/2685
Appears in Collections:FL - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulsd59545_td.pdf3.69 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE