Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10451/293
Título: Identidade, território e práticas familiares : a relação com a terra e a emigração em Sever do Vouga
Autor: Micaelo, Ana Luísa
Orientador: Viegas, Susana de Matos
Palavras-chave: Família
Género
Emigração
Identidade
Ruralidade
Identidade familiar
Teses de mestrado
Data de Defesa: 2008
Resumo: Neste trabalho propõe-se uma reflexão sobre as complexas relações que se estabelecem entre identidade, mobilidade e território, enfatizando a forma como elas se articulam com projectos familiares e mecanismos de diferenciação de género em contextos rurais historicamente muito marcados pela emigração. Partindo do pressuposto de que a mobilidade é útil para compreendermos a forma como as categorias espácio-temporais se relacionam com os processos de identidade, salientamos o contributo deste trabalho para uma abordagem da articulação entre identidade e a diversidade das práticas familiares em Portugal, perspectivando-a à luz da análise da emigração em meios rurais. Numa altura em que o tema das migrações tem merecido particular desenvolvimento na antropologia, consideramos pertinente que se faça uma reflexão acerca da forma como a mobilidade humana se articula com os processos identitários decorrentes das concepções familiares e de género particulares e ainda com os fenómenos históricos, económicos e políticos que caracterizam determinada região. Em vez de se ver a deslocação como algo que constitui um problema , por receio de que provoque um colapso das estruturas familiares, propomos o estudo da emigração a partir do contexto de origem, onde os próprios factos quotidianos da migração, do movimento e da deslocação nos permitem entender o que significa estar ligado a um determinado lugar. Tendo em conta que a estrutura familiar marcada pela emigração caracteriza historicamente o contexto rural do Noroeste do país, na medida em que se verifica que as práticas familiares integram sucessivamente, ao longo de gerações, membros emigrados temporária ou permanentemente, interessa-nos compreender como se constitui a identidade familiar e social daqueles que permanecem, como dos que vivem durante vários anos noutro(s) país(es). Assim, partindo de uma abordagem etnográfica sobre um contexto rural na região de Sever do
In this thesis we propose a reflection on the complex connections that are set between identity, mobility and territory, emphasizing the way in witch they articulate with family projects and mechanisms of gender differentiation in rural contexts historically characterized by emigration. Assuming that mobility is useful in order to understand the way how the spatial and temporal categories connect with the identity processes, we stress the contribution of this thesis to approach the articulation between identity and the diversity of the family practices in Portugal, putting it in the perspective of the analysis of emigration in rural contexts. In a time when Anthropology has been focusing a lot on the subject of migrations, we think that is pertinent to consider the way in witch human mobility articulates with identity processes that emerge from particular family and gender conceptions, as well as with the historic, economic and politic phenomenon that characterizes the specific region. In stead of considering displacement as a "problem", a cause for the breakdown of the family structures, we propose its study from the context of its origin, where the very own day-to-day facts of migration, movement and displacement allow us to understand what it means to be connected to a specific place. Considering that a family structure marked by emigration is a historic characteristic of the Portuguese North-western rural context - as we verify that the family practices integrate, generation after generation, members that were temporarily or permanently emigrated - we want to understand the way in witch the family and social identity of those who stay are constituted, as well of those who live for several years in another country/countries. Thus, using an ethnographic approach on a rural context in Sever do Vouga, this thesis shows how the family forms in rural contexts where the Portuguese are the ones who emigrate allow us to stretch the reflection on the diversity of conte
Descrição: Tese de mestrado em Antropologia Social e Cultural, apresentada à Universiddae de Lisboa, através do Instituto de Ciências Sociais em 2008
URI: http://hdl.handle.net/10451/293
Aparece nas colecções:ICS - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
17025_Identidade_territorio_e_praticas_familiares.pdf6,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.