Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2783

Título: Factores de virulência em Streptococcus pyogenes
Autor: Lino, Lara Marques, 1985-
Orientador: Lemsaddek, Teresa Maria Leitão Semedo
Tenreiro, Rogério Paulo de Andrade, 1955-
Palavras-chave: Biologia molecular
Virulência
Expressão génica
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Resumo: Streptococcus pyogenes, um dos agentes patogénicos mais comuns a nível mundial, pode provocar uma grande variedade de patologias como faringites, amigdalites, infecções da pele e tecidos moles ou patologias mais graves como a escarlatina e a síndrome do choque tóxico. Na tentativa de ajudar a esclarecer se a presença de factores de virulência está relacionada com a origem dos isolados, no presente trabalho foi realizada a pesquisa de genes de virulência (e.g. speA, speC, speH, speJ, speI, speK, speL, speM, prtF1, spd1, slaA, ssa) em 208 isolados de S. pyogenes provenientes de quatro origens distintas: colonização, faringite/laringite, infecção da pele/tecidos moles e doença invasiva. De modo a complementar o estudo foi analisada a expressão génica de quatro dos genes de virulência (speA, ssa, slaA e spd1) em vinte isolados seleccionados da amostra inicial, após crescimento em dois meios de cultura, BHI e 2YT. Adicionalmente, e de forma a averiguar se esses mesmos genes seriam de origem fágica, procedeu-se ainda a testes em placa após indução com mitomicina C. Como principais resultados pode-se referir que enquanto para os isolados de colonização a percentagem de presença de genes de virulência apresenta um máximo de 38,7% (36/93), nos isolados provenientes de infecção atinge o valor de 83,3% (10/12). Estes resultados levam a crer que, isolados provenientes de doença invasiva apresentam maior quantidade de genes de virulência. Dos quatro genes pesquisados no estudo preliminar de expressão génica apenas para dois, spd1 e ssa, foi observada expressão nas condições em análise, sendo o maior nível de expressão observado no meio de cultura BHI, que simula condições de infecção. Globalmente, os resultados obtidos no presente estudo indicam uma associação entre factores de virulência e doença invasiva, tanto no estudo de presença como no de expressão. No entanto, devido ao número reduzido de isolados incluídos nos estudos de expressão e indução, as conclusões retiradas necessitam de confirmação em futuras investigações.
Streptococcus pyogenes, is one of the most common pathogens worldwide. It can cause several diseases such as pharyngitis, tonsillitis, skin and soft tissues infections or other more severe pathologies, like scarlet fever and streptococcal toxic shock syndrome. In order to know if the presence of streptococcal virulence factors is associated with the origin of the isolates, we performed a screening for the presence of virulence genes (e.g. speA, speC, speH, speJ, speI, speK, speL, speM, prtF1, spd1, slaA, ssa) in 208 isolates of S. pyogenes from four distinct origins: colonization, tonsillitis/pharingytis, skin and soft tissues infections and invasive disease. In order to complement the previous analysis, we selected four virulence genes (speA, ssa, slaA e spd1) and studied their gene expression in twenty isolates selected from the initial sample, after growth in two media, BHI and 2YT. Additionally, in order to verify if the same genes had fagic origin, we performed plate assays after induction with mitomycin C. The results showed that isolates from colonization possess 38,7% (36/93) of virulence genes, while infection isolates presented up to 83,3% (10/12). These results suggest an association between isolates from invasive disease and a higher number of virulence genes. Regarding gene expression, two of the four genes were analyzed, spd1 e ssa, were expressed during growth in BHI and 2YT. The higher level of expression was observed when using BHI, a medium simulating infection settings. As for the induction with mitomycin C, we were able to verify that four of the isolates induced halos, pointing to the presence of bacteriophages in those streptococci. Overall, the results obtained in the present investigation pointed towards an association between virulence factors and invasive disease, regarding both their presence and expression. However, due to the small number of isolates included in the expression and induction studies these conclusions need further confirmation in future investigations.
Descrição: Tese de mestrado. Biologia (Biologia Celular e Biotecnologia). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/2783
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc090590_tm_Lara_Lino.pdf1,85 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia