Universidade de Lisboa Repositório da Universidade de Lisboa

Repositório da Universidade de Lisboa >
Faculdade de Ciências (FC) >
FC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10451/2917

Title: A função endotelial e actividade da placa na doença coronária
Authors: Veloso, Sérgio Ricardo Silva, 1985-
Advisor: Pinheiro, Teresa
Crespo, Ana Maria Viegas, 1946-
Keywords: Doença coronária
Aterosclerose
Factores de risco
Endotélio
Teses de mestrado - 2010
Issue Date: 2010
Abstract: As doenças cardiovasculares representam hoje a maior causa singular de morte no mundo ocidental. A aterosclerose é o processo patológico mais importante na génese de doença cardiovascular, marcada genericamente por uma obstrução do vaso e alteração das suas propriedades elásticas e reactivas. Embora as suas causas não sejam inteiramente conhecidas, acredita-se que terá uma base inflamatória e uma progressão contínua ao longo de vários anos. O endotélio é o principal responsável pela regulação do tonus vascular. À sua incapacidade em modelar este processo chama-se disfunção endotelial, uma condição que precede o desenvolvimento de lesões sintomáticas e como tal, um candidato a marcador precoce de doença cardiovascular. A placa de ateroma não é uma entidade inerte e a sua actividade pode ser avaliada através de elementos solúveis. O VEGF é considerado um dos principais responsáveis pela neovascularização da placa que favorece o processo inflamatório e deposição de lípidos. A Catepsina-L é uma enzima proteolítica expressa por macrófagos na zona da lesão, com a capacidade de destruir a matriz fibrótica que protege o ateroma, tornando-o mais frágil e susceptível a ruptura. A activação das células endoteliais subjacente ao processo inflamatório induz a segregação de vesículas fosfolipídicas, as micropartículas, através de um fenómeno altamente regulado mas ainda longe de ser compreendido. Estas parecem exercer funções biológicas embora o seu papel seja ainda obscuro. Se são causa ou consequência de um processo deletério é uma pergunta que ainda carece resposta. Neste estudo propusemo-nos avaliar o potencial do VEGF, Cat-L e micropartículas como marcadores de disfunção endotelial e da actividade do ateroma. Uma vez que a aterosclerose é um processo para o qual múltiplos factores contribuem através de uma interacção sinérgica, é pouco provável que um indicador singular seja eficaz. Como tal, existem algoritmos multivariados, como o Framingham Point Score, aos quais novos marcadores devem ser comparados no sentido de verificar a existência de informação adicional para a avaliação de risco. A metodologia adoptada para a quantificação do VEGF e Cat-L foi o ELISA em amostras de soro humano. Na análise de micropartículas a citometria de fluxo é o método mais eficaz e o único com aplicação clínica. Neste estudo foram utilizados os marcadores CD31, CD42b e CD144 para descriminação de subpopulações endoteliais, três marcadores já associados a várias doenças do foro vascular. Os nossos resultados apontam para uma relação entre a Cat-L, EMPs CD144+ e o Framingham Point Score. Foram encontrados fortes indícios de que a libertação de micropartículas é um processo activado em resposta a agressão e que desempenha um papel protector e regenerador no endotélio, que deverá justificar o aumento de MPs CD42b-CD144+ na disfunção endotelial. Embora o VEGF não esteja alterado na disfunção endotelial, evidencia uma ligação com a inflamação crónica característica da aterosclerose. A presença de lesão sintomática não aparenta influenciar os parâmetros estudados, mais dependentes dos factores de risco tradicionais. No entanto, a pequena dimensão da amostra e os constrangimentos de tempo e natureza do estudo não permitem retirar mais do que conclusões preliminares que justificam a continuação deste trabalho.
Cardiovascular diseases are the major single cause of death in the western world. Atherosclerosis is the pathological process with most importance in the initiation of cardiovascular diseases, and it is characterized by an obstruction of the blood vessel and an alteration of its reactive and elastic proprieties. Although its causes are not completely understood, it is belived that it has an inflammatory basis and a continuous progress through many years. The endothelium is the main responsible for the regulation of vascular tone. The inability in modulating this process is called endothelial dysfunction, a condition that precedes the development of symptomatic lesions and, as such, a candidate to early maker of cardiovascular diseases. The atheroma is not a static entity and its activity can be evaluated by soluble factors. The VEGF is considered one of the most important iniciators of plaque neovascularization that favors the inflammatory process and lipid deposition. Cathepsin-L is a proteolytic enzyme expressed by macrophages in the lesion zone, with the ability to destroy the fibrotic matrix that protects the atheroma, making it more fragile and susceptible to rupture. The activation of endothelial cells by inflammation induces the segregation of phospholipidic vesicles, the microparticles, in a tightly regulated process still far from understood. These microparticles seem to have biological functions although their role is not yet known. If they are the cause or a consequence of a deleterious process is a question that still needs to be answered. In this study, the potential of VEGF, Cat-L and microparticles as markers of endothelial dysfunction and plaque activity was evaluated. Because atherosclerosis is a process with multiple underlying factors with a synergistic action, it is highly unlikely that a single marker could be effective. As such, there are multivariate algorithms, like the Framingham Point Score, to which new markers must be compared to verify the addition of any useful information to risk evaluation. The adopted methodology for the analysis of VEGF and Cathepsin-L was the ELISA of human serum samples. Flow cytometry is the most effective technique for the analysis of microparticles and the only one with clinical applicability. In this study the markers CD31, CD42b and CD144 were used to discriminate endothelial subpopulations, three markers already associated with diseases of the vascular system. The results suggest a possible relationship between Cathepsin-L, microparticles CD144+ and the Framingham Point Score. It was found evidence supporting that microparticle production is a process activated in response to aggression and it plays a protective and regenerative role on the endothelium, justifying the verified increase in microparticles CD42b-CD144+ with endothelial dysfunction. Although VEGF was not altered in this condition, it points a connection with the chronic inflammation that characterizes atherosclerosis. The presence of symptomatic lesion does not seem to influence the studied parameters, more dependent on traditional risk factors. However, the limited sample, duration and nature of this study make it impossible to extract more than preliminary data that justifies the continuation of this research.
Description: Tese de mestrado. Biologia (Biologia Humana e Ambiente). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010
URI: http://hdl.handle.net/10451/2917
Appears in Collections:FC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ulfc090621_tm_Sergio_Veloso.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © Universidade de Lisboa / SIBUL
Alameda da Universidade | Cidade Universitária | 1649-004 Lisboa | Portugal
Tel. +351 217967624 | Fax +351 217933624 | repositorio@reitoria.ul.pt - Feedback - Statistics
DeGóis
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE