Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/27565
Título: As emoções na docência : um estudo etnográfico em contextos inclusivos
Autor: Gordo, Idalina de Oliveira Rito, 1958-
Orientador: Freire, Isabel Pimenta, 1952-
Palavras-chave: Teses de doutoramento - 2017
Data de Defesa: 2017
Resumo: O trabalho aqui apresentado decorre da constatação de que a escola é hoje espaço de muitas tensões, com origem dentro e fora dos muros que a circundam. Entre os fatores de desgaste físico e emocional que afetam a docência, levando por vezes à doença e ao desejo de abandono da profissão, destacam-se as exigências de maior inclusão de uma grande diversidade de alunos, muitos com necessidades educativas especiais (NEE), abarcando as que decorrem de deficiências físicas e mentais. Através de um estudo etnográfico, procura-se compreender as conceções acerca da dimensão relacional e emocional da docência e evidenciar possíveis relações entre a experiência profissional e o desenvolvimento da competência relacional e emocional, considerando também os reflexos do conhecimento emocional, na ação pedagógica. Procura-se igualmente perceber a importância das relações de cooperação profissional e da relação escola-família, no âmbito da dimensão relacional e emocional da docência. Por fim, indagam-se as necessidades de formação, relacionadas com o desenvolvimento de competências relacionais e emocionais, inerentes à profissão docente na atualidade. A investigação desenvolveu-se numa escola do 1º ciclo do ensino básico, cujas turmas integravam diversos alunos com NEE, parte deles abrangidos pela educação especial. A primeira etapa teve a finalidade de contextualizar ecologicamente a investigação, com base nos dados de estrutura e de opinião, contando para tal com entrevistas realizadas a todas as professoras da escola; quatro que eram Titulares de Turma (TT) - uma de cada ano escolar - uma era docente de Educação Especial e outra de Apoio Educativo. Na etapa seguinte, decorreu a observação participante, em diversas atividades e diferentes espaços da escola, procurando apreender as dinâmicas relacionais e a vivência das emoções pelos vários protagonistas do processo educativo. Em paralelo, realizaram-se entrevistas informais a alunos com NEE e foi proposta uma composição escrita aos alunos da turma do 4º ano, sob o tema «A minha escola». Realizou-se ainda uma entrevista focus group a quatro estudantes/futuras professoras. Na etapa três, e três anos após a observação, realizou-se uma entrevista à professora que lecionou a turma do 1º até ao 4º ano de escolaridade e foi endereçada uma questão aberta às restantes professoras TT. Esta etapa final teve como objetivo obter informações resultantes deprocessos reflexivos, colocando o enfoque nas questões relacionais e emocionais decorrentes da experiência de inclusão de crianças com NEE. Os resultados da investigação deixam claro que a docência a turmas que incluem alunos com NEE funda-se em interações fortemente permeadas de emoções. As emoções agradáveis são mais expressivas do que desagradáveis, sendo que as primeiras se encontram muito ligadas à relação professor-aluno e aluno-aluno e à promoção de sucesso a todos os alunos. Já a existência de fatores que obstaculizam isso, em geral os constrangimentos organizacionais, gera emoções desagradáveis. As relações de cooperação profissional são também responsáveis por emoções agradáveis, tal como a parceria com as famílias dos alunos, fomentando a resiliência face às dificuldades. Deste modo, a inclusão de alunos com NEE é oportunidade de desenvolvimento da competência relacional e emocional da docência, assim se criem as condições para levar todos ao sucesso educativo.
The paper here presented comes from the finding that schools are, today, a space of many tensions, with origin from the inside and the outside of the walls that surround it. Amongst the factors of physical and emotional detrition that affect teaching, leading sometimes to illness and to the desire of abandoning the carrier, it stands out the demand of greater inclusion of a huge diversity of students, many of them with special educational needs, including those that result from physical or mental disabilities. Through an ethnographic study, we will try to understand the conceptions about the relational and emotional dimension of teaching and to verify possible relations between the professional experience and the development of relational and emotional skills, considering also the reflexions of emotional knowledge in the pedagogical action. We will also try to understand the importance of relations in the professional cooperation and in the school-family relation, in the scope of the relational and emotional dimension of teaching. Lastly, we will investigate the need of training, in relation to the development of relational and emotional skills, inherent to the teacher’s profession nowadays. The research was developed in a primary school, with many students with special educational needs, part of them covered by special education. The first stage had the goal of ecologically contextualize the research, based in the structural and opinion data, relying on interviews to every teacher of that school; four of whom were full professors – one of each school year – one was of special education and another of educational support. In the next stage, was held the participant observation, in several activities and different school spaces, trying to learn relational dynamics and the experiencing of emotions by the various protagonists of the educational process. In parallel, were performed informal interviews to special educational needs students and was proposed a written composition to 4th grade students, under the topic “my school”. It was also performed a focus group interview to four student/future teachers. In the 3rd stage, and three years after observation, was performed an interview to the teacher that taught the 1st grade class until the 4th grade of schooling and was addressed an open question to the remaining teachers. The final stage had as a goal to obtain information resulting from reflexive processes, putting focus on the relational and emotional questions ensuing from the inclusion experience of children with special educational needs. The research results clarify that teaching classes with students with special educational needs is founded in interactions strongly permeated with emotions. The pleasant emotions are more expressive that the unpleasant, being that the former are closely connected with the relation teacher-student and student-student and to the promotion of success of all students. On the other hand, the existence of factors that thwart that, generally organizational constraints, create unpleasant emotions. The relations of professional cooperation are also responsible for pleasant emotions, such as the partnership with the families of the students, encouraging resilience in face of difficulties. In this way, the inclusion of students with special educational needs is the opportunity for development of relational and emotional skills of teaching, as long as the conditions to take all to educational success are thus created.
Descrição: Tese de doutoramento, Educação (Formação de Professores), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2017
URI: http://hdl.handle.net/10451/27565
Designação: Doutoramento em Educação
Aparece nas colecções:IE - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulsd730561_td_Idalina_Gordo.pdf2,77 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.