Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/27948
Título: Perceção parental do stress e do afeto (positivo e negativo) da criança, e relação com variáveis sociodemográficas, em mães e pais de crianças em idade escolar
Autor: Neto, Ana Raquel Frango Martins
Orientador: Santos, Salomé Vieira, 1959-
Palavras-chave: Stress parental
Afetividade (Psicologia)
Mães
Pais
Teses de mestrado - 2016
Data de Defesa: 2016
Resumo: Este estudo incide sobre o stress parental e a perceção do afeto positivo e do afeto negativo da criança, tendo como objetivos: (1) analisar, comparativamente, um grupo de mães e um grupo de pais de crianças em idade escolar (grupos independentes) relativamente ao stress parental e à perceção do afeto positivo e do afeto negativo da criança; (2) explorar a relação entre as duas dimensões em ambos os grupos; (3) averiguar, em cada grupo, a relação destas dimensões com variáveis sociodemográficas das figuras parentais (idade e escolaridade) e da criança (sexo e idade). No estudo participaram 52 mães e 49 pais de crianças em idade escolar (6-12 anos). Para avaliar as dimensões investigadas recorreu-se às versões portuguesas do Parenting Stress Index (Short-Form) e do Positive and Negative Affect Shedule – PANAS – C-P (Short-Form). Foi também utilizado um Questionário Sociodemográfico e de Desenvolvimento. Os resultados mostraram que os dois grupos (mães e pais) não se diferenciaram significativamente na perceção do afecto positivo e do afeto negativo da criança. No entanto, no que respeita ao stress parental, os pais, comparativamente com as mães, apresentaram resultados significativamente mais elevados na subescala interação disfuncional mãe/pai-criança. Em ambos os grupos, verificaram-se associações do stress parental (subescalas) com a percepção do afecto positivo (negativas) e do afecto negativo (positivas), ainda que mais fortes no grupo de pais. Face à relação com as variáveis sociodemográficas consideradas, observaram-se associações significativas da escolaridade (grupo de mães) e da idade da criança (grupo de pais) com o stress parental (subescalas específicas), associando-se ainda a escolaridade com o afecto negativo (resultado marginalmente significativo) e a idade com o afeto positivo, mas apenas no grupo de pais.
This study focuses on parenting stress and the perception of positive and negative affect of the child, with the following goals: (1) to comparatively analyze a group of mothers and a group of fathers of school-aged children (independent groups) for parenting stress and the perception of positive and negative affect of the child; (2) to explore the relationship between these two dimensions in both groups; (3) to determine, in each group, the relationship between these dimensions with the sociodemographic variables of the parents (age and schooling) and child (gender and age). The participants consisted of 52 mothers and 49 fathers of school-aged children (6-12 years). In order to measure the dimensions under study the Portuguese versions of the Parenting Stress Index (Short-Form) and the Positive and Negative Affect Shedule - PANAS - C-P (Short-Form) were used. A Sociodemographic and Developmental Questionnaire was also used. The results showed that both groups (mothers and fathers) did not differ significantly in their perception of the positive affect and negative affect of the child. However, with regard to parenting stress, the fathers, in comparison with the mothers, reported significantly higher results in the subscale dysfunctional interaction mother/father-child. In both groups, associations of parenting stress (subscales) with the perception of positive affect (negative) and negative affect (positive) were observed, and were even stronger in the group of fathers. Regarding the relationship with the sociodemographic variables, significant associations between schooling (group of mothers) and the child’s age (group of fathers) with parenting stress (specific subscales) were found. In addition, an association between schooling and negative affect (marginally significant result) and between age and positive affect was also observed, but only in the group of fathers.
Descrição: Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2016
URI: http://hdl.handle.net/10451/27948
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:FP - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ulfpie051327_tm.pdf639,27 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.